Destaques do Auto REALIDADE

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Os carros com descontos na Black Friday


Criada nos Estados Unidos (estabelecida na última sexta-feira do mês de novembro, logo após o Dia de Ação de Graças) e no Brasil desde 2010, a Black Friday deste ano trouxe várias ofertas maquiadas (sem descontos reais sobre os preços anteriores), mas é possível obter hoje descontos consideráveis em modelos das marcas Chevrolet e Fiat, as únicas montadoras de automóveis que aderiram à data em 2013.


No site http://blackfridaychevrolet.com.br é possível checar as unidades disponíveis para compra e os equipamentos e cor de cada unidade. Em Teresina, as concessionárias Canadá, Alemanha (VW), Japan (Nissan) e Via Paris (Renault) anunciaram abertura a partir de 5 horas da manhã e descontos de até R$ 7000, mas o site da Chevrolet, que traz ofertas exclusivas para internet, não indica quaisquer ofertas para a capital do Piauí.


Do Celta à Trailblazer, praticamente todos os modelos da Chevrolet estão abaixo dos preços de tabela nesta sexta-feira, incluindo os recentes Prisma, Onix e Agile, mas excluindo Tracker e Camaro. Os descontos mais expressivos estão sendo ofertados para a Trailblazer 2.8 diesel (de R$ 159 865 por R$ 147 300 na Aba Pacaembu - SP, desconto de R$ 12 565), Trailblazer 3.6 gasolina (de R$ 10 510 a até R$ 14 000 a menos, dependendo da concessionária e dos itens inclusos), S10 LTZ 2.8 Turbodiesel (de R$ 137 000 por R$ 121 900 na concessionária Pallazo Edgar Facó, R$ 11 800 a menos) e Captiva (de R$ 100 690 por R$ 92 990 na Dutra São Miguel). O Agile 2014 está em média R$ 4465 mais barato, caindo de R$ 43 190 para R$ 38 725 em quase todas as lojas. O Celta pode ser encontrado por R$ 27 490 completo (com ar-condicionado, direção hidráulica, airbags, freios ABS e vidros/travas elétricos). O Cruze LT Sedan tem descontos de mais de R$ 5 mil, sendo encontrado por R$ 61 898, enquanto o Sport6 parte de R$ 67 490 (contra R$ 72 390 da tabela). O Cobalt tem descontos de cerca de R$ 4 mil, sendo encontrado por R$ 38 990 na versão LT 1.4. Enquanto o Onix está praticamente esgotado, há unidades do Prisma LT 1.0 com o magro abate de R$ 1 mil. Há apenas uma unidade da Spin (1.8 LT) disponível no momento de edição da matéria, tabelada por R$ 49 190 e vendida por R$ 45 492. Vários dos dos carros anunciados já foram reservados (há chances deles voltarem para o estoque caso a compra não seja efetivada) e outros, vendidos. 


Já a Fiat oferta Palio e Grand Siena (acesse aqui): o hatch na versão 1.6 Essence, com preço de tabela de R$ 42 200, pode ser comprado por R$ 36 990 (ou R$ 37 990 com pintura metálica), trazendo ar-condicionado, direção hidráulica, rodas de liga leve aro 15",  airbags frontais, freios ABS com EBD (distribuição eletrônica de frenagem),  faróis de neblina e máscara negra nos faróis superiores, vidros elétricos nas quatro portas, rádio CD/MP3 com entrada USB e Bluetooth, volante em couro com comandos de som, retrovisores elétricos externos e spoiler traseiro. O Grand Siena Attractive 1.4, tabelado em R$ 41 200, sai por R$ 36 990 (ou R$ 37 990 com pintura metálica). O valor é o mesmo do Palio 1.6 Essence, mas além do motor menos potente, o Grand Siena traz menos equipamentos: ar-condicionado, direção hidráulica, airbag duplo, freios ABS, vidros dianteiros elétricos e travas elétricas. Na prática, estas versões eram vendidas por preços abaixo da tabela.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Soluções de divã [Alta Roda]


Um dos temas recorrentes nos últimos tempos são as análises sobre a diminuição de interesse das pessoas pelo automóvel, em especial os jovens. Há muito lirismo nesses diagnósticos, às vezes baseados em pesquisas cujas perguntas são direcionadas para as respostas.

