Sketches: a linha Chevrolet dos anos 90 e 2000 nos traços de Wagner Dias


O consultor de design automotivo Wagner Montes Cla Dias, hoje aposentado, revelou diversos de seus sketches realizados ao longo da década de 1990 para a General Motors do Brasil. Os desenhos mostram propostas de estilo para vários modelos da Chevrolet. Entre as imagens, existem alternativas de novas versões e também proposições iniciais de estilo para modelos que só seriam lançados no começo dos anos 2000.

Entre 1988 e 2016, Wagner participou da elaboração do design de inúmeros modelos da General Motors do Brasil, a começar pelo face-lift das Chevrolet D-20 e D-40. Foi o responsável pelo estilo das derivações da primeira geração nacional do Corsa (sedan, wagon e pick-up), além do Vectra Sedan C, Celta (reestilização de 2006) e da primeira geração do Prisma. 


Começando cronologicamente "de trás para frente", os sketches da Chevrolet Meriva, datados de julho e agosto de 1998, mostram que inicialmente a minivan teria elementos de estilo mais parecidos com os do Corsa C, como os frisos circundando os para-choques (pretos no modelo europeu, e que acabaram sendo pintados na cor da carroceria no Corsa brasileiro) e o formato dos faróis (que na Meriva definitiva, lançada em agosto de 2002, assumiram formato mais vertical e reto).


Outro sketch muito interessante é o do Corsa Sedan, datado de fevereiro de 1997 (no Brasil, o modelo seria lançado em abril de 2002). É possível perceber que praticamente todos os elementos do visual foram aproveitados no modelo definitivo, com exceção de dois detalhes: os frisos pretos no para-choque traseiro (que estiveram no Opel Corsa, mas acabaram pintados na cor da carroceria no Corsa brasileiro) e a acomodação da placa no porta-malas (no modelo definitivo, ela desceu para o para-choque).


Adicionalmente, foram exibidas imagens tanto da concepção do Corsa Sedan em clay (argila) em tamanho natural quanto os diversos sketches com outras propostas descartadas para o estilo da traseira, todas mais conservadoras (até por terem sido feitas anteriormente, no ano de 1996).



O Corsa e a Pick-up Corsa foram bastante aproveitados para projetos criativos do designer. Acima, a versão Sonoma, com apelo jovial, trazendo rodas, capas dos retrovisores e para-choques pintados na cor da carroceria, além de lanternas fumê e rack longitudinal de teto. Abaixo, a Corsa Pick-up "tradicional", em desenho datado de 1992 (o lançamento da picape no Brasil ocorreria em 1995).


Também existiram propostas de estilo de picapes Corsa "encurtadas", tomando como base o hatch com carroceria de duas portas, como é possível identificar pelo estilo da traseira. O modelo Trooper teria uma cobertura rígida que abriria para cima, como uma tampa de porta-malas. Já o modelo Frontera tinha pegada mais urbana, com para-choques na cor da carroceria, lanternas escuras e pequenas janelas atrás das portas. 


O Corsa Lazer era uma proposta curiosa: a parte de trás do teto seria removível. No sketch abaixo, é possível perceber que a carroceria teria dois arcos laterais. Na frente, o modelo teria teto solar, e atrás, o teto de lona removível.



O estilo do Omega de Stock Car, que subtituiu o Opala nas competições a partir de 1994, também foi concebido por Wagner Dias. Sem a necessidade de faróis, já que as provas só ocorriam de dia, eles eram pintados. Um detalhe interessante de estilo do "modelo-piloto" eram as cores das rodas que acompanhavam os tons amarelo e verde que enfeitavam a carroceria. O Omega foi usado na Stock Car até a temporada de 1999.



Por fim, um sketch muito curioso do Opala, que deixou de ser produzido em 1992. O desenho, feito em dezembro de 1996, mostra pequenas intervenções de estilo no sedã veterano, como a adição de rodas de cinco raios mais modernas e aerofólio na tampa do porta-malas.

Comentários