Avaliação do novo Mercedes-Benz Classe A


O Mercedes-Benz Classe A é dono de uma história muito peculiar. Ele foi lançado em 1997 como o menor carro da marca e um jeitão monovolume. Mas seu capotamento no "teste do alce" da revista sueca Teknikens Värld fez a montadora suspender as vendas, adicionar controle eletrônico de estabilidade e ajustar a suspensão. No Brasil, o Classe A passou a ser fabricado em Juiz de Fora (MG) em 1999, com motor 1.6 ou 1.9, mas não obteve muito êxito em vendas e a fabricação nacional terminou em agosto de 2005. Ainda naquele ano chegava ao Brasil a segunda geração do Classe A, totalmente reformulado mas ainda com espírito de minivan. Agora a Mercedes aposta na terceira geração do Classe A, que está sendo oferecido nas versões Urban e Style, e assumiu o lado hatchback esportivo (na Europa, existe o A 45 AMG, com motor 2.0 e 360 cavalos). A campanha publicitária para internet utilizou o funk Passinho do Volante, de MC Federado e os Leleks (veja aqui). Em algumas localidades do Brasil, há fila de espera pelo novo Classe A - e o Auto REALIDADE conferiu os atributos do novo modelo.


Seu belo design traz formas harmoniosas e atuais: sua apresentação mundial ocorreu no Salão de Genebra de 2012, inspirado no carro-conceito de duas portas revelado em 2011 (à esquerda). O realce é dado pela cor Azul dos Mares do Sul (!), embora o Branco Cirrus da unidade acima também seja interessante. A carroceria também se destaca pela aerodinâmica: coeficiente de 0.27 (no BMW Série 1, o valor é de 0.29 - quanto menor o número, menor o arrasto aerodinâmico). O modelo das imagens é o Urban, que se distingue do Style pela grade com filetes cromados e prateados, ausência dos faróis de neblina (presente no Style), faróis bixenônio e lanternas com LEDs, rodas aro 17'', dupla saída de escape e acabamento interno diferenciado, com instrumentos de fundo branco e revestimentos diferenciados.



Ao abrir a porta, o motorista é recebido pelo computador de bordo com tela colorida entre os instrumentos, soleiras iluminadas, bancos altos, tipo concha, e uma tela touchscreen de 5,8 polegadas que lembra bastante um tablet, por ficar "saltada" do console. O painel traz estilo jovial e boa ergonomia. Entre os bancos, não há alavanca de câmbio nem do freio de mão, liberando espaços para porta-objetos e dois porta-copos. Caso o motorista apresente sinais de fadiga entre 80 e 180 km/h, o sistema Attention Assist sugere uma pausa, mostrando o símbolo de uma xícara de café. De série, o A 200 Urban traz sete airbags (dois frontais, dois laterais dianteiros, dois de cortina e um para os joelhos do motorista), ar-condicionado digital, pneus Run-Flat (podem rodar mesmo estourados), sistema de som "Audio 20" com rádio/CD Player MP3/WMA/AAC, Bluetooth, entradas Aux-In e USB, comandos no volante e oito alto-falantes; monitoramento da pressão dos pneus, luzes de freio adaptativas, piloto automático (Tempomat) e limitador de velocidade (Speedtronic), sensor de chuva, limpadores de faróis, volante revestido em couro, borboletas para trocas de marcha, tapetes de veludo e bancos de couro sintético com detalhes em tecido. Alguns equipamentos fazem falta, como GPS, sensores de estacionamento ou câmera de ré (afinal, os encostos altos prejudicam um pouco a visão traseira) e, pelo preço, teto solar panorâmico e ar-condicionado com ajuste de temperatura individual para motorista e passageiro seriam muito bem-vindos.


O espaço interno é bom para quatro adultos (há cintos de três pontos e encostos de cabeça para cinco pessoas, mas o encosto central é estreito e há espaço reduzido para as pernas). Seu porta-malas comporta 341 litros, valor coerente com sua proposta. Ao rebater o banco de trás (bipartido), a capacidade é de 1157 litros e a superfície quase plana chega a quase 1,24 metro de comprimento. O tanque comporta 56 litros.

Apesar da nomenclatura "A 200", que poderia indicar a existência de motor 2.0, seu propulsor é um 1.6 Turbo com injeção direta de gasolina, quatro cilindros e comando de válvulas variável. Ele entrega 156 cavalos a 5300 rpm e 25,5 kgfm de torque disponíveis a 1250 rotações por minuto, suficiente para fazer de 0 a 100 km/h em 8,3 segundos e alcançar 224 km/h. O câmbio automatizado 7G-DCT traz dupla embreagem e sete marchas, com alavanca à direita da coluna de direção. Seu consumo médio quase chegou à 13,5 km/l, favorecido pelo sistema Start-Stop, que desliga o motor em paradas no trânsito.


A versão Style do Classe A é vendida por R$ 99 990 e, apesar de ser mais barata, possui menos procura que a versão Urban, por R$ 109 990. Os valores incluem pintura metálica e frete; tecnicamente, são válidos até o fim de setembro. São três cores sólidas disponíveis (Vermelho Júpiter, Branco Cirrus, Preto Noite) e seis cores metalizadas (Azul dos Mares do Sul, Preto Cosmos, Prata Pollar, Cinza Montanha, Cinza Monolith e Azul Universo). O Classe A mede 4,29 metros de comprimento, 2,02 m de largura (com retrovisores), 1,43 metro de altura e 2,70 metros de entre-eixos.



Os principais concorrentes do Mercedes A 200 são o Audi A3 1.8 TFSI (recém-lançado e com 180 cavalos; o Sport, de duas portas, custa R$ 115 950, enquanto o Sportback [quatro portas] sai por R$ 124 500) e o BMW 118i (também 1.6, com 170 cavalos, tração traseira e posição de dirigir mais esportiva, por R$ 106 950 na versão de entrada e R$ 119 950 com o pacote Sport Line). Por aproximação, também concorrem com o Classe A: VW Golf nas versões mais caras (1.4 de 140 cv Highline Exclusive, por R$ 92 990 [e altíssimos R$ 116 652 com todos os opcionais], GTI Exclusive 2.0 de 220 cv, por R$ 110 990) e Citroën DS4 (1.6 THP de 165 cv, custando R$ 101 210).

Veredicto: O Classe A se reinventou e está entre as opções mais interessantes de hatches médios premium, não só pelo design moderno e pelo status que o símbolo da Mercedes-Benz proporciona, mas pelo conforto ao rodar, grande lista de equipamentos e uma bela união entre desempenho e consumo. O.K., alguns itens fazem falta nele, e quem busca mais esportividade deve ficar com o novo Golf GTI ou o BMW Série 1. Ainda assim, o A 200 Urban traz o "fator novidade" aliado a um bom custo-benefício.

O A 200 Urban tirou... 

Design_ 9,5 
Espaço interno_ 8,5 
Conforto_ 9,5 
Acabamento_ 9,5 
Equipamentos_ 9,0 
Desempenho_ 9,0 
Consumo_ 9,5 
Custo-benefício_ 8,5 

Nota Final_ 9,1




Confira mais imagens do Mercedes-Benz Classe A!











Comentários