Como é a sensação de dirigir o Chevrolet Camaro SS V8!


Em sua quinta geração, o Chevrolet Camaro viveu seu auge no mercado brasileiro. Sem a rivalidade direta com o Ford Mustang (que só passou a ser oficialmente importado em 2018), o cupê da General Motors começou a ser comercializado em nosso País logo após sua apresentação no Salão de São Paulo de 2010. Rapidamente se popularizou, graças à boa relação custo-diversão: acelerava junto com modelos bem mais caros - alguns deles custavam o dobro do preço do Camaro. O sucesso no filme Transformers também ajudou a alavancar o desejo de entusiastas de todas as idades.


Por se tratar de um modelo que em algumas regiões é trazido somente por encomenda, nós do Auto REALIDADE ainda não tínhamos guiado um Camaro. A oportunidade foi concedida pela Fred Veículos (Instagram @fredveiculos). Este exemplar, da versão SS V8, possui discretas modificações em relação ao modelo original, como as gravatinhas da Chevrolet com fundo preto, o engate traseiro e as rodas de 22 polegadas (com o mesmo estilo das originais, de 20 polegadas).


O Camaro ainda chama muita atenção pelas ruas, mesmo tantos anos após seu lançamento. O estilo derivado do carro-conceito apresentado no Salão de Detroit em 2006 teve alterações pequenas para se tornar carro de produção em série. A carroceria tem 4,84 metros de comprimento por 1,92 metro de altura.


O interior (fácil de ser acessado, apesar do 1,37 metro de altura da carroceria) tem estilo ousado, aspecto envolvente e algumas referências ao passado, como o estilo do volante de 3 raios, as cúpulas dos instrumentos com dígitos que acompanham a curvatura dos círculos e os instrumentos complementares na junção do painel com o console central que remetem aos Camaros dos anos 1960. 


Com revestimento em couro, o volante concentra comandos do controlador de velocidade à esquerda, comandos de som e telefone à direita, bem como paddle-shifts para trocas sequenciais de marcha com o câmbio na posição M.


A iluminação interna é toda em "Ice Blue", o tom adotado pelos Chevrolet na época. O computador de bordo, que inclui velocímetro digital, consumo médio (em litros por 100 quilômetros) e distâncias percorridas A e B, é complementado pelo HUD (head-up display), que projeta na altura dos olhos do motorista informações relevantes como o conta-giros e o velocímetro, e pode ter a altura ajustada ou ser desligado por um comando próximo ao tambor da ignição.


O sistema de som é assinado pela Boston Premium Audio. Inclui MP3 Player, disqueteira para 6 CDs, entrada USB, além de Bluetooth (unicamente para chamadas telefônicas). Já os comandos de ar-condicionado incluem o aquecimento para os bancos dianteiros.


Diante da alavanca de câmbio estão os quatro instrumentos analógicos complementares, que medem pressão e temperatura do óleo do motor, além da voltagem da bateria e temperatura do fluido de transmissão.


Por baixo do capô (com amortecimento) está o motor 6.2 V8 conta com desativação de quatro dos 8 cilindros quando o acelerador é pouco demandado, favorecendo o consumo de combustível e permitindo maior autonomia ao tanque de 71 litros. Entrega 406 cavalos e 56,7 kgfm de torque, força que leva os 1790 quilos do Camaro de 0 a 100 km/h em 4,8 segundos. A velocidade máxima é de 250 km/h, limitada eletronicamente.


Ao assumir o banco do motorista do Camaro (ajustável eletricamente em 8 posições), a primeira surpresa foi a boa usabilidade quando o acelerador é pouco demandado. Ainda que com rodas de 22 polegadas, o esportivo passa até bem pelas irregularidades do solo e esterça muito bem para um carro com estas dimensões (o rival Mustang acaba fazendo a frente longa ser mais sentida). A direção com assistência hidráulica tem boa calibração. A visibilidade pode ser considerada boa para um carro tão baixo e nas manobras de ré há o auxílio do sensor de estacionamento.


Em nosso test-drive aproveitei para acelerar mais, e é muito difícil não soltar uma interjeição quando o acelerador é pisado até o fundo. Assim como no Mustang, por uma fração de segundo o Camaro não libera essa força toda, visando segurança em casos de acionamentos involuntários do pedal. Mas logo em seguida, o ronco aumenta e o esportivo da Chevrolet ganha velocidade com muita facilidade.

É importante ressaltar que o Camaro traz um pacote de equipamentos de segurança que inclui airbags frontais, laterais dianteiros e de cortina, bem como freios ABS com EBD a disco ventilado nas quatro rodas assinados pela Brembo, fixações ISOFIX para cadeirinhas infantis e monitoramento de pressão dos pneus. A estabilidade é favorecida pelo esquema de suspensão independente nas quatro rodas.


Concluímos que o Camaro SS V8, além de ter presença pelas ruas, também é bem divertido - ao seu gosto, caso você escolha deixar os controles eletrônicos ativados ou menos atuantes. Com ronco instigante e uma lista de equipamentos com variados itens de conforto, ele justifica toda a legião de fãs que possui.




Comentários

Postar um comentário

Na seção de comentários do Auto REALIDADE você está livre para escrever o que você achou da matéria.

Caso você queira fazer perguntas maiores, incluir fotos ou tirar dúvidas, envie e-mail para blogautorealidade@hotmail.com

Sua opinião é muito importante para o Auto REALIDADE! Estamos a disposição no Facebook (http://www.facebook.com/AutoREALIDADE), no Instagram (http://www.instagram.com/autorealidade e no Twitter (@AutoREALIDADE).