Avaliação do leitor: Nissan March 1.0 S no uso cotidiano


Após o teste do Ford Ka 1.0 SE, nosso leitor Carlos Matos agora traz as impressões ao dirigir outro hatch, o Nissan March 1.0 S. Confira como o compacto produzido em Resende (RJ) se saiu!
Olá amigos!
Não pertenço a nenhuma empresa automotiva ou revista do ramo, sou apenas usuário casual que aluga vários carros através de locadoras e que julga os pontos fortes e fracos dos carros de forma imparcial e assim faço meus relatórios para ajudar pessoas que buscam informações sobre esses carros para poder comprar um modelo.

Então vamos ao que interessa...

DADOS


Locadora: Localiza
Quilometragem do veículo na retirada: 3.895 mil km
Quilometragem do veículo na devolução: 4.415mil km
Combustível utilizado: Etanol
Modelo: March S 1.0 2016


PONTOS POSITIVOS
O visual é meio polêmico, sua traseira não condiz com o carro e ajuda a dar um visual não muito agradável e havendo criticas fazendo com que as pessoas pensem em não comprar um exemplar. A Nissan deveria ter melhorado isso nos modelos mais novos, na parte da frente achei bem desenhada, seus dois vincos no teto em forma de arco ficaram legais.


Por dentro tem bons arremates, painel de instrumentos simples, console simples, forração de porta com plásticos, bancos bem desenhados o que torna um ambiente agradável.


Seu tamanho é bom a para rodar na cidade, por dentro surpreende o espaço para as pernas dos passageiros mesmo o banco estando puxado para trás com meus 1,79 de altura. Peca mesmo na largura onde não é bom para três adultos do modo "gordinhos", precisam ser magros ou só dois com uma criança. Mas também não da pra exigir muito do carro pelo seu tamanho não é mesmo?!


Posição para dirigir é ótima, banco com regulagem de altura e macio sem causar incomodo ao dirigir, computador de bordo com informações boas para o motorista, controle de vidros ou travamento dos mesmos ao seu alcance. Todos os vidros são elétricos, trava de segurança na porta traseira para crianças não abrirem por dentro muito fácil de acionar sem precisar da chave do veiculo para tal feito.


O motor é um espetáculo a parte, mais uma vez fico surpreso com tamanho do desempenho por ser ainda três cilindros e 1.0 que é muito bem acertado como do Ford Ka. Esses motores nos mostram que carro 1.0 começa a valer a pena, símbolo de ser fraco aos poucos estão se tornando boas opções de compra.


O motor pouco sofreu para puxar o pequenino mesmo com ar ligado e cinco pessoas a bordo, quando necessário bastava reduzir uma marcha que ele respondia com bom folego e dava conta do recado. Outro ponto legal era o motor funcionando em alto giro na hora de pisar fundo, tem isolamento acústico que segura bem em médias e baixas rotações, mas o barulho alto do motor não incomodava, pelo contrario era tão gostoso de ouvir o ronco que sempre atentava a dar uma pisada funda (risos).


O câmbio é muito bom, não senti nada de estranho em seu comportamento e suas marchas são bem intercaladas, alguns relatos que a primeira marcha faz o motor ter um ruído forte é mentira. O carro se comporta bem e o que senti foi a mesma coisa com o Ford Ka, a primeira tem muita força e com motor bruto desse jeito, você precisa trocar logo para segunda quando percebe que ele já está em movimento, agora se ficar com pé atolado além do necessário lógico que ele vai “gritar”, pois está sendo forçado e o giro fica alto.

O consumo ficou na média de 11,9 km por litro, na cidade variou entre 7 a 9 e na estrada entre 13 km e 14 km por litro. Rodei 520 km em ruas e rodovias, a média de velocidade variou de 60 km/h até 140 km/h com ar condicionado ligado em 90% do trajeto e nada alterava no consumo.


PONTOS NEGATIVOS
Iluminação dos controles de portas horríveis como novato com o carro a noite atrapalhou para acertar o botão correto de travar vidros, abrir os traseiros e dianteiros ou travar as portas. O vidro do motorista abre com um toque e para fechar tinha que ficar com o dedo no botão.

Computador de bordo tem coisas muito bacanas, mas poderia ter um botão assim como outros carros na alavanca de seta para poder alterar os modos. O modo de alterar é pelo botão que fica no painel que zera os modos Trip A ou B, isso torna impossível a troca com o carro em movimento, pois acaba passando em insegurança ao colocar o braço no meio do volante para alterar suas funções.


A chave do carro é bem legal e tem suas funções úteis, mas peca por não ser do modelo canivete, dando aparência de ser uma chave de Kombi (risos).

VEREDICTO

Compraria o Nissan March mesmo com motor 1.0, vale apena o carro pelo conjunto da obra se mostra bom, seu visual pra mim é tranquilo, mas particularmente iria para verões mais completas com opcionais e com visual mais esportivo e motores 1.6 para ter um carro valente e encarar muitas aventuras pelas estradas. Por ter um porta malas pequeno, não é aconselhável para família que leva muita tralha nas viagens. Para rodar na cidade é uma boa pedida pelo seu tamanho, e ainda da para usar na estrada sem problemas.


O modelo não me surpreendeu muito porque sempre teve fama de ser bom, e isso ele conseguiu provar.

Segue ranking pessoal dos carros que melhores foram nos meus testes.

1 – Ford Ka SE 1.0 2016
2 – Nissan March S 1.0 2016 

Comentários