Destaques do Auto REALIDADE

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Latin NCAP avalia segurança de Renault Duster e Nissan Tiida


Na segunda rodada de avaliações promovida pelo Latin NCAP durante o mês de setembro, os modelos que passaram pelos testes de colisão tiveram quantidade de estrelas igual de proteção a adultos e crianças, porém com recepções opostas. A versão básica da Renault Duster, fabricada e adquirida na Colômbia, é oferecida atualmente só com airbag para o motorista; na colisão frontal a 64 km/h com 40% da área frontal se chocando contra uma barreira deformável, conseguiu quatro estrelas para a proteção do ocupante adulto (uma a menos que seu principal rival, o Ford EcoSport) e duas estrelas para a proteção de crianças em cadeirinhas infantis.



Este modelo apresenta proteção abaixo do esperado para a zona peitoral dos passageiros adultos. O carona poderia ter chocado sua cabeça contra o painel, já que esta versão não conta com airbag duplo. Apesar do manual do proprietário indicar que existe uma versão do Duster com ancoragens ISOFIX para as cadeirinhas infantis, a unidade testada pelo Latin NCAP não dispunha das ancoragens. Enquanto isso, na Europa o Dacia Duster traz airbags frontais e laterais, fixação ISOFIX e conteole eletrônico de estabilidade desde a versão básica. Até agora, a Renault não manifestou a decisão de remover a versão testada pelo Latin NCAP do mercado colombiano.




Já o Nissan Tiida Sedan, fabricado e adquirido no México, melhorou seu nível de proteção com a adoção de airbags frontais e pré-tensionadores dianteiros dos cintos de segurança, atingindo com mais facilidade as quatro estrelas de proteção a adultos e duas estrelas em proteção para crianças. A estrutura do veículo foi classificada como estável; a melhoria no resultado veio após a classificação "zero estrelas" para o Tiida Sedan básico oferecido sem airbags, no início de 2015. Vale informar que a unidade utilizada para o crash-test foi cedida pela Nissan.



María Fernanda Rodríguez, presidente do Latin NCAP, comenta: “Dou as boas-vindas à iniciativa dos fabricantes que fazem questão de atingir boas qualificações para os ocupantes adultos, aprimorando os equipamentos das versões padrão oferecidas aos consumidores. Ao contrário, decepciona-me saber que esses fabricantes destinam, apenas, os esforços aos ocupantes adultos relegando, totalmente, a segurança infantil. Fico preocupada, também, ao saber que são gerados resultados de duas estrelas, e pergunto-me se eles deixariam que seus filhos viajassem nesses carros que não proporcionam boa proteção em uma batida. Em outras regiões do mundo os fabricantes se importam com a segurança infantil, e na América Latina e no Caribe isso não é uma prioridade para eles. Tomara que esta triste realidade seja modificada logo”.

Alejandro Furas, Secretário Geral do Latin NCAP, complementa: “A incorporação do equipamento de segurança de duplo airbags e pretensores de cintos de segurança por parte da Nissan é alentador. Porém, é muito decepcionante ver modelos iguais, como a Duster, vendidos com menos equipamento de segurança na América Latina que na Europa. Infelizmente, a proteção do ocupante infantil é ainda muito baixa na região. O Latin NCAP aumentará seus requisitos de testes em 2016 para ajudar a elevar a segurança infantil e para que seja uma prioridade para os fabricantes. O Latin NCAP continua a alentar os governos da região a exigir novas melhorias em relação à segurança em todos os mercados da América Latina e do Caribe na antessala da “Segunda Conferência de Alto Nível Mundial sobre Segurança Viária: hora de resultados”, que será comemorada, em novembro, em Brasília. O Latin NCAP apoia firmemente o chamado realizado pelo Global NCAP para democratizar a segurança dos veículos, garantindo que os consumidores da América Latina e do Caribe tenham acesso aos mesmos níveis de desempenho de segurança que os da América do Norte e da Europa".

