Detalhes do Renault Captur 1.6 Life automático, para o público PCD

Os detalhes do Fiat 500, que retorna às concessionárias do Brasil


A Fiat decidiu retomar as importações do Cinquecento para o Brasil, visando novamente posicioná-lo como "carro de imagem" - aquele destinado a um público reduzido, mas que acaba chamando a atenção para outros modelos da marca nas concessionárias. O relançamento do carrinho não teve evento direcionado à imprensa e o site da marca traz fotos desatualizadas. O 500 retorna às lojas em versão única e sem opcionais, a Cult 1.4 manual.



Externamente, a única novidade está no estilo das rodas de liga leve de 15 polegadas calçadas com pneus 185/55. No mais, o 500 Cult permanece igual - o modelo foi importado entre 2011 e 2015. Vale lembrar que, em 2016, o pequeno Fiat passou por uma reestilização para o mercado europeu, que ainda não foi aplicada ao modelo mexicano (que é exportado para o Brasil e os Estados Unidos).


Já o interior reserva mais mudanças. A mais perceptível é a central multimídia Uconnect, com tela colorida e sensível ao toque, mas de apenas 5 polegadas, como os últimos Linea/Punto. As funções são igualmente limitadas: Bluetooth para comando de voz e streaming de áudio, duas entradas USB (uma no console e outra no porta-luvas, esta exclusiva para carregamento) e auxiliar, rádio, além da bússola, temperatura externa e informações do computador de bordo. Não há itens como GPS, espelhamento de tela de celulares ou câmera de ré.


O quadro de instrumentos com conta-giros e velocímetro concêntricos agora traz o indicador de troca de marcha e o monitoramento de pressão dos pneus; ambos auxiliam a economizar combustível.


O Fiat 500 Cult também traz de série: teto solar elétrico, ar-condicionado, travas, vidros dianteiros e retrovisores elétricos, controlador automático de velocidade de cruzeiro, moldura do painel na cor da carroceria, direção elétrica com dois níveis de assistência, revestimento em couro, comandos de som e regulagem de altura da coluna; modo de condução Sport, faróis com regulagem elétrica de altura, controles de estabilidade e tração, assistente de partida em ladeiras, freios a disco nas 4 rodas (ventilados na frente e sólidos na traseira), maçanetas internas cromadas, banco traseiro bipartido e iluminação no porta-malas.


Falando nele, o espaço continua o mesmo: 185 litros. Na parte de fora do assoalho está fixado o estepe de uso temporário, com medida 135/60 e roda de ferro aro 14''. 


O motor também é velho conhecido. Trata-se do 1.4 Fire de 8 válvulas que já equipou Uno, Palio e Punto, e resiste no Grand Siena e na Fiorino. Rende, com gasolina, 85 cavalos a 5750 rpm e 12,4 kgfm de torque a 3500 rpm. No etanol, são 88 cv e 12,5 kgfm, nas mesmas rotações. O câmbio é o manual de 5 marchas. Vale destacar o diâmetro de giro: 9,1 metros.



O Fiat 500 tem preço de R$ 61 396. Se não é um valor tão acessível - permite levar um Argo 1.3 GSR com opcionais - por outro lado é um dos "compactos estilosos" mais em conta do mercado, uma vez que o VW Fusca deixou de ser importado, o smart fortwo ainda não chegou em sua nova geração e o MINI Cooper ficou "elitizado", sem versões básicas como a Salt disponível na geração anterior.


Comentários