Os detalhes da Chevrolet Spin LTZ 2019 com câmbio automático

Volkswagen Virtus, sedan do Polo, chega às lojas em fevereiro com 3 versões


Depois do Polo, a Volkswagen enfim lança o Virtus, sedã que começa a ser comercializado aqui em fevereiro e posteriormente será exportado para a América Latina. Utilizando-se da mesma platafoma modular MQB, o Virtus terá três versões: 1.6 MSI com câmbio manual de 5 marchas, Comfortline e Highline - estas duas últimas com o motor 1.0 TSI (turbinado e com injeção direta de combustível) de até 128 cavalos e câmbio automático de seis marchas. Confira os preços do novo sedan e de seus opcionais:


1.6 MSI: R$ 59.990
Connect Pack: R$ 2950
Safety Pack: R$ 1050


1.0 TSI Comfortline AT6: R$ 73.490
Pacote Tech I: R$ 2200
Pacote Tech II (inclui itens do Tech I): R$ 3500


1.0 TSI Highline TSI: R$ 79.990
Couro sintético Native: R$ 800
Rodas de 17 polegadas com pneus 205/50: R$ 1200
Space Pack: R$ 300
Tech High: R$ 3300


Cores
Preto Ninja: R$ 0
Branco Cristal e Vermelho Tornado (sólidas): R$ 450
Prata Sirius, Prata Tungstênio, Cinza Platinum, Azul Night (metálicas): R$ 1450


O Virtus será produzido na Fábrica da Anchieta, em São Bernardo do Campo (SP), que recebeu investimento de R$ 2,6 bilhões. Até as portas dianteiras, o novo sedan é idêntico ao Polo, mas teve a distância entre-eixos alongada e traz estilo com mais personalidade na traseira, incluindo uma janela traseira na coluna "C". Com 4,48 metros de comprimento, o Virtus é 42,5 centímetros mais comprido do que o Polo. A distância entre o centro da roda e o final do para-choque traseiro é de 1,03 m (quase 50% a mais que o novo hatch) e o porta-malas tem capacidade de 521 litros de capacidade no porta-malas, um dos maiores da categoria.


Na traseira, o Virtus traz lanternas que se estendem para a tampa do porta-malas, que por sua vez conta com um defletor na parte superior da tampa. A placa fica entre as lanternas, e o para-choque conta com um uma moldura na parte inferior, cromada na versão Highline.


Na versão Highline, o tom do interior é mais escuro, com faixa central do painel na cor cinza tungstênio, enquanto a parte que envolve o quadro de instrumentos e o sistema multimídia tem a cor preto brilhante. Os bancos desta versão Highline trazem embossagem e tonalidade cinza clara.


Na versão Comfortline há uma combinação de cinza Paladium com maior inserção de preto fosco na parte inferior do painel e pelo interior, enquanto a seção central do painel possui inserto em preto brilhante e os bancos também têm tecido com embossagem. Já a versão básica 1.6 MSI traz interior claro, na cor cinza Paladium.


Outra diferenciação visual entre as versões está no estilo das rodas. O Virtus básico traz rodas de aço aro 15'' com calotas na versão 1.6 MSI, substituídas por rodas de liga leve aro 15'' no estilo “Scimitar” com o pacote Connect. Na versão Comfortline completa e na Highline básica, o modelo traz rodas de liga leve de 16 polegadas estilo “Nick”. Já as rodas de 17 polegadas “Razor”, na foto acima, são opcionais para a versão topo de linha.


Com o Tech High, a versão Highline passa a trazer o quadro de instrumentos digital configurável Active Info Display. Nele, somente as luzes de advertência e informações nos cantos são instalados em hardware. Informações de GPS podem ser mostradas em 2D ou 3D, em uma tela de 10,25 polegadas, com resolução de 1440 x 540 pixels. No modo de visualização do GPS, o velocímetro e o conta-giros são deslocados para os lados e ficam menores. Dados como contatos de telefone ou capas de álbum, também podem ser exibidas no quadro de instrumentos. Todas as versões do Virtus trazem o suporte para celular sobre o painel, com entrada USB para carregamento.


O painel e o console central são levemente inclinados para o motorista no centro. Na versão mais simples, o som disponível é o Media Plus, com entradas USB e para cartão SD, Bluetooth, rádio e leitor de arquivos em MP3.

Como opcional para a versão 1.6 MSI e de série para o Comfortline, o sistema multimídia Composition Touch traz tela colorida sensível ao toque de 6,5 polegadas e vem com entradas USB e para cartão SD, Bluetooth, além de App-Connect (espelhamento de aplicativos de celulares compatíveis com Android Auto, Apple CarPlay e Mirrorlink), comandos por voz e acesso ao Car Menu, com ajustes do veículo. Também lê mensagens em SMS e pode exibir a imagem da câmera de ré, se equipado com o item.