O Latin NCAP informa que apresentará mais resultados em 2015, nos meses de novembro e dezembro. 

Chevrolet lança Cruze 2016, com sistema OnStar


Enquanto a geração renovada do Chevrolet Cruze não chega, a montadora trata de aprimorar a linha 2016 dos modelos Sedan e Sport6, que passam a contar com o sistema OnStar em todas as versões. Este recurso está anexado ao retrovisor interno e possui diversas aplicações. Por meio de um botão, os ocupantes entram em contato com a central de atendimento que funciona 24 horas por dia e permite fazer consultas sobre diversos temas: previsão do tempo, placar do jogo de futebol, cotação do dólar... também é possível realizar reservas em restaurantes, salões de beleza e outros estabelecimentos, além de consultar pontos de interesse, conferir as condições de tráfego em tempo real, receber mensagem de alerta em dias de rodízio e solicitar o envio da rota de GPS para o endereço desejado.


Caso o Cruze se envolva em um acidente com acionamento dos airbags, uma mensagem automática com a localização do veículo é enviada ao Centro de Atendimento OnStar, que tentará contatar os ocupantes para entender a ocorrência e oferecer o suporte de terceiros mais adequado para aquela situação (ambulância, bombeiro, guincho, etc.). O resgate pode ser enviado mesmo que ninguém no veículo responda à chamada. Em situações de emergência, o atendimento na central de atendimento é priorizado; também é possível solicitar atendimento ao Chevrolet Road Service em caso de pane mecânica e elétrica, reboque ou auxílio para a troca de um pneu furado.


Sensores internos são capazes de detectar situações de arrombamento e enviar um sinal à central que entra em contato com o proprietário para verificar o fato e dar sequência na operação de busca. É possível observar o deslocamento do carro roubado via satélite e enviar um comando remoto de redução gradual da velocidade ou até de bloqueio total do motor para facilitar a recuperação pela polícia. Caso o motorista queira ser monitorado durante viagens e passeios pela cidade ou na estrada, basta solicitar que um atendente faça o acompanhamento via satélite ao longo do trajeto. O Centro de Atendimento OnStar também pode indicar a uma pessoa cadastrada, por telefone, quando o automóvel chegar ao ponto de destino - recurso útil para pessoas que sentem-se mais tranquilas de saber que seus familiares chegaram com segurança ao destino.


O proprietário do Chevrolet equipado com OnStar pode usar seu smartphone com o aplicativo instalado para travar e destravar as portas, acender as luzes e buzinar 10 vezes (para encontrar o carro em um estacionamento), saber quando o veículo inicia uma nova movimentação, qual é a sua localização em tempo real e pedir para ser avisado quando o velocímetro ultrapassar o limite de velocidade determinado.


A Chevrolet oferece como cortesia o serviço OnStar por 12 meses. O processo de habilitação deve ser iniciado na concessionária; logo após, o cliente recebe um e-mail para finalizar seu cadastro e dar seu aval para a ativação. Para funcionar, os serviços dependem de cobertura da rede celular e da disponibilidade de sinal de GPS.


Na linha 2016, o Cruze ganha as opções de cores Cinza Graphite (inaugurada na série homônima do Cobalt) e Bege Pepper Dust, ambas metálicas. O câmbio automático de seis marchas passa a ser item de série em todas as versões. Foram também incluídos novos acessórios, como suporte para tablet e dois tipos de cadeirinhas infantis compatíveis com o sistema ISOFIX.


A versão LTZ, completa, conta com comandos de abertura e fechamento dos vidros e partida à distância, retrovisores externos com rebatimento elétrico, sistema multimídia MyLink com Bluetooth, GPS e comandos de voz em português; além de bancos, portas e painéis revestidos em material bicolor (Brownstone e Jet Black) com costura pespontada. Na versão LT, o Cruze vem equipado com controles eletrônicos de tração e estabilidade (ESP), controlador da velocidade de cruzeiro, airbags frontais e laterais, volante com regulagem de altura e profundidade, freios ABS com assistência de frenagem de urgência, cinto de segurança de três pontos para os 5 ocupantes, ar-condicionado com controle eletrônico de temperatura, direção elétrica progressiva, computador de bordo e bancos com ajuste lombar.


