Destaques do Auto REALIDADE

domingo, 28 de agosto de 2016

Os extremos do Chevrolet Onix: versões Joy 1.0 e Activ 1.4



Em sua linha 2017, o Chevrolet Onix recebeu duas novas versões para ganhar mercado tanto na faixa inicial de mercado (que atualmente gira em torno de R$ 40 mil para carros minimamente equipados, com ar-condicionado, direção assistida e vidros elétricos) quanto no segmento de aventureiros urbanos, que re-atraiu atenção das montadoras após a consagração dos utilitários médio-compactos.



No lugar da versão LS, estreia o Onix Joy, que por fora lembra muito seu antecessor, especialmente por não acompanhar a reestilização externa promovida para as demais versões. A moldura da grade, as carcaças dos retrovisores e as maçanetas são de plástico preto. Se o Onix LS era o único a não trazer o nome da versão na tampa do porta-malas, o Joy traz adesivos que identificam a versão e também as melhorias mecânicas, em um pacote batizado de "Eco".



Por dentro, foram promovidas leves alterações para dar um ar diferenciado em relação ao LS. A iluminação, antes na cor "Ice Blue", assume a coloração âmbar no quadro de instrumentos e nos comandos de ar-condicionado. O tecido dos bancos, antes em duas cores, passa a ser preto com detalhes azuis. E os puxadores de porta estão mais ergonômicos, com vãos para encaixar os dedos ao invés dos apoios baixos demais.



O motor 1.0 8 válvulas mantém os mesmos números de potência e torque, mas mecanicamente foram tomadas diversas medidas para conter o consumo de combustível. O câmbio manual passa a ter 6 marchas; os pistões, bielas e anéis foram redesenhados e estão mais leves. Também houve alteração no tipo de óleo, módulo eletrônico, gerenciamento de energia elétrica, freios de menor arrasto, pneus "verdes" e ajustes na suspensão.



O rendimento é de 78 cavalos com gasolina e 80 cv com etanol, sempre a 6400 rpm, e torque de 9,5/9,8 kgfm a 5200 rpm. O quadro de instrumentos traz alerta de mudança de marcha para ajudar a poupar combustível: com gasolina, as médias obtidas no Programa de Etiquetagem Veicular do Inmetro são de 12,9 km/l na cidade e 15,3 km/l na estrada.



Com etanol, as médias são de 9,1 km/l (percurso urbano) e 10,8 km/l (uso rodoviário) - o tanque de combustível tem a capacidade de 54 litros. Em termos de desempenho, o Joy acelera de 0 a 100 km/h em 13,4 segundos e atinge 167 km/h com etanol.


A magra lista de itens do Onix Joy contempla airbag duplo, freios ABS com EBD, para-choques pintados, rodas de aço aro 14" com calotas, ar-condicionado, direção elétrica progressiva, banco traseiro rebatível, limpador/lavador/desembaçador traseiro, preparação para som e o pacote Safe do OnStar, que inclui aplicativo com monitoramento da pressão dos pneus e suporte em caso de roubo. Em relação ao LS, ganhou vidros elétricos dianteiros, com botões instalados no console (perto do freio de mão) para economia em escala de produção. Já o ajuste de