Destaques do Auto REALIDADE

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Volvo exibe Concept Estate no Salão de Genebra


Junto com o Concept Coupe e o Concept XC, o Volvo Concept Estate compõe o trio de carros-conceito que antecipam detalhes dos futuros carros da montadora sueca. Os faróis com LEDs que formam um T deitado, a grade côncava, a lateral que mescla superfícies limpas e vincos definidos, além das lanternas que se prolongam até o vidro traseiro, são algumas das características marcantes de seu design, que antecipa o futuro das peruas V70 e XC70, mas também presta homenagem à Volvo 1800 ES, baseada no cupê P1800, que teve vida curta (1972 - 1974).



Seu interior, que mescla as cores azul-claro e laranja, é semelhante ao Concept Coupe, mas traz cintos invertidos para facilitar o acesso ao banco de trás. O quadro de instrumentos totalmente digital, as saídas de ar estreitas e a grande tela vertical da central multimídia são destaque no painel de desenho futurista. O primeiro produto da nova fase da Volvo chega ainda em 2014: trata-se da nova geração do XC90.


Koenigsegg One:1: megacarro em todos os aspectos


Aguardado ansiosamente, o Koenigsegg One:1 finalmente teve suas imagens e detalhes técnicos divulgados. E valeu a pena esperar, pois o megacarro que marca os 20 anos da montadora sueca é impressionante de sua montagem (com diversas peças em fibra de carbono) ao desempenho (sua meta é atingir 450 km/h). Tudo para fazer frente aos novos superesportivos da Porsche (918 Spyder), Ferrari (LaFerrari), McLaren (P1), Bugatti (Veyron Super Sport, fora de linha mas ainda detentor do recorde de velocidade máxima no Guiness Book, de 429 km/h) e Hennessey (Venom GT, que alcançou 435,3 km/h no Centro Espacial Kennedy; a marca não foi homologada pelo Guiness por haver apenas uma passagem de velocidade máxima, quando são exigidas duas).


O nome One:1 vem de sua relação peso/potência: 1340 horsepower para 1340 quilos (peso que inclui seus fluidos e metade do combustível comportado pelo tanque). Daí também vem a designação megacarro: um megawatt possui potência equivalente a 1341,022 hp. Seu motor 5.0 V8 Turbocharger produz torque de 101,9 kgfm entre 3000 e 7500 rpm. O câmbio de sete marchas possui aletas de trocas atrás do volante.


Para reduzir o peso em 20% quando comparado com o Agera R, bancos, rodas, célula de sobrevivência e até os para-sóis são de fibra de carbono. A saída de escape de titânio é gerada a partir de uma impressão 3D, assim como componentes internos do turbocharger. Trata-se do primeiro Koenigsegg com capota fixa e aerofólio acionado hidraulicamente.


O One:1 parte de 0 a 400 km/h em apenas 20 segundos - e para frear completamente, exige apenas 10 segundos. A 100 km/h, ele freia em breves 28 metros. Nas curvas, a pressão gerada pela carroceria e aerofólios pode chegar a 610 quilos de downforce, com aceleração lateral de até 2,0 G.


Além do desempenho impressionante, o One:1 possui tecnologias como o aplicativo para iPhone's com variadas informações, GPS (para orientação mais eficiente em circuitos), quadro de instrumentos digital, bancos com memória de posição e suspensão ajustável eletronicamente.

Agora, as más notícias. Apenas seis unidades (além do protótipo da Koenigsegg) serão produzidas, e já estão vendidas. O preço não foi divulgado, mas deverá ser 30% superior ao Agera R, chegando a casa dos US$ 2 milhões. O One:1 poderá ser visto de perto no Salão de Genebra, que inicia no dia 6 de março.

Chevrolet realiza recall de Classic, Cobalt, Spin e Montana 2014


Os modelos da Chevrolet Cobalt, Spin, Montana e Classic fabricados entre 19 de novembro de 2013 e 07 de fevereiro de 2014 estão envolvidos no recall do filtro de combustível - fabricado sem conformidade, o que possibilita vazamentos de combustível próximo ao tanque, ocasionando risco de princípio de incêndio e desligamento repentino do motor por falta de combustível, com risco de colisões. A inspeção/substituição do filtro de combustível ocorre a partir de hoje, 28 de fevereiro, e o tempo estimado para a execução do serviço é de 15 minutos.