A central mais completa é a Discover Media, opcional para a versão Highline, que além do App-Connect, traz tela colorida touchscreen de 8 polegadas com sensor de aproximação, conexão Bluetooth para até dois celulares e entrada USB adicional para o banco traseiro. Traz também comandos de voz, GPS e visualização de fotos e músicas em variados formatos.


A distância entre-eixos no Virtus é de 2,65 metros (exatamente a mesma do Jetta atual), 8,6 cm a mais do que a do Polo, enquanto a altura do Virtus é de 1,468 metro (4 mm a mais do que o Polo) e a largura é a mesma: 1,75 m (sem retrovisores). O espaço efetivo para as pernas para os passageiros do banco traseiro é de 91 centímetros (da base do encosto do assento traseiro até a parte de trás do encosto do banco dianteiro). São 1,39 m de espaço para os ombros dos 3 passageiros no assento traseiro. Para completar, o ângulo de abertura das portas traseiras é maior em relação ao hatch.


A área do porta-malas é de 1 metro quadrado e, com o rebatimento do banco traseiro, abre-se um espaço de 1,82 metro de comprimento (da tampa do porta-malas até a parte de trás do banco dianteiro). Opcionalmente na versão Highline (com o Space Pack), é possível rebater totalmente para a frente o assento do passageiro dianteiro, o que proporciona um espaço livre de 2,65 metros (da tampa do porta-malas até o painel), comprimento equivalente ao de um caiaque ou uma prancha de Stand Up dentro do carro.


O descanso de braço central (de série a partir da versão Comfortline) é ajustável longitudinalmente em 10 centímetros. Sob ele há um compartimento de 1,26 litro de capacidade. O porta-luvas tem 8 litros de capacidade e possui refrigeração (de série na versão Highline). Nas portas dianteiras há nichos que acomodam garrafas de 1,5 litro e as portas traseiras levam garrafas de 1 litro. 


O banco do motorista tem ajuste de altura de série em todas as versões, mas a regulagem de altura e distância do volante só está disponível a partir do modelo Comfortline. O Virtus tem suspensão dianteira tipo McPherson e com eixo de torção na traseira. 


Em termos de facilidade de manutenção, além de obter o melhor índice de reparabilidade no ranking Car Group 2017, do CESVI Brasil (10, numa escala que vai de 10 a 60), o Virtus Highline terá as três primeiras revisões (de 10.000, 20.000 e 30.000 km) gratuitas. Para as demais versões, haverá a opção de compra do pacote de três revisões a um preço de R$ 1099 - a marca estima que, assim, o consumidor faça uma economia da ordem de 14% para o Comfortline e de 10% para o MSI.


O Virtus acabou de comprovar seu bom nível de segurança nos testes de colisão do Latin NCAP (veja aqui). Nas versões TSI, os freios a disco nas quatro rodas são item de série, e todas as versões trazem controle de tração e freios ABS com EBD. Opcionalmente na versão MSI e de série nos demais, estão disponíveis: controle de estabilidade, assistência de partida em ladeiras, auxiliar de frenagem de pânico, bloqueio eletrônico do diferencial, limpeza automática dos discos de freio e monitoramento da pressão dos pneus. 


Outros itens disponíveis no Virtus são o sistema de frenagem automática pós-colisão, que minimiza a possibilidade de um segundo acidente ao diminuir a velocidade do carro, e o detector de fadiga, que analisa a forma como o motorista dirige e compara com os 15 primeiros minutos de direção, emitindo um alerta e sugerindo uma parada para descansar e tomar um café caso detecte sinais de cansaço. Todas as versões vêm com quatro airbags (dois frontais e dois laterais dianteiros) além de fixações ISOFIX e top-tether para fixação de cadeirinhas infantis.


As versões Comfortline e Highline do Virtus estão disponíveis somente com o motor 1.0 TSI (turbinado e com injeção direta de combustível), aliado ao câmbio automático de 6 marchas com opção de trocas sequenciais na alavanca ou pelas aletas junto ao volante (opcionais no Comfortline), além de modo Sport. Com três cilindros e 999 cm³ de cilindrada, o motor tem rendimento de 115 cavalos com gasolina e 128 cv com etanol, a 5500 rpm. O torque é de 20,4 kgfm, com gasolina ou etanol, de 2000 a 3500 rpm. Com esse motor, o Virtus acelera de 0 a 100 km/h em 9,9 segundos e atinge velocidade máxima de 194 km/h (com etanol).


