Os detalhes da Chevrolet Spin LTZ 2019 com câmbio automático

Nissan Kicks é o grande destaque da marca no Salão de Los Angeles



Dono de uma trajetória mercadológica bem peculiar, o Nissan Kicks foi lançado no Brasil antes de todo o mundo, mas sua produção vinha do México. Quase exatamente um ano depois, em julho de 2017, começou a ser produzido nacionalmente, em Resende (RJ) - e neste meio-período ganhou as ruas de outros mercados latino-americanos e foi apresentado até na China. Agora, o Kicks chega a um dos mercados mais exigentes do mundo: o dos Estados Unidos. Lá, será uma das opções mais acessíveis do segmento, por cerca de US$ 19 mil na versão de entrada, e terá apresentação no Salão de Los Angeles entre os dias 1º e 10 de dezembro.

O Kicks chega às concessionárias dos EUA em junho de 2018 e substitui o Juke, dono de um visual polêmico. Externamente, o Nissan é praticamente idêntico ao modelo brasileiro, mas traz faróis com luzes de posição alaranjadas e mais opções de pintura em dois tons:  7 cores de carroceria e 5 combinações de dois tons: teto preto na carroceria branca, laranja ou vermelha e laranja com cinza, branco ou azul.


O que mais muda do Kicks norte-americano (que é fabricado no México) em relação ao brasileiro está na lista de equipamentos. Desde a versão S, que já traz o câmbio automático continuamente variável XTronic CVT (no Brasil há a opção manual de 5 marchas), o Kicks possui frenagem automática de emergência (aqui só disponível no SL e como opcional), controles de tração e estabilidade, auxiliar de partida em ladeiras, três entradas USB, barras longitudinais de teto, faróis com acendimento automático, 7 airbags (frontais, laterais, de cortina e para os joelhos do motorista), rodas de 16 polegadas de aço, Bluetooth para chamadas telefônicas e câmera de ré.


No Kicks SV norte-americano, além destes equipamentos, há: controle de chassi, monitoramento de veículos em pontos cegos, partida remota do motor, alerta de tráfego cruzado traseiro, rodas de alumínio de 17 polegadas com pneus 205/60, retrovisores elétricos com aquecimento, chave presencial com partida por botão, central multimídia com rádio SiriusXM e espelhamento da tela de celulares compatíveis com Android Auto e Apple CarPlay, aquecimento do assento traseiro, ar-condicionado automático e tela colorida de 7 polegadas integrada ao quadro de instrumentos.


O Kicks topo-de-linha chama-se SR, como era o March com apelo esportivo vendido entre 2011 e 2014 no Brasil. Conta com LEDs nas luzes de posição e faróis baixos, faróis de neblina, rodas aro 17'' com pneus 205/55, retrovisores com luzes de seta integradas e capas pintadas de preto, revestimentos de couro no volante e alavanca de câmbio, para-choques com insertos inferiores na cor da carroceria, Around View Monitor (câmera de visão em 360 graus), spoiler traseiro, entre outros itens.



Outra diferença importante está no motor 1.6, de 16 válvulas,  aspiração natural, 4 cilindros e controle continuamente variável de abertura das válvulas, que rende 126 cavalos (ante 114 do nosso Kicks) e torque de 15,9 kgfm (0,4 kgfm a mais).


Com o opcional Premium Package, o Kicks SR ganha o sistema de som Bose Personal Plus com 8 alto-falantes e amplificador digital de 6 canais, incluindo dois alto-falantes dentro do encosto de cabeça do motorista.


Comentários