Também estão disponíveis equipamentos como sensor de chuva e de luminosidade, câmera de ré com gráfico para o auxílio a manobras, airbags de cortina, retrovisor interno eletrocrômico, chave presencial para abertura das portas e ignição do motor por meio do botão Start/Stop no painel.


O motor permanece o 1.8 Ecotec Flex, que rende 144 cavalos com etanol e conta com cabeçote com duplo comando de válvulas continuamente variável, coletor de admissão variável e está aliada à transmissão automática adaptativa de seis velocidades, capaz de realizar reduções duplas e triplas quase que instantaneamente e ter as trocas feitas de forma manual. No Brasil, desde o lançamento do Cruze (em setembro de 2011) mais de 160 mil unidades foram emplacadas, somando Sedan e Sport6.


terça-feira, 29 de setembro de 2015

Fiat confirma chegada da picape Toro para 2016


Incomodada com a apresentação da picape Renault Duster Oroch, a Fiat antecipa a primeira imagem do Toro, designado como Sport Utility Pick-up (SUP) e que será apresentado ao Brasil no início do próximo ano. A produção do modelo ocorrerá na planta de Goiana (Pernambuco), juntamente com o Jeep Renegade. Sua frente confirma o parentesco com o carro-conceito FCC4 apresentado no Salão de São Paulo em 2014: luzes diurnas na parte superior, faróis principais logo abaixo (integrados à ampla grade do para-choque) e para-choque robusto.

O Fiat Toro promete ser uma picape com dirigibilidade de SUV - em outras palavras, do Renegade, com quem compartilha a parte frontal da plataforma, os motores 1.8 Flex (que deverá receber incrementos de potência e torque) e 2.0 Turbodiesel, além de componentes do interior.

Renault Duster Oroch: picape cabine-dupla chega partindo de R$ 62 290



Desde a década de 1980, com a comercialização da Engerauto Duo (baseada na Ford Pampa), a fórmula da picape compacta com espaço para mais de 2 pessoas vem sendo reinventada no Brasil. Em 2009, chegou a primeira pick-up de série com espaço para quatro pessoas, a Fiat Strada. Passados quatro anos, o modelo recebeu uma terceira porta (embora o espaço interno se mantivesse o mesmo), e em 2014 foi a vez da VW Saveiro ganhar a opção cabine dupla - a primeira que se propõe a levar 5 pessoas, porém com apenas duas portas. Agora, a Renault inaugura o segmento das picapes de 4 portas, entre as compactas e as médias - maior que Saveiro e Strada, e menor que Hilux e S10 - é a Duster Oroch [pronuncia-se Ôrók], que procura atender tanto o público que anda na cidade, quanto quem efetivamente utiliza a caçamba.


Verdade seja dita: a Oroch de produção é uma adaptação do Renault Duster, sem muitas das ousadias visuais do carro-conceito exibido no Salão de São Paulo. A picape fabricada em São José dos Pinhais (PR) traz suspensão traseira multilink, entre-eixos maior em relação ao Duster e novo acerto de direção para ser utilizada de caçamba vazia ou carregada. Foram demandadas 4800 horas de desenvolvimento e 720 mil km de testes na França, Brasil e Argentina.


De frente e lateralmente (até as portas), a Duster Oroch não nega o parentesco com o utilitário reestilizado este ano; já a traseira tem elementos do carro-conceito, como o formato das lanternas e da tampa da caçamba, além do balanço traseiro alongado. Com 1,35 metro de comprimento e largura de 1,17 m, a caçamba acomoda 683 litros e carga útil de 650 quilos, quem achar a caçamba pequena terá à disposição um extensor que permite levar objetos até 60,3 cm mais compridos, aumentando a capacidade em 306 litros. Há ainda oito anéis de fixação (que suportam 50 kg), proteção de plástico de série e tampa da caçamba que suporta até 80 quilos.


