Destaques do Auto REALIDADE

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Em detalhes: Chevrolet Cruze LTZ 1 Turbo 2017


Após a apresentação a (parte) da imprensa especializada - uma vez que a montadora ignora solenemente nosso site - o Chevrolet Cruze começa a ser regularmente distribuído nas concessionárias brasileiras. Mesmo mais de dois meses depois de compará-lo a modelos premium como o Mercedes Classe C em suas propagandas, a segunda geração do sedan chega ao Piauí antes de seu real arquirrival, o Honda Civic, previsto para o fim do mês. O modelo das imagens é um "LTZ 1" na cor Branco Abalonne, perolizada.


Por fora, nada lembra a geração antiga: a frente com vincos acentuados, grades com quinas pontudas e faróis afilados são o que o Onix sempre quis ser na reestilização da linha 2017, mas por limitações de custo recebeu parcialmente estes elementos. As rodas aro 17'' em tom cinza-chumbo, calçadas com pneus 215/50, reforçam o caráter esportivo da lateral, marcada pelas janelas contornadas por um friso cromado e pelos discretos vincos que passam pelas portas. Já a traseira é mais recatada, com lanternas genéricas - os vincos na tampa do porta-malas quebram o aspecto discreto.



Sob alguns aspectos, o Cruze lembra sedans da BMW e Mercedes, como na alavanca do capô que precisa ser puxada duas vezes (isto auxilia a abertura, mas ainda assim é preciso encaixar a vareta) e na localização da bateria, no porta-malas. Por outro lado, o Cruze brasileiro (que na verdade é argentino, produzido em Rosario) recebeu alterações em relação ao modelo norte-americano. O console central, por exemplo, é "exclusivo" para acomodar o freio de mão manual. Os porta-copos, que originalmente ficavam do lado direito da alavanca de câmbio, passaram para a parte de trás, e o botão de destravamento do porta-malas na porta do motorista foi suprimido.


Em termos de acabamento, o Cruze traz faixas de couro costurado no painel, nas portas e nos bancos, além de plásticos rígidos pintados de cinza (pomposamente batizados "Dark Atmosphere"), apliques cromados e tecido no forro de teto. Há nichos para colocar objetos (gavetinha abaixo dos comandos de luzes, porta-objetos nas entradas USB/auxiliar e porta-copos espalhados pela cabine), todos em plástico rígido, inclusive o porta-luvas - já no apoio de braço frontal deslizante há um tapete em carpete.


O ar-condicionado é do tipo automático digital, com uma zona e visores incorporados aos botões de ajuste da intensidade da ventilação e temperatura, assim como na S10. Os demais comandos (recirculação, direcionamento do ar, desembaçador e modo automático) estão dispostos em botões físicos. 


Os instrumentos só acendem após ser acionada a ignição (o Cruze não dispõe de um modo que permita o deslocamento do câmbio e o acionamento da ventilação com o carro desligado). Na grafia do conta-giros, o ponteiro para no "auto stop" quando está acionado o Start-Stop (que só pode ser desativado com o câmbio em modo sequencial). Ao centro está o display do computador de bordo, com os seguintes modos: "Informações Gerais do Veículo" (velocímetro, hodômetro parcial, consumo médio de 2 percursos, autonomia, consumo instantâneo, vida útil do óleo, monitoramento de pressão dos pneus, velocidade média, cronômetro, indicador de distância do veículo da frente (em segundos), tensão da bateria, tendência de consumo nos últimos 50 km (em km/l) e indicador ECO), "Informações do Áudio" (faixas, estações e seleção da fonte de áudio), Informações do Telefone (chamadas telefônicas, visualização dos contatos, indicador da bateria e sinal do celular pareado), "Informações de Navegação" (GPS) e um "coringa" com função de aviso de velocidade e seleção das telas a serem exibidas em "Informações Gerais do Veículo". 


