Novidades da Citroën no Salão de São Paulo


Texto - Júlio Max | Fotos - Rafael Susae

Assim como a Toyota, a Citroën ostentou modelos interessantes em seu estande, porém poucas novidades que estarão nas concessionárias. A principal delas é a nova geração do C4 Picasso (que poderá vir acompanhada da "irmã" de sete lugares, a Grand C4), já comercializada na Europa. Seus faróis são desmembrados em luzes de posição (situadas em posição elevada) e luzes principais, enquanto as lanternas de LED trazem efeito 3D. Por dentro, assentos com extensão para as pernas, teto panorâmico com cortina elétrica, tela de 12 polegadas, visão em 360º (quatro câmeras captam imagens ao redor do carro), assistente de estacionamento, controlador de velocidade ativo e seis airbags (frontais, laterais e de cortina).


Apresentado como conceito (Sport White) e também na versão de produção, o C4 Lounge 1.6 THP passa a contar com sistema Flex-Fuel: com etanol, sua potência passa para 173 cavalos. Esta versão oferece sistema Keyless, botão Start/Stop, sistema de navegação GPS com mapas do Brasil e tela colorida de sete polegadas, câmera de ré com tela colorida nas proporções 16:9, SAM (Smart Alert Move, detector de veículos em pontos cegos), seis airbags, ESP, quadro de instrumentos personalizável e ar-condicionado bi-zone.


O conceito Sport White traz pintura Blanc Nacré perolizada, rodas aro 19'', aerofólio traseiro, lanternas escurecidas, adesivos que imitam textura de fibra de carbono,  bancos de couro "extramacios", com textura similar à das bolsas femininas, nas cores preto e cinza claro, além de tapetes feitos em couro e pele de ovelha.



Aclamado pela imprensa europeia, por aqui o C4 Cactus aparece apenas como conceito. Sua carroceria é rodeada pelos Airbumps, capas com cápsulas de ar que protegem a carroceria de pequenas colisões. Os instrumentos são digitais e, sem freio de estacionamento ou alavanca de câmbio centrais, os bancos dianteiros lembram um sofá. O modelo conceitual utiliza a tecnologia Hybrid Air, apresentada em detalhes num C3 "recortado".


O Citroën C3 Hybrid Air apresenta a tecnologia desenvolvida em conjunto com a Bosch, que alia o motor a combustão com o sistema de armazenagem de energia via ar comprimido, podendo locomover o veículo nos modos Air, a até 70 km/h; a gasolina ou combinado, aproveitando o ar como "boost", uma força extra para acelerações e retomadas. O resultado é um consumo de combustível de aproximadamente 34 km/l, além da reduzida emissão de CO₂ (69g/km).


Assim como o C4 Lounge Sport White, o AirCross Lunar também foi concebido para o Salão de São Paulo. O modelo recebe tinta microtexturizada na cor “Moon sparkle”, levemente áspera ao toque; já os apliques plásticos foram pintados em cinza Sirocco Anodizado, e detalhes como adesivos, logotipos e parafusos receberam a cor Azul Havaí. Suas rodas aro 15'' são calçadas com pneus off-road, e foram inseridos baús de teto, escada na lateral traseira direita e, no lugar do estepe, um tanque de combustível. Por dentro, forro do teto em tecido escuro e bancos com tecido de roupa de mergulho preto (nos encostos dos bancos dianteiros possuem displays de LED com a inscrição “Créative Technologie” que se movem da esquerda para a direita). 



Menos lunático, o AirCross Salomon é uma série especial limitada a 470 unidades, resultante de uma parceria com a marca de vestuário para esportes de montanha (snowboard, corridas de aventura e alpinismo). Disponível em todas as atuais cores do AirCross (exceto Noir Perla), esta série traz capa do estepe de couro sintético com logotipo Salomon, adesivos nos para-lamas, barras de teto transversais e rodas diamantadas Ashera, aro 16''.



Como agradar aos públicos masculino e feminino, além de estar ligado ao mundo da moda? O desafio foi proposto à equipe de estilo da PSA Peugeot Citroën América Latina e resultou no conceito C3 Parisian Vintage, a criação combina a moda de Paris dos anos 1970 com a estamparia “pied-de-poule”, trama utilizada por homens antigamente, mas trazida aos desfiles de moda femininos pela estilista Coco Chanel.

O “pied de poule” aparece nos retrovisores, nas maçanetas externas, no teto e em um dos raios das rodas aro 17'' Hobart. No interior, esta estampa é aplicada ao volante, revestimento do teto, nos tapetes e acima do quadro de instrumentos. Seus bancos na cor cinza trazem padronagem semelhante ao tecido dos ternos; também foi confeccionada uma bolsa exclusiva com o mesmo material. Abaixo do retrovisor interno do C3 Parisian Vintage estão pendurados pingentes e uma caveira facetada em cristal preto.


Agora com status de marca própria, a linha DS também traz novidades como o DS6, apresentado em abril de 2014 no Salão de Pequim (China) e inspirado no carro-conceito Wild Rubis. O modelo mede 4,55 metros de comprimento, 1,86 m de largura, 1,61 metro de altura e 2,73 m de distância entre-eixos. Internamente, o modelo conta com revestimento de couro semi-anilina Caramel claro, teto solar panorâmico, sistema multimídia com tela sensível ao toque e porta-malas com abertura automática. A versão exposta, Exclusive, vem equipada com o motor THP 200 de 202 cavalos @ 6000 rpm e 27,5 kgfm de torque @ 4500 rpm, além de câmbio automático de seis marchas com modo esportivo e aletas para trocas no volante. No lugar de tração nas quatro rodas, Grip Control, que garante mais tração quando necessário.


No Brasil apenas a passeio, o Citroën DS3 Cabrio Racing vem com difusor de ar traseiro, saída de escape dupla com ponteira cromada, detalhes em fibra de carbono (spoilers, saias laterais, acabamento do volante e do painel de instrumentos e dos frisos), cor fosca Gris Moondark, faixas na cor vermelho Carmin e rodas 19'' Caims na cor preto brilhante. 

Seu motor é o mesmo THP 200 do DS6, com 202 cavalos @ 6000 rpm e 27,5 kgfm de torque @ 2000 rpm; já o câmbio é manual de seis marchas.Desta forma, o DS3 Cabrio Racing acelera de 0 a 100 km/h em 6,5 segundos.


O DS5 é apresentado na série especial Faubourg Addict, inspirada no conceito Numéro 9. Pintado na cor Whisper (preto profundo, com tons de roxo), o modelo traz a trama DS no teto e bancos do tipo bracelet de montre com cor exclusiva Criollo. Por ora, o DS5 Faubourg Addict é vendido somente no mercado europeu.



O diferencial do DS4 exposto no Salão de São Paulo, a unidade exposta traz bancos revestidos de exclusivo couro semi-anilina caramelo, com desenho similar ao das pulseira de relógio.


O DS3 chega ao Brasil levemente reestilizado - confira os detalhes do modelo clicando aqui.


Comentários