Já o motor 1.6 MSI está aliado ao câmbio manual de 5 marchas. Com quatro cilindros e 16 válvulas (duas para admissão e duas para escape em cada cilindro), o motor conta com duplo comando de válvulas integrado à tampa, com comando de admissão variável. Gera 110/117 cavalos, a 5750 rpm, e torque de 15,8/16,5 kgfm a 4000 rpm (dados com gasolina e etanol, respectivamente). O Virtus 1.6 MSI acelera de 0 a 100 km/h em 9,8 segundos e atinge 195 km/h de velocidade máxima (com etanol).


Desde a versão mais básica do Virtus, são itens de fábrica: direção elétrica, ar-condicionado, vidros elétricos nas quatro portas (os dianteiros possuem função um-toque para subida e descida), travas elétricas, faróis de dupla parábola, chave tipo canivete com controle remoto, computador de bordo, para-sóis iluminados para motorista e passageiro, tomada de 12 Volts no console central, suporte para celular com entrada USB para carregamento e regulagem de altura para o banco do motorista, entre outros.


Como opcionais para o Virtus MSI estão disponíveis dois pacotes: o primeiro, Connect, inclui sistema multimídia Composition Touch, computador de bordo I-System, volante com comandos de som, sensor de ré, controle eletrônico de estabilidade e rodas de liga leve de 15 polegadas “Scimitar” com pneus 195/65. O segundo pacote, “Safety”, adiciona o controle de estabilidade e todos os recursos atrelados a ele, como auxiliar de frenagem de pânico, bloqueio eletrônico do diferencial e auxílio de partida em ladeiras.


O modelo Comfortline vem com banco traseiro bipartido, coluna de direção ajustável em altura e distância, controle de estabilidade (ESC), faróis de neblina com luzes de conversão estática, sistema multimídia Composition Touch com tela de 6,5 polegadas sensível ao toque, rodas de liga leve de 15 polegadas, sensor de ré, retrovisores externos elétricos, descanso de braço dianteiro com porta-objeto, lanternas escurecidas, volante multifuncional, entre outros.


O pacote Tech I, inclui chave presencial e partida por botão, controlador automático de velocidade de cruzeiro, sensor de estacionamento dianteiro, retrovisor interno eletrocrômico, volante multifuncional com shift paddles, sensor de chuva, acendimento automático dos faróis com função coming/leaving home (faróis acendem ao destravar o carro e permanecem acesos segundos após seu desligamento) e rodas de liga leve de 16 polegadas “Nick” com pneus 205/55.


O pacote Tech II, inclui os itens do anterior, além do indicador de pressão dos pneus, ar-condicionado digital de uma zona Climatronic, s.a.v.e (divisor do porta-malas e rede porta-objetos), porta-luvas refrigerado, câmera de ré, detector de fadiga, frenagem automática pós-colisão, volante multifuncional revestido de couro e detalhes em preto brilhante na cabine.


O Virtus Highline 200 TSI vem com sensor de presença para abertura das portas e partida do motor por botão, controlador automático de velocidade de cruzeiro, ar-condicionado digital, descanso de braço dianteiro com porta-objeto, porta-luvas refrigerado, faróis de neblina com luz de conversão estática, luzes de condução diurna em LED ao lado dos faróis de neblina, rodas de liga leve de 16 polegadas, tapetes, volante multifuncional revestido de couro e detalhes em preto brilhante na cabine.


Opcionalmente, esta versão oferece o pacote Tech High (inclui sensor de estacionamento dianteiro, indicador de pressão dos pneus, s.a.v.e, antena ao estilo “tubarão”, câmera de ré, detector de fadiga, espelho retrovisor eletrocrômico, faróis com função coming/leaving home, sistema de frenagem automática pós-colisão, sensor de chuva, acendimento automático dos faróis, sistema multimídia Discover Media com tela de 8 polegadas e o quadro de instrumentos digital Active Info Display). Avulsos, estão disponíveis as rodas de liga leve de 17 polegadas “Razor”, com pneus 205/50, e o revestimento dos bancos em couro sintético Native. Há ainda o Space Pack, que inclui por R$ 300 o banco do passageiro dianteiro rebatível para a frente (item que a VW descreveu no release enviado à imprensa que era de série, mas que no configurador da marca está na lista de opcionais).


O Virtus chega ao mercado brasileiro com garantia de fábrica de três anos (sem limite de quilometragem) e será o primeiro automóvel do Brasil com o “manual cognitivo” – que usa o IBM Watson para responder aos motoristas questões sobre o veículo, incluindo informações contidas no manual do proprietário, e o aplicativo Meu Volkswagen, que usa a tecnologia do Watson para responder as questões em português e espanhol em linguagem poderá ser natural, como em uma conversa informal. Este sistema reconhece sotaques e é capaz de aprender quanto mais se interage com ele.


Comentários