O sistema multimídia MyLink de segunda geração dispõe de tela sensível ao toque de 8 polegadas, espelhamento da tela de smartphones compatíveis com Android Auto e Apple CarPlay, rádio, entrada USB e auxiliar, duas tomadas 12 Volts, Bluetooth com streaming de áudio, mudança de estação e ajuste do volume na parte de trás do volante, além de 4 alto-falantes, dois tweeters e câmera de ré.


Outros equipamentos de série: chave-canivete com acionamento remoto do motor e botão de destravamento da tampa do porta-malas, acendimento automático dos faróis, assistente de partida em aclives, coluna de direção com regulagem em altura e profundidade, controlador de velocidade de cruzeiro, direção elétrica progressiva, sensor de aproximação na chave, retrovisores externos elétricos, aquecíveis e com rebatimento elétrico, espelho interno eletrocrômico, luzes de cortesia no porta-luvas, nos para-sóis e no porta-malas, luzes de leitura frontais e traseira, porta-revistas atrás dos bancos dianteiros, sensor de chuva, "leve-me" (acendimento automático dos faróis ao destravar as portas) e "siga-me" (faróis permanecem acesos por alguns segundos após o travamento das portas), tapetes em carpete, travas e vidros elétricos com acionamento por um toque, recurso anti-esmagamento e fechamento/abertura pela chave, banco do motorista com regulagem de manual de altura e banco traseiro bipartido e rebatível.


São itens de segurança de série no Cruze LTZ: airbags frontais, laterais e de cortina, alarme, monitoramento da pressão dos pneus, alerta sonoro em caso de não-uso dos cintos dianteiros, controles de tração e estabilidade, cintos de 3 pontos e apoios de cabeça ajustáveis para os cinco ocupante, indicador de nível de vida útil do óleo, regulagem de altura dos faróis, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, fixação de cadeirinhas para crianças (ISOFIX) e freios ABS com EBD e assistência de frenagem de urgência (Panic Brake Assist).



O motor 1.4 ECOTEC Turbo tem o diferencial de rodar com gasolina e etanol, enquanto o 1.5 turbinado do novo Civic e o 1.4 TSI do Jetta só trabalham com gasolina. No Cruze, são 150 cavalos a 5600 rpm e 24,0 kgfm de torque a 2100 rpm com gasolina ou 153 cv a 5200 rpm e torque de 24,5 kgfm a 2000 rpm com etanol. O câmbio é sempre automático de 6 marchas, com opção de trocas sequenciais (Active Select) unicamente pela alavanca de câmbio.


Nesta geração, o Cruze possui 4,66 metros de comprimento, largura de 2,04 m (contando os retrovisores), altura de 1,48 metro, distância entre-eixos de 2,70 m e tanque de combustível de 52 litros. Mesmo com estepe de uso temporário, o porta-malas acomoda 440 litros, enquanto o anterior era 10 L maior. O peso em ordem de marcha do modelo 2017 é de 1321 quilos.


O Cruze LTZ parte de R$ 96.990, sendo que a cor perolizada representa um acréscimo de R$ 1550. As cores metálicas Cinza Satin Steel, Prata Switchblade e Preto Ouro Negro somam R$ 1500, enquanto a tonalidade Vermelho Edible Berries (cor de lançamento, metálica) não representa custo adicional - ironicamente, o Branco Summit sólido é pago à parte, por R$ 650. A Chevrolet promete custo de manutenção 15% inferior em relação ao Cruze antigo até os 60 mil quilômetros.

Um comentário:

Na seção de comentários do Auto REALIDADE você está livre para escrever o que você achou da matéria.

Caso você queira fazer perguntas maiores, incluir fotos ou tirar dúvidas, envie e-mail para blogautorealidade@hotmail.com

Sua opinião é muito importante para o Auto REALIDADE! Estamos a disposição no Facebook (http://www.facebook.com/AutoREALIDADE), no Instagram (http://www.instagram.com/autorealidade e no Twitter (@AutoREALIDADE).

Curta a página do Auto REALIDADE!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...