Bastam dois exemplos: em São Paulo apontaram que 90% das pessoas apoiam a inspeção veicular ambiental (IVA). A surpresa foi não alcançar 100%, como deveria. Mas se a pergunta fosse sobre IVA para carros seminovos, com até quatro anos de uso, o resultado seria 10%. Também quiseram saber se os motoristas aprovam faixas exclusivas de ônibus. Claro, disse a pesquisa. Mas se perguntassem só sobre pintar faixa no asfalto, sem qualquer estudo de custo-benefício ou em que lado da via, o resultado seria decerto bem diferente.

Outra enquete famosa feita nos EUA aponta que 30% dos jovens entre 18 e 24 anos preferiam, se pudessem escolher, a internet e não um carro. Ora, faltou saber, em plena era dos carros conectados talvez até em excesso (digitar textos com o carro em movimento é muito arriscado), se as respostas seriam as mesmas caso pudessem dispor de ambos. Existe, sim, o fenômeno social de algum afastamento inicial dos jovens ao buscarem maior mobilidade urbana ou utilizar caronas de pais, parentes e amigos. Mas logo casam, formam família e vem um carro, muitas vezes dois.

Há um fato inquestionável: mercados maduros estão saturados e a frota quase não cresce. Nem a população... Produção basicamente voltada para substituição. Situação oposta nos países emergentes, onde a relação de veículos/1.000 habitantes é bastante baixa. Se indagassem a qualquer jovem destes países, a resposta seria outra. Uma aspiração justa e até concorrente da casa própria.


De fato, longos congestionamentos podem levar a se questionar a utilidade de um automóvel. Mas esquecem de que rádios do passado com válvulas e chiados, para amenizar, foram substituídos por quase estúdios ambulantes de som, vídeo, telefonia, navegação por internet e GPS, além de TV (quando parado). A baixa mobilidade não é apenas urbana. No último feriado percorrer trechos de 100 km em 9 horas ou mais aconteceu em várias estradas.

Trata-se de uma situação que poetas de soluções simplistas deveriam estar mais atentos. Um carro no portão da fábrica paga 67% de impostos (cerca de 40% do preço de venda) até ser emplacado. Depois, a cada cinco anos, há tantas taxas e encargos que significam entregar outro carro novo ao governo. Então, ninguém pode ter sentimento de culpa ao se construir túnel, viaduto, via expressa ou duplicar estrada. Os motoristas, com paciência de bovinos, pagaram por tudo isso. Seu único direito é bancar sem reclamar?

No futuro, parece claro que cidades terão alternativas de mobilidade inteligente e integradas. Automóveis serão menos necessários, mas ainda indispensáveis, principalmente pela liberdade de viajar. Única forma de se locomover ponto a ponto com um único meio de transporte. Diversos aspectos deverão ser repensados para evitar recorrência de erros de planejamento. Outras soluções vêm daqueles acostumados aos divãs de consultórios de terapeutas extremamente compreensivos e mais pacientes que os próprios pacientes.


RODA VIVA


INESPERADA contratação do português Carlos Tavares para presidir PSA Peugeot Citroën pode não ter sido tão inesperada assim. Há dois meses, ainda o segundo nome na hierarquia da Renault, surpreendeu ao dizer que gostaria de comandar um grande fabricante dos EUA. Chocante, mas provável cortina de fumaça para acerto prévio com a arquirrival francesa.


MOVIMENTO discreto da Volkswagen já começou: abrir espaço ao compacto up! no primeiro trimestre de 2014. Estratégia é elevar um pouco o preço do Gol G5, com airbags e ABS de série (obrigatórios), além de direção assistida hidráulica, para deixar a faixa inicial dos R$ 29.000 para o novo produto. Gol G4 sai de produção em dezembro; vendas até março.


VERSÃO Titanium do Focus hatch tem preço puxado, com todos os equipamentos. Forma conjunto de primeira linha, ainda raro entre os produzidos na região (Argentina). Motor tem respostas rápidas, especialmente com etanol, graças à injeção direta. Câmbio automatizado de duas embreagens, direção, suspensões e acabamento são irretocáveis.


MODELO de uma fábrica homenageado por outra é bastante incomum. Como o laureado está entre os míticos da história, a MINI (controlada pela BMW) destacou os 50 anos do Porsche 911. Há fotos, lado a lado, das versões originais realçando que só “rejuvenesceram”. De fato, não concorrem entre si, mas a iniciativa é simpática.

CAIXA de câmbio manual com marcha à ré sincronizada era algo refinado no passado, como no Omega em 1992. Agora a GM estendeu essa característica a todos os carros compactos com motor de 1,4 litro aqui fabricados. A nova caixa facilita e agiliza manobras em baixa velocidade, quando é necessário inverter o sentido de marcha, sem parecer “barbeiro” ou descuidado.