Serão oferecidas três versões - Expression 1.6 16v, Expression 2.0 16v (ambas com câmbio manual de 5 marchas) e Dynamique 2.0 16v, com o câmbio manual de 6 marchas que equipa a versão 4WD do Duster. Para retirar o estepe (que fica na parte de baixo da carroceria), é necessária a chave do veículo e a tampa da caçamba aberta.

A picape conta com pneus 215/65 de uso misto, altura em relação ao solo de 206 milímetros e ângulos de entrada de 26º e saída de 20 graus.


A Renault acredita que, com o lançamento da Oroch, serão atraídos os clientes de Strada e Saveiro (por ser mais espaçosa e contar com 4 portas), proprietários que possuem uma picape para o trabalho (e que serão atendidos pela versão Expression 1.6, que promete oferecer gastos de manutenção baixos) e até clientes que nunca pensaram em uma picape, mas apreciam uma aventura e a prática de esportes.



A Oroch ganha 15 centímetros na distância entre-eixos em relação ao Duster, e 36 cm a mais no comprimento, passando a medir 4,69 m em comprimento, 2 metros de largura (com espelhos), 1,69 metro de altura e 2,83 m da distância entre-eixos. Quem senta atrás possui 87,7 cm de espaço para cabeça e espaço para joelhos de 15 cm.



Internamente, a Oroch tem ambiente similar ao Duster (diferenciando-se pelos novos estofamentos), oferecendo desde a versão Expression 1.6 itens como airbag duplo, freios com ABS, direção hidráulica, travas elétricas, volante com regulagem da altura, ar-condicionado, rodas aro 16'' de liga leve na cor “Alumínio”, alerta sonoro de luzes acesas, rádio CD/MP3 com 4 alto falantes, entrada USB e Bluetooth; 4 vidros elétricos, alarme perimétrico, chave com comando de travamento, atalhos de áudio e celular na coluna de direção, banco do motorista com regulagem de altura, desembaçador do vidro traseiro, travamento automático das portas a 6 km/h, barras de teto (com capacidade de 80 quilos), santantônio e protetor de caçamba. Como opcionais, oferece retrovisores elétricos e faróis de neblina.


Já a versão Dynamique conta com sistema multimídia Media NAV Evolution com funções Eco-Coaching e Eco-Scoring, faróis de neblina, rodas aro 16'' na cor cinza escuro, controlador automático de velocidade, comando elétrico dos retrovisores, sensor de estacionamento traseiro, volante com revestimento em couro, computador de bordo (com consumo médio e instantâneo de combustível, autonomia, quantidade de combustível consumido, velocidade média e quilometragem total e parcial), indicador de temperatura externa e vidro do motorista com comando um-toque. O único opcional é o revestimento de couro para os bancos. 
´


A picape teve a parte traseira da cabine, incluindo a coluna C, reforçada. Também mudaram as longarinas, parede traseira da cabine e o assoalho. Os motores seguiram as evoluções em torque e potência que o Duster recebeu em maio deste ano, ambos com classificação “A” em consumo de combustível. O 1.6 16v rende 110/115 cavalos a 5750 rpm e torque de 15,1/15,9 kgfm a 2500 (com gasolina e etanol, respectivamente). A aceleração de 0 a 100 km/h se dá em 13,2 segundos com etanol, ou 14,3 s com gasolina; já a velocidade máxima é de 160 km/h com gasolina e 164 km/h com etanol. Em termos de consumo, registra com etanol 6,6 km/l na cidade e 7,5 km/l na estrada; com gasolina, os números melhoram para 9,6 km/l (cidade) e 10,9 km/l (estrada).


