Nissan March e Versa 2019 estreiam novidades na central multimídia

Ferrari 488 GTB: a nova encarnação da 458 Italia


A mais nova Ferrari, que será apresentada ao público no Salão de Genebra (Suíça), é a evolução natural da festejada 458 Italia, pouco mais de cinco anos após seu lançamento. A 488 GTB conserva a disposição central do motor V8 e homenageia em sua sigla o primeiro modelo a adotar esta combinação (a 308 GTB, que completa 40 anos). E, assim como a California T, a 488 adota motorização turbinada, que apesar da menor cilindrada, rende até mais do que a 458 mais furiosa, a Speciale.


Tal qual a F430, 70% nova em comparação com a antecessora 360 Modena, a Ferrari 488 GTB é uma grande reestilização da 458 Italia, conservando vários de seus traços, como o formato dos faróis, janelas, portas, retrovisores, compartimento do motor... O novo design não leva a assinatura do estúdio Pininfarina (foi concebido pelos designers do Ferrari Styling Centre) e incorpora elementos da LaFerrari, como vincos no capô, entradas de ar laterais (uma referência à 308 GTB, segundo a montadora) e para-choque traseiro com duas saídas de escape e luz central de freio que lembra os bólidos de Fórmula 1.



O motor 3.9 V8 Turbo substitui o 4.5, rendendo nada menos que 670 cavalos (65 cv a mais que a 458 Speciale) e torque de 77,5 kgfm a 3000 rpm em sétima marcha. Cada um dos oito cilindros tem volume de 488 cm³, daí o batismo da Ferrari. Com peso de 1370 quilos (sem fluidos) e distribuição de 46,5% para o eixo frontal e 53,5% para o eixo traseiro, a 488 GTB acelera de 0 a 100 km/h em 3 segundos cravados, e chega a 200 km/h partindo do zero em 8,3 segundos. A velocidade máxima é superior a 330 km/h e o consumo médio de gasolina é aceitável: 8,8 km/l. A título de curiosidade, na pista de testes da Ferrari em Fiorano (Itália), a 488 completou uma volta em 1 minuto e 23 segundos, mesmo tempo da poderosa F12berlinetta, meio segundo à frente da 458 Speciale e 1,9 segundo mais rápida que a Ferrari Enzo.


Internamente, a 488 GTB lembra bastante a antecessora, mas cota com novo quadro de instrumentos com sistema de navegação integrado, saídas de ar-condicionado mais angulosas, nova disposição dos botões à esquerda do motorista e revestimentos internos mais sofisticados. O motorista tem à disposição o sistema Side Slip Control 2, que auxilia na aceleração em curvas, além do acelerador que responde em 0,8 segundo (com o motor a 2000 rpm) e câmbio com Variable Torque Management (o torque é distribuído de forma constante em toda a faixa de rotações; em algumas faixas há mais força despejada). A Ferrari também garante que a "trilha sonora" do motor da 488 GTB é bem diferente da 458 Italia.


Comentários