Fernando Calmon (fernando@calmon.jor.br), jornalista especializado desde 1967, engenheiro, palestrante e consultor em assuntos técnicos e de mercado nas áreas automobilística e de comunicação. Sua coluna automobilística semanal Alta Roda começou em 1º de maio de 1999. É publicada em uma rede nacional de 98 jornais, sites e revistas. É, ainda, correspondente no Brasil do site just-auto (Inglaterra).


Mitsubishi atualiza L200 Triton na linha 2014


A Mitsubishi L200 Triton recebe mais uma atualização visual na linha 2014, além de novidades mecânicas. Externamente, as alterações envolveram a grade (com filete superior cromado), para-choque dianteiro com novo estilo, alojamento dos faróis de neblina redesenhados, retrovisores com rebatimento elétrico e repetidores das setas em LEDs, além de rodas aro 16'' "Open Line". O motor 3.2 DID-H Diesel, que desenvolvia 170 cavalos, agora possui 180 cv e 38,0 kgfm de torque. Seu tanque de combustível agora comporta 90 litros (20% a mais que a L200 2013). Há também duas opções de motorização flex-fuel: o 2.4 16v de 142 cavalos e 22,0 kgfm com etanol, disponível na versão HLS, e o 3.5V6 de 200/205 cavalos e 31,5/33,5 kgfm de torque (com gasolina/etanol, respectivamente).


Outra novidade é o câmbio automático de cinco marchas com modo Sport, passando a oferecer 15 combinações de marcha com a tração 4x4 com reduzida. Por dentro, a novidade está nos bancos de couro com alta densidade de espuma. 

A L200 Triton conta comas versões GL (destinada a frotistas, com preço sob consulta), 2.4 Flex HLS por R$ 76 990 (a opção de passeio mais em conta), 3.2 Diesel GLX por R$ 91 990, 3.2 Diesel GLS por R$ 99 990, HPE 3.5 Flex automática por R$ 103 990, Savana por R$ 116 990 (mesmo preço da versão HPE 3.2 Diesel manual) e HPE 3.2 Diesel automática pelo preço de R$ 126 990. São oito cores disponíveis: Branco Alpino, Prata Tecno, Prata Rhodium, Preto Ônix, Cinza Londrino, Vermelho Bordeaux, Vermelho Mônaco e Verde Pantanal.


quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Latin NCAP: Focus, Jetta, HB20S, EcoSport e Malibu avaliados


Foram divulgados hoje (27) novos resultados dos crash-tests do Latin NCAP, instituição que desde 2010 avalia a segurança dos modelos comercializados na América Latina. Dos cinco carros, três estão sendo avaliados pela primeira vez (Ford Focus III, Chevrolet Malibu e Volkswagen Jetta) e dois deles foram reavaliados (o Hyundai HB20, agora na versão Sedan, e o Ford EcoSport, ao lado, com resultado atualizado). O choque ocorre a 64 km/h, contra uma barreira deformável.


Ambos melhoraram suas notas em relação ao resultado divulgado em março deste ano (veja aqui): o HB20S alcançou 13,80 pontos de proteção a adultos (contra 10,23 no teste anterior com o HB20 Hatchback, aumentando a nota de três para quatro estrelas) e 34,52 de proteção para crianças nas cadeirinhas (um salto notável em relação aos preocupantes 4,77 pontos anteriores, subindo a nota de uma para três estrelas). Já o EcoSport chegou a 14,64 pontos de proteção para os ocupantes da frente (antes, havia obtido 13,64; sua nota subiu de 4 para 5 estrelas) e 31 pontos na proteção infantil (resultado igual ao teste anterior, mantendo 3 estrelas).


Recém-lançado no mercado brasileiro, o Ford Focus III Hatch se saiu muito bem no crash-test: pontuou 16,52 de 17 pontos possíveis de proteção a adultos (cinco estrelas) e 38,06 de 49 pontos possíveis (quatro estrelas) para crianças em cadeirinhas (o Focus anterior havia obtido nota 13,53 em proteção a adultos [quatro estrelas] e 33,68 para ocupantes nas cadeirinhas [três estrelas]). 