Já o motor 2.0 16v rende 143/148 cavalos a 5750 rpm e 20,2/20,9 kgfm de torque a 4000 rpm (com gasolina e etanol, nesta ordem). A picape acelera de 0 a 100 km/h em 9,7 segundos com etanol (!), ou 10,6 s usando gasolina. A velocidade máxima é de 178 km/h com gasolina e 186 km/l com etanol. Utilizando-se o combustível vegetal, os números de consumo são de 6,4 km/l na cidade e 7,3 km/l na estrada; com gasolina, faz-se 9,2 km/l na cidade e 10,8 km/l na estrada.



Para reduzir o consumo, estão disponíveis o EcoMode (acionado por um botão abaixo dos comandos de ar-condicionado, limita a potência e o torque do motor e reduz a potência do ar-condicionado, poupando cerca de 10% no consumo de combustível) e o Gear Shift Indicator (GSI), que acende no quadro de instrumentos, sugerindo reduzir ou aumentar a marcha.


A Duster Oroch também terá uma gama de acessórios que, além do mencionado extensor de caçamba, inclui suporte de bicicleta, barras de teto transversais, protetor do para-choque com faróis adicionais, o alargador de para-lamas, grade de proteção do vidro traseiro, capota marítima, estribos, apoio de braço central, caixa para caçamba, cooler 12 Volts, DVD portátil e câmera de ré.



Disponível nas opções de cores Branco Neige (sólida), Cinza Acier, Prata Etoile, Preto Nacré, Vermelho Fogo e o Verde Esmeralda de lançamento (metálicas), a Duster Oroch terá garantia de 3 anos e será comercializada a partir de outubro, partindo de R$ 62 290 na versão Expression 1.6 sem opcionais, subindo para R$ 66 790 na versão Dynamique 1.6, chegando a R$ 70 790 na versão Dynamique 2.0 (pulando para R$ 72 490, incluindo os bancos de couro).


Audi mostra o SUV e-tron quattro concept


Investindo cada vez mais nos modelos elétricos, a Audi revela no Salão de Frankfurt (Alemanha) o carro-conceito e-tron quattro, um utilitário (bem) esportivo de propulsão puramente elétrica - e que, assegura a montadora, estará à venda já no início de 2018, certamente com modificações em sua carroceria. Visualmente, destaca-se a cor azul, que é na verdade verde ("electric green"), a iluminação que combina lasers e LEDs orgânicos, além das fendas aerodinâmicas na carroceria (aerofólio traseiro, aberturas no capô e nos spoilers laterais, acima de 80 km/h, movimentam-se para diminuir a resistência da carroceria ao ar, chegando ao Cx de 0,25). O conceito possui 4,88 metros de comprimento, 1,93 m de largura e 1,54 metro de altura.


O e-tron quattro concept conta com três motores elétricos, um deles movimentando o eixo dianteiro, e outros dois impulsionando o eixo de trás. Rendem juntos 320 kW, mas a força pode, com o boost, chegar momentaneamente a 370 kW (equivalentes a 503 cavalos) e mais de 81 kgfm de torque (!), e que leva o SUV de 0 a 100 km/h em 4,6 segundos, com a velocidade máxima limitada eletronicamente a 210 km/h. As baterias, de 95 kWh, proporcionam autonomia de mais de 500 quilômetros; plugando o modelo em um carregador de 150 kW, a bateria é recarregada em apenas 50 minutos. Há ainda um projeto para o futuro de recarregar as baterias sem fios, por indução em uma vaga específica e com a ajuda dos painéis solares em seu teto.


Assim como os mais recentes projetos da Audi, o e-tron quattro é dotado do zFAS, que, através de radares, câmeras, scanner de lasers e sensores ultrassônicos, registra informações em tempo real do tráfego e ajusta os sistemas de assistência ao volante. O Virtual Cockpit, já presente em TT e A4, está no conceito em sua versão com displays curvados e compostos por LEDs orgânicos, que substituem a profusão de botões (inclusive os que regulam os faróis e o ar-condicionado). Destaque para o porta-malas de 615 litros, capacidade surpreendente para um automóvel elétrico.


Curta a página do Auto REALIDADE!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...