Os detalhes da Chevrolet Spin LTZ 2019 com câmbio automático

Latin NCAP: Nissan Kicks obtém 4 estrelas, Murano tira 5 e Aveo zera



A oitava e última série de resultados de 2017 do Latin NCAP foi apresentada hoje. Foram avaliados o Murano e o Kicks, ambos com unidades cedidas pela Nissan, e, mesmo melhorado, um resultado de zero estrela para um dos carros mais vendidos no México, o Chevrolet Aveo. O Murano, fabricado para o mercado latino-americano, ofereceu claras melhoras no rendimento da segurança dos adultos, em comparação com o teste feito há um ano, embora continue devendo em termos de proteção a crianças.

O Nissan Kicks, recentemente nacionalizado, conseguiu quatro estrelas para a proteção de adultos e crianças. Já o Chevrolet Aveo, mesmo com dois airbags, cintos de três pontos em todas as posições e ancoragens ISOFIX de série, mostrou alta probabilidade de lesões com risco de morte nos testes. Vale lembrar que os impactos frontais são realizados com 40% da área frontal a 64 km/h, e os impactos laterais, a 50 km/h, contra barreiras deformáveis.




O Nissan Kicks ganhou quatro estrelas (nota 25,39 de 34 pontos possíveis) para adultos e também para crianças (37,41 pontos de 49 possíveis). O crossover compacto foi testado na versão S, com dois airbags de série. Vale lembrar que o Kicks oferece airbags laterais e de cortina como opcional para a versão SV e de série para o SL, que conta ainda com o opcional da frenagem automática de emergência. O desempenho foi considerado instável na estrutura do modelo e na área dos pés no teste de batida frontal, apresentando fraca proteção do peito. A proteção contra impactos laterais foi de adequada para boa, sendo aceitável em termos global, o que totalizou quatro estrelas para o adulto. O modelo oferece controle de estabilidade (opcional para a versão manual e de série no modelo CVT) que cumpre com os requisitos do Latin NCAP. As crianças receberam boa proteção nos impactos frontal e lateral, com as ancoragens ISOFIX com sinalização e a disponibilidade de cintos de três pontos para todos. Não há, contudo, interruptor de desativação do airbag do passageiro.



O Nissan Murano, produzido nos Estados Unidos, "cincou" na proteção dos adultos (28,72 de 34 pontos possíveis), mas obteve só três estrelas de proteção a crianças (34,66 de 49 possíveis). O Murano foi avaliado em 2016 pelo Latin NCAP, e, na ocasião, obteve apenas duas estrelas para os ocupantes adultos e quatro estrelas para os ocupantes crianças. Os resultados atuais são válidos para os Murano produzidos a partir de 6 de outubro de 2017. A estrutura na batida frontal foi melhorada e qualificada como estável.




No impacto lateral e de poste, a Nissan melhorou o modelo, para o airbag de cortina se ativar corretamente, garantindo rendimento melhor de segurança para os adultos. A diminuição de quatro para três estrelas na proteção das crianças é explicada pela variação sobre o limite de valores no teste dinâmico desses ocupantes, provavelmente devido à alteração no rendimento estrutural no teste de batida frontal. O Murano oferece sete airbags e controle de estabilidade de série.


O Chevrolet Aveo, agora atualizado com dois airbags de série, e produzido no México, foi testado em impacto frontal e lateral conforme os mais recentes protocolos do Latin NCAP. O resultado foi de zero estrela (0 de 34 pontos possíveis) para a proteção dos adultos e três estrelas (30,11 de 49 possíveis) para a proteção das crianças. A versão sem airbag desse modelo tinha sido avaliada pelo Latin NCAP em 2015 e obtido zero estrela para os ocupantes adultos. No mais recente teste de impacto frontal, o Aveo apresentou uma proteção fraca para o peito do motorista, mesmo contando com airbags. A estrutura do carro foi classificada como instável, inclusive na área dos pés. A intrusão da coluna de direção e dos pedais aumenta o risco de lesões ao motorista.



A proteção contra impactos laterais para os ocupantes adultos foi considerada de adequada para boa, apesar da alta penetração do carrinho no impacto lateral a 50 km/h. A proteção de crianças mostrou melhoras a respeito do modelo de 2015, pois na época as cadeirinhas foram instaladas usando os cintos de segurança como apoio e em 2017, o modelo traz ancoragens ISOFIX e top tether. A proteção oferecida para crianças nos impactos frontal e lateral foi boa. A redução dos pontos foi gerada pela falta de sinalização das ancoragens ISOFIX, conforme os requisitos do Latin NCAP, além de não ter interruptor de desativação do airbag do passageiro e pela falta de instruções e de compatibilidade com algumas cadeirinhas.


Alejandro Furas, Secretário Geral do Latin NCAP, disse:
"É alentador ver as melhoras da Nissan com o Murano, ganhando, rapidamente, um nível de cinco estrelas para adultos, bem como maiores níveis de segurança no Kicks. O Latin NCAP demonstrou, mais uma vez, que o fato de incorporar airbags não garante que um veículo seja seguro quando a estrutura é instável. Solicitamos à GM que proporcione à América Latina e ao Caribe os mesmos níveis de segurança oferecidos, de forma padrão, em outros mercados. Esses três resultados mostram, novamente, a relevância e os benefícios de testar todos os modelos disponibilizados no mercado, conseguindo que níveis mínimos de segurança globais sejam padrão para todos os consumidores da América Latina e do Caribe, antes que as regulações governamentais. Veículos mais seguros economizam tempo e salvam vidas.

O mercado está reagindo com antecipação e além dos requisitos governamentais, devido aos testes do Latin NCAP. O Latin NCAP faz questão de solicitar aos governos da América Latina e do Caribe que adoptem urgentemente os padrões do teste de impacto frontal e lateral da ONU, os padrões de Controle Eletrônico de Estabilidade e de proteção para pedestres. Assim sendo, pedimos que os testes do Latin NCAP sejam obrigatórios para todos os veículos do mercado, permitindo aos consumidores terem informação clara sobre a segurança oferecida pelo modelo que desejam comprar. Os consumidores da América Latina e do Caribe não deveriam pagar mais pela segurança global básica que é proporcionada às economias desenvolvidas".


Ricardo Morales Rubio, Presidente da Comissão Diretiva do Latin NCAP, disse:
“No encerramento deste ano 2017 foi percebida a boa reação dos fabricantes a respeito dos testes do Latin NCAP. As melhoras nos modelos do mercado são uma resposta antecipada aos resultados dos testes de colisão, por cima das exigências dos governos locais. Os novos modelos com melhores níveis de segurança atendem ao planejamento das marcas baseados no início do conceito do produto”.

Comentários