Chassis envolvidos

Cobalt: EB213875 a EB253199
Classic: EB213875 a EB253199
Montana: EB213875 a EB253199
Spin: EB213875 a EB253199

Maiores informações

0800 702 4200
http://www.chevrolet.com.br/meu-chevrolet/recall.html

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Consumo é coisa séria [Alta Roda]


Depois de anos sem grandes preocupações em investir em economia de combustível, a indústria terá que acelerar bastante o passo para atingir metas – obrigatória e voluntárias incentivadas – do programa Inovar-Auto. Mesmo o objetivo compulsório de diminuir o consumo (ganho de 12% em eficiência energética) até 2017 não parece tão fácil porque refletirá a média da frota de modelos vendidos por cada fabricante. A Fiat que está em processo de fusão com a Chrysler, por exemplo, tem modelos como Jeep que são pesados e empurram a média para cima.

Em parte, essa negligência se deu porque o combustível ficou mais barato em termos reais (descontada a inflação). Quando o governo se deu conta de que os gastos com importação de gasolina estavam em curva cada vez mais ascendente, resolveu intervir. E estimulou um esforço até 2020 para atingir uma redução adicional: 15,4% e 18,8% com corte temporário de 1% e 2% de IPI, respectivamente. Caso todos os fabricantes encarem o desafio máximo, se conseguirá economia bem além de 12 bilhões de litros de gasolina, em sete anos.


Vários obstáculos precisam ser removidos, conforme se discutiu no Seminário de Eficiência Energética, da Autodata. Antônio Megale, presidente da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (que completa 30 anos de existência), lembrou que avanços em eficiência dependem também de melhora na infraestrutura viária e de controle eletrônico do tráfego (semáforos inteligentes). O estado de ruas e estradas implica aumento do vão livre dos carros e a consequente piora do coeficiente aerodinâmico. Seguir as dicas de economia de combustível em computadores de bordo exigirá adesão maior dos motoristas.

Fabricantes de pneus admitiram que todos os carros novos, até 2016, terão tecnologia de menor resistência ao rolamento. Podem custar até 10% mais, contudo se pagam rapidamente ao economizar combustível. De novo, buraqueira e lombadas atrapalham. Há limitações, por isso, em compostos de borracha e dificuldade de generalizar o uso de estepes temporários – 10 kg a menos na massa de um modelo compacto com reflexos no consumo – pela incidência alta de furos e danos nos pneus.

Margarete Gandini, do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, acenou sobre inclusão de bônus técnicos nos ciclos de consumo em laboratório, indicados no programa de etiquetagem. Normas brasileiras são mais rígidas que europeias, estas muito vistosas, porém longe da realidade. Função desliga-liga o motor, por exemplo, reflete-se no ciclo europeu e aqui, não. Compressores de ar-condicionado de geometria variável poupam combustível, mas sua vantagem desaparece na captação de dados. Monitor de pressão de pneus igualmente atua nos números potenciais de consumo, sem receber nenhum bônus.

Apesar de admitir que, pela experiência no exterior, programas mandatórios funcionam melhor que os voluntários, o governo escalonou até 2017 a adoção de etiquetas de consumo. Trata-se de decisão contraditória e agravada pela falta de fiscalização. Basta ir aos salões das concessionárias: relativamente raro ver etiquetas e muito menos alguém disposto a esclarecer dúvidas dos consumidores.


RODA VIVA


DOIS lançamentos de peso estão na programação da VW este ano: a reestilização do Fox (inclusive versão CrossFox) e a picape Saveiro cabine dupla (permanecerá apenas com duas portas; duas a mais sairia muito caro). Previsão para primeiro e segundo semestre, respectivamente. Produção do up! 2-portas já começou e vendas, fim de março. Em seguida, câmbio automatizado.

FAMÍLIA Peugeot agora partilha controle da PSA Peugeot Citroën com chinesa Dongfeng e governo francês. Atuação de famílias no setor, entretanto, ainda continua bem forte. Em alguns casos, executivos do clã estão no comando direto mesmo em empresas de capital aberto. Entre outras BMW, Fiat, Ford, Hyundai, Suzuki, Toyota e VW (duas famílias, Porsche e Piëch).


OUTRA combinação preciosa de motor turbo (1,6 L/165 cv, mais potente que versão europeia) e hatch médio-compacto: Peugeot 308 não merece menos que isso. Atmosfera interna do carro é bem atraente. Suspensões, freios, direção e câmbio automático de seis marchas formam conjunto muito equilibrado. Só as portas, ao bater, deveriam ter sonoridade encorpada.