Outro destaque foi o VW Jetta, que também chegou a cinco estrelas de proteção para os ocupantes da frente (nota 15,34 de 17 pontos possíveis) e quatro estrelas de proteção a crianças (39,20 pontos de 49 possíveis). Ford EcoSport, Focus e VW Jetta são os primeiros carros comercializados no Brasil a alcançarem cinco estrelas de proteção aos ocupantes da frente (o Seat Leon foi o primeiro modelo avaliado pelo Latin NCAP a obter esta nota, mas não é vendido aqui).


O Chevrolet Malibu (em sua nova geração, ainda não comercializada no Brasil), único carro do teste a trazer dez airbags, alcançou quatro estrelas de proteção a adultos (14,56 de 17 pontos possíveis) e somente uma de proteção a crianças (8,57 de 49 pontos possíveis). A título de comparação, o Chevrolet Cruze LT, com dois airbags, também obteve quatro estrelas de proteção a adultos e três estrelas na proteção de crianças em cadeirinhas. O pífio resultado em proteção infantil é reflexo da falta de compatibilidade do sistema de retenção infantil com os protocolos do Latin NCAP.

Vídeos


Ford Focus III Hatch



Hyundai HB20S



Volkswagen Jetta



Chevrolet Malibu



Ford EcoSport



Eis a nova geração do Hyundai Genesis


A Hyundai revela na Coreia do Sul a segunda geração, totalmente renovada, do sedan Genesis. Poucos traços remetem ao modelo anterior, que foi lançado em 2008, mas após aparições nos Salões de São Paulo daquele ano e de 2010, só começou a ser vendido no Brasil ano passado, já reestilizado (à direita). O logotipo é exclusivo, uma tentativa de distanciá-lo da gama Hyundai. A inspiração para as novas linhas surgiu no carro-conceito HCD-14 Genesis, mostrado no Salão de Detroit este ano.



O interior oferece refinamento e itens de comodidade, como tela central de sete polegadas, cortina do vidro traseiro elétrica (nos vidros laterais, é manual), ventilação e aquecimento dos bancos dianteiros, console central traseiro embutido no descansa-braço com entrada USB e tomada 12V, duas posições de memória do banco do motorista, ajuste elétrico dos bancos frontais, computador de bordo integrado ao quadro de instrumentos, nove airbags, telas para os ocupantes traseiros, entre outros itens.

Estarão disponíveis os motores 3.3 (nas versões Modern, de entrada, e Premium, mais equipada) e 3.8 (que terá as versões Exclusive, Prestige e Finest Edition), ambos com seis cilindros em V e tração nas quatro rodas. O 3.3 gera 282 cavalos e 35,4 kgfm de torque a 5000 rpm (com consumo médio variando entre 8,5 e 9,4 km/l de gasolina), enquanto o 3.8 produz 315 cv e 40,5 kgfm a 5000 rpm, consumindo em média de 8,5 a 9 km/l de gasolina. O tanque de combustível comporta 77 litros.


terça-feira, 26 de novembro de 2013

Lamborghini encerra produção do Gallardo


A fábrica de Sant’Agata Bolognese (Itália) produz o último Lamborghini Gallardo, após 14 022 unidades produzidas de 2003 a 2013 (dez mil delas nos sete primeiros anos de fabricação). Quase metade de todos os Lamborghini's produzidos desde 1963 são Gallardos! Nesta década, houve apenas duas reestilizações do esportivo, a mais abrangente delas em 2008, e a outra apresentada no Salão de Paris, ano passado. Em compensação, foram dezenas de séries especiais (SE, de 2005, limitada a 250 unidades; Nera, de 2006, com 185 unidades com carroceria, rodas e detalhes na cor preta; 550-2 Valentino Balboni, limitado a 250 carros com tração nas rodas traseiras e herdando o nome do famoso piloto de testes da Lamborghini; Gold Edition, de 2012, com 10 unidades destinadas ao mercado chinês; Bicolore, com pintura em dois tons; Tricolore, que comemorava 150 anos da unificação da Itália; 550-2 Super Trofeo [variação do Gallardo Valentino Balboni], Superleggera Bianco Canopus Limited Edition, Super Trofeo Stradale, Singapore Limited Edition, Noctis e Bianco Rosso [apresentados em 2012], Squadra Corse (o mais recente, limitado a 150 carros), entre outros. Sem falar nas versões de série: Roadster, Superleggera, Performante, Edizione Tecnica, e os modelos das pistas, como o Blancpain Super Trofeo e o GT3.

