Os detalhes da Chevrolet Spin LTZ 2019 com câmbio automático

Ford inicia pré-venda do Ka Freestyle: hatch reestilizado agora traz câmbio automático


Depois de apresentar o Ka FreeStyle à imprensa no começo do ano, a Ford revela a versão de produção desta versão do hatch que será vendido como "utilitário compacto" pela marca, que chega ao mercado no início do segundo semestre deste ano. O modelo, além de substituir a versão Trail, é responsável por antecipar aos brasileiros as mudanças pelas quais passará toda a linha Ka.





A versão FreeStyle estreia o motor 1.5 Ti-VCT Flex de três cilindros (similar ao da versão básica do EcoSport, com rendimento de 128 cavalos com gasolina e 136 cavalos com etanol), câmbio automático de seis marchas com opção de trocas sequenciais nos botões instalados no topo da alavanca (exatamente como em seu arquirrival, o Chevrolet Onix Activ) e central multimídia SYNC de terceira geração com tela capacitiva de 6,5 polegadas. Aliás, esta versão topo de linha não terá opcionais (exceto o câmbio, pois haverá também a opção da transmissão manual de 5 marchas).



O Ka FreeStyle será vendido em cerca de 125 países, na América do Sul, Ásia e Europa. Na Europa, o modelo levará o nome Active, mas a versão foi desenvolvida pela engenharia brasileira em parceria com a Ásia. Por fora, as novidades se concentram na dianteira, com grade com aberturas ao estilo colmeia pintada de cinza, faróis com máscara negra, novos alojamentos para os faróis de neblina, molduras de plástico preto em torno da carroceria, capas dos retrovisores com luzes de seta, rack de teto que suporta até 50 quilos e rodas de liga leve de 15 polegadas, calçadas com pneus 185/60 e com pintura cinza perolizada.



O coeficiente de arrasto aerodinâmico da carroceria (Cx) é de 0,33. Além da cor de lançamento marrom Trancoso perolizada, o Ka FreeStyle é disponível em outras cinco tonalidades: a sólida branco Ártico, as perolizadas preto Bristol, cinza Copenhagen e cinza Moscou e a metálica prata Dublin.



O interior divide opiniões: o forro de teto preto até é comum no segmento, mas a Ford decidiu pintar o painel quase inteiro de marrom, cor que também está na moldura do console central e em frisos nos forros das portas. Os bancos são revestidos em mescla de couro e tecido, com duas faixas em tom mais claro no centro e pespontos do mesmo tom. O console incorpora duas entradas USB (que inexplicavelmente ficam juntas, mas ou menos trazem bordas iluminadas) e bandeja para celular. As soleiras das portas exibem apliques escovados com o nome FreeStyle. Há ainda tapetes de borracha da cabine e do porta-malas personalizados


Pelo menos a lista de equipamentos é bem completa. O Ka FreeStyle agora conta com ar-condicionado (manual), travas, 4 vidros e retrovisores elétricos, ajuste de altura do banco do motorista, banco traseiro bipartido na proporção 60/40, ajuste de altura do volante, computador de bordo, seis airbags (frontais, laterais dianteiros e de cortina), câmera de ré, sensor de estacionamento traseiro, controles de estabilidade e tração, auxiliar de partida em subidas, ARP (Active Rollover Protection com sensor de deriva, que estima a rolagem da carroceria em função da aceleração lateral e, se necessário, aciona os freios em cada roda e reduz a potência do motor), alarme volumétrico, faróis de neblina e pontos de fixação ISOFIX para cadeirinhas infantis.

O motor 1.5 Ti-VCT Flex de três cilindros, rende, a partir de 1500 rpm, 85% do torque máximo, de 16,1 kgfm com etanol e 15,6 kgfm com gasolina. Este propulsor conta com quatro válvulas por cilindro com controles independentes na admissão e escape, coletor de escape integrado ao cabeçote, bomba de óleo com controle variável de pressão e sistema de partida a frio que dispensa o tanque auxiliar de gasolina.


Já o câmbio (6F15) é automático para valer, com conversor de torque e sistema eletrônico de controle hidráulico com sete solenóides. O câmbio manual MX65 também é novo, trazendo primeira, segunda e terceira marchas com dupla sincronização.

A estrutura da carroceria do Ka FreeStyle foi reforçada, com a aplicação de aços especiais e reforços adicionais nos pilares, no teto e no assoalho, o que deverá fazer com que o modelo se saia melhor nos testes de colisão - nada mais que a obrigação da Ford, diante da pífia nota zero que o modelo obteve na avaliação do órgão independente Latin NCAP. Algumas peças tiveram sua espessura ampliada em até 1,2 milímetro. Houve também melhorias para minimizar o ruído a bordo, como para-brisa acústico e nova calibração das buchas da suspensão.

A altura livre do solo do modelo é de 18,8 centímetros; sua bitola foi ampliada em 3 centímetros, o eixo traseiro está 30% mais rígido e a barra estabilizadora tem diâmetro 2,3 centímetros maior. Sua suspensão traz amortecedores e molas recalibrados. A direção elétrica também tem uma calibração com maior progressividade de acordo com a velocidade e mecanismos que compensam vibrações e variações causadas pela inclinação da pista, vento e suspensão. Os coxins do motor possuem amortecimento hidráulico.



A central multimídia é compatível com os sistemas de espelhamento de tela de celular Android Auto, Apple CarPlay, além de trazer AppLink, reconhecimento de voz aprimorado e possibilidade de atualização via USB.


A versão manual chega com o preço de R$ 63 490. Com câmbio automático, sai por R$ 67 990. Este último modelo poderá ser financiado com taxa zero em 24 meses e, na pré-venda, as três primeiras revisões serão gratuitas; haverá também bônus de R$ 2000 ao entrar com um carro usado na troca. Desde o lançamento em meados de 2014, o Ka teve aproximadamente 440 mil unidades comercializadas no Brasil.

Comentários