COSTUMA se dizer que “apenas” em quatro Estados o etanol tem preço competitivo em relação à gasolina, na maior parte do ano. São eles São Paulo, Paraná, Goiás e Mato Grosso do Sul. Há um pormenor esquecido: interessa saber a frota que pode usufruir. No caso, representam quase 50% (47%, em 2013) do total de veículos em circulação no País. Muda de figura.

CONDIÇÕES de concorrência levaram os bancos controlados pelos fabricantes a manter a taxa de juros quase estável (subiu de 1,25% para 1,27% ao mês), de 2012 para 2013. Isso apesar da disparada da taxa básica de juros (Selic). Mesmo comportamento no varejo: de 1,52% para 1,62% ao mês. Cenário deve se repetir em 2014.

Fernando Calmon (fernando@calmon.jor.br), jornalista especializado desde 1967, engenheiro, palestrante e consultor em assuntos técnicos e de mercado nas áreas automobilística e de comunicação. Sua coluna automobilística semanal Alta Roda começou em 1º de maio de 1999. É publicada em uma rede nacional de 98 jornais, sites e revistas. É, ainda, correspondente no Brasil do site just-auto (Inglaterra).



Jaguar lança XFR-S Sportbrake


A perua Jaguar XF Sportbrake passa a fazer parte da linha esportiva R-S da marca inglesa, adotando diferenciais estéticos similares ao XFR-S Sedan. A cor Ultra Blue (há ainda as opções Ultimate Black, Stratus Grey, Polaris White e Italian Racing Red), as rodas aro 20'' de seis raios "Varuna" e o novo conjunto aerodinâmico são destaques externos da Sportbrake.

Seu motor 5.0 V8 Supercharged, utilizado também no F-Type mais arisco, entrega 550 cavalos e torque de 69,4 kgfm, que a levam de 0 a 100 km/h em 4,8 segundos e a fazem atingir 300 km/h (velocidade máxima limitada eletronicamente).


quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

MINI apresenta Clubman Concept no Salão de Genebra


A MINI mostra o carro-conceito Clubman baseado na nova geração do Cooper - agora com seis portas (as quatro laterais somam-se às duas traseiras, que se abrem em direções opostas). Diferentemente do Clubman anterior, com duas portas e jeitinho de station wagon, o modelo a ser apresentado no Salão de Genebra é mais assemelhado a um hatchback, e cresceu 26 centímetros no comprimento e cerca de 17 cm na largura.



As lanternas (com o logotipo MINI nas extremidades) possuem formato similar ao Countryman, porém dispostas na horizontal, o que tornou o estilo da traseira pouco familiar em relação à atual linha. Já o design interno segue o novo Cooper, com mais ousadias. O ambiente mescla as cores azul, vermelha e preta; há espaço para cinco passageiros e teto panorâmico em duas partes.



Jeep lança Compass 2014 no Brasil


Chegando timidamente às concessionárias Chrysler/Jeep/Dodge/RAM, o Compass 2014 ostenta novidades visuais. Em relação ao anterior (ao lado, lançado em 2012), o utilitário ganha faróis com máscara negra, lanternas escurecidas, rodas aro 18'' na cor preta, quadro de instrumentos com novo grafismo e inscrição prateada acima do porta-luvas com os logotipos "Compass" e "Jeep".

O Compass 2014 vem equipado com para-brisa com isolamento acústico, 4 airbags (frontais e de cortina), sistema de som com disqueteira para seis CDs, MP3/WMA e DVD Player, entradas auxiliar, USB e Bluetooth, com comandos de voz; alarme, ar-condicionado automático, apoio de braços central dianteiro deslizante com porta-objetos, assistente de partida em subidas, controle de tração e de velocidade de cruzeiro, correção eletrônica de rolagem da carroceria, espelhos retrovisores externos elétricos e aquecíveis, faróis com regulagem de altura, ABS e freios a disco nas quatro rodas, lanterna de emergência de LEDs portátil e recarregável, pontos de fixação de cadeirinhas infantis (Latch/Isofix), porta-copos dianteiros com iluminação, travamento elétrico das portas, tampa de combustível com sensor de velocidade e volante regulável em altura, entre outros itens.


Seu motor 2.0 de quatro cilindros produz 156 cavalos e 19,4 kgfm de torque. Atuando em conjunto com o câmbio CVT2 continuamente variável de seis marchas "virtuais" o torna capaz de fazer até 9,8 km/l na cidade, com gasolina. O Compass 2014 chega ao mercado brasileiro pelo preço de R$ 102 100.




Enviado por Henrique Rodriguez

Curta a página do Auto REALIDADE!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...