A última unidade do Gallardo produzida foi um LP 570-4 Spyder Performante na cor Rosso Mars, que será entregue a um colecionador que não teve a identidade revelada. O sucessor (sem nome definido, mas que poderá assumir o nome Cabrera) deverá ser apresentado em 2014.

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Nova geração do Honda City é lançada na Índia


Índia e China são países com grandes populações e relativa proximidade geográfica, mas a Honda decidiu apresentar este ano dois sedans para cada um dos mercados. A China recebeu o Crider, enquanto na Índia é revelado o novo City - é a primeira remodelação total desde 2008 e a sexta geração, se considerarmos as duas gerações do hatchback homônimo produzido entre 1981 e 1994. O novo sedan deverá chegar ao mercado brasileiro após o lançamento da terceira geração do Fit, que já roda em testes no País.


O design do "All New City" pouco lembra o novo Fit, do qual deriva. Como no Honda Vezel, grade e faróis se integram; os vincos laterais são pronunciados e a traseira ostenta lanternas horizontais de formato irregular, cortadas pela tampa do porta-malas e pelo friso cromado acima da placa de licença. O novo City manteve os 4,44 metros de comprimento e o 1,695 metro de largura, ganhou 5 centímetros de distância entre-eixos (totalizando 2,60 metros) e ficou um centímetro mais alto (agora possui 1,495 m de altura).


O motor 1.5 SOHC i-VTEC do novo City foi aprimorado, embora dados técnicos não tenham sido revelados. Em alguns mercados, haverá um 1.5 DOHC i-DTEC movido a diesel. Entre os principais equipamentos, destaque para o botão de partida, os comandos no volante e a central multimídia de cinco polegadas, com visor da câmera de ré, Bluetooth, conectividade USB/iPhone/Xperia e wallpaper personalizável. A nova geração do City será vendida na Índia a partir de janeiro de 2014.

O que rolou no AutoEsporte ExpoShow


O AutoEsporte ExpoShow, evento organizado pela Reed Exhibitions Alcantara Machado (responsável também pelo Salão do Automóvel de São Paulo) terminou no domingo (24). Esta exposição foi realizada com base em uma pesquisa durante os dois últimos anos no Salão do Automóvel no Anhembi: 40% dos entrevistados pediam uma feira voltada para acessórios e personalização de veículos. Contamos com imagens de Rafael Susae, que registrou as atrações expostas no Anhembi entre os dias 21 e 24.

Clássicos




Dezenas de modelos históricos foram mostrados: Plymouth Barracuda, Aero-Willys, Corcel GT, Renault Gordini, Willys Interlagos, Corvette C1 e C2, Fusca 1952 Split-Window, exemplares do Porsche 911, Chevrolet Camaro e Chevrolet Opala, Packard 1926, Maxwell, Ferrari 308 GTB, VW Karmann-Ghia, entre outras joias originais.



Exóticos




Quem curte exclusividade pôde conhecer carros raros no Brasil, como o Infiniti G35, Bentley Continental GT conversível, Porsche Panamera e 911 Turbo, Ford Mustang GT 500, Chevrolet Camaro 2014, Nissan 370Z, Dodge Charger (acima), Ford Flex, entre outros modelos.




Modificados




Uns mais ousados, outros mais discretos, os carros customizados foram estrelas do AutoEsporte ExpoShow. Do tuning extreme, sucesso nos anos 2000, passando pelo DUB style, lowriders e hot-rods até chegar aos atuais envelopados e rebaixados, houve vários carros modificados no evento (de modelos mais simples, como Gol, Celta e Corsa, a clássicos e esportivos como Chevrolet El Camino, Buick Riviera, Chevrolet Impala [estes três customizados por Tarso Marques, ex-piloto de Fórmula 1], Mitsubishi 3000 GT, Audi A4 e Porsche 911).



Outros destaques




Também foram atrações no AutoEsporte ExpoShow o simulador de direção, o jogo Gran Turismo 6, o circuito com miniaturas radiocontroladas, as réplicas do Shelby Cobra e Jaguar XK120, além das lanchas esportivas.




Motos




A moto projetada por Tarso Marques, avaliada em R$ 300 000, utiliza peças com aspecto envelhecido e libera labaredas de chamas pelo escape.



A Pósitron realizou sorteios diários que premiavam os vencedores com uma volta em uma Ferrari F430. Houve também test-drive de modelos como os Chevrolet Camaro e Corvette, além do Mercedes SLK. Os ingressos custavam R$ 30 (inteira).

Fotos | Rafael Susae

Curta a página do Auto REALIDADE!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...