Os detalhes da Chevrolet Spin LTZ 2019 com câmbio automático

Comparativo: Nissan Kicks e Jeep Renegade têm trunfos distintos. Qual leva a melhor?


Texto | Júlio Max
Fotos | Júlio Max e Divulgação

No segmento de utilitários esportivos, estes dois modelos vêm competindo mano-a-mano pela preferência do consumidor. Quem chegou primeiro ao mercado foi o Jeep Renegade, em abril de 2015, com produção em Goiana (Pernambuco), poucos meses após sua estreia mundial. Cerca de um ano depois, os brasileiros conheceram o Nissan Kicks, que em seu primeiro ano de mercado veio importado do México e, em seguida, passou a ser produzido em Resende (Rio de Janeiro). Agora, o Auto REALIDADE organiza um duelo entre estas duas opções (Kicks S CVT e Renegade Sport AT) que merecem no mínimo um test-drive na hora de se decidir por um SUV desta categoria!



De cara, o Renegade começa em desvantagem por ser R$ 9.500 mais caro do que o Kicks (R$ 89 990 x R$ 80 490). O.K., existem versões mais em conta do Jeep, como a Custom 1.8, porém este modelo está disponível unicamente com câmbio manual de 5 marchas. Para quem precisa de um utilitário com câmbio automático, este modelo Sport considerado na matéria é o modelo "menos caro". Os custos com revisões nos 3 anos de garantia dos modelos também são menores no Kicks (R$ 1417 x R$ 1951).


Quando o assunto é visual, ambos são carros bem desejados nesta categoria, mas o Jeep tem estilo que ficou datado mais depressa. Desde quando foi lançado, a única modificação externa foi a substituição do estilo das rodas: agora o modelo Sport usa as rodas de 17 polegadas que eram utilizadas no modelo Longitude. Ok, esta versão também ganhou racks de teto. Detalhes como maçanetas e capas dos retrovisores em cor fosca dão um ar mais despojado ao Renegade, enquanto no Kicks estas peças vêm na cor da carroceria. Em ambos, os para-choques são parcialmente pintados na cor da lataria. A personalidade de cada um é bem distinta, mas pode-se dizer que o Nissan é mais cosmopolita, e o Jeep, mais rústico.


Em termos de acabamento interno, não tem pra onde fugir: é o Jeep quem vence. O painel com boa porção de material macio ao toque, o teto com forro de tecido e o cuidado com o emborrachamento dos porta-objetos são indicativos evidentes da maior atenção com o acabamento, ainda que o Nissan, com sua vertente ao estilo japonês, também agrade com seus bons encaixes, ausência de rebarbas, revestimentos de tecido nas portas e sua textura "tridimensional" no painel.


Mas o Renegade possui uma série de equipamentos que o Kicks não dispõe nesta versão S, ou mesmo em nenhuma versão. São itens como freio de estacionamento elétrico, apoio de braço central, controlador automático de velocidade de cruzeiro, Start/Stop (desligamento automático do motor em paradas), sensor de ré, monitoramento de pressão de pneus, regulagem de altura dos faróis e computador de bordo bem mais completo, com indicação da temperatura do motor, velocímetro digital, monitoramento de pressão dos pneus, entre outros. Ainda assim, é necessário lembrar que são quase R$ 10 mil de diferença entre Renegade e Kicks...



Curiosamente, o porte robusto do Jeep Renegade o faz parecer maior que o Nissan Kicks, mas na fita métrica ele é ligeiramente mais curto (4,23 m x 4,29 m), porém 4 centímetros mais largo e 8 centímetros mais alto. O comprimento menor refletiu também em uma distância entre-eixos 4 centímetros menor no Jeep. Os passageiros se acomodarão bem em qualquer um dos modelos.



Já as bagagens... O Kicks oferece 432 litros, e o Renegade, apenas 260 L. Tudo bem que no Jeep o compartimento é bem aproveitado, com ganchos, superfícies planas e a possibilidade de rebater parte do encosto traseiro - assim como no rival. Contudo, a diferença de tamanho é incontestável a favor do Nissan: basta fazer as compras de uma família para perceber isto.



Outro ponto em que o Nissan Kicks abre vantagem é no que diz respeito à carroceria. Não nos referimos à aerodinâmica nem à altura em relação ao solo - onde os dois surpreendentemente empatam, com coeficiente (Cx) ao redor de 0,34 e vão-livre de 20 centímetros - mas sim no peso. O Jeep Renegade, com seus 1432 quilos, é mais de 300 kg mais pesado em comparação com esta versão do Kicks, de 1129 quilos.



Este peso extra, equivalente ao de quatro pessoas de 75 kg a bordo, pune o rendimento do modelo da FCA quando o assunto é consumo de combustível. Em nossas estadias na garagem do Auto REALIDADE, o Kicks chegou à média de 8,7 km/l na cidade com gasolina, enquanto o Renegade fez no máximo 7,4 km/l nas mesmas condições. No Inmetro, também na cidade com gasolina, o Kicks registrou 11,4 km/l, e o Renegade, 9,5 km/l.

Só é possível defender o Jeep quando o assunto é tamanho do tanque de combustível, pois são 60 contra 41 litros. Para quem pega estradas mais longas, um alento é que, de acordo com o Inmetro, o Kicks S também leva vantagem: 13,7 km/l contra 10.9 km/l com gasolina.


Quando o assunto é desempenho, os dados da Jeep apontam que o Renegade anda mais. Só que, na prática, o Kicks mostra mais agilidade nas acelerações e renomadas. Se a diferença de potência chega a 25 cavalos (139 x 114 no Nissan, com etanol), o torque do Jeep é "apenas" 3,8 kgfm superior ao do Kicks (19,3 x 15,5 kgfm, com etanol), que, lembre-se, tem carroceria mais leve.

Os câmbios são diferentes (automático com conversor de torque e trocas sequenciais no Renegade Sport; automático continuamente variável com modo esportivo no Kicks), mas ambos com trocas suaves. O Jeep tem um jeito de ser mais confortável nas irregularidades do piso, e o Nissan, uma dirigibilidade que tende a agradar mais quem gosta de uma pegada esportiva.

No quesito segurança, os dois trazem uma lista semelhante de equipamentos. Os airbags são os frontais (no lançamento o Jeep tinha opção de 7 airbags, agora presentes só nas versões mais caras), há controles de tração e estabilidade, assistente de partida em subidas, cintos de 3 pontos e apoios de cabeça para todos, alerta sonoro para não-uso dos cintos dianteiros, fixações ISOFIX para cadeirinhas infantis... Só o Renegade tem freios a disco nas 4 rodas (sólidos atrás), e o Kicks retruca com faróis de duplo refletor.


Veredicto: se você for detalhista com o acabamento interno, simpatizar bastante com o estilo inspirado no velho Willys de guerra ou fizer questão de itens específicos, como controlador de velocidade de cruzeiro ou start/stop, escolha o Jeep Renegade Sport. Mas, se você se decidir pelo Nissan Kicks S CVT, levará para casa um modelo significativamente mais espaçoso (principalmente no porta-malas), econômico, ágil, bom de dirigir e que ainda custa 9500 reais a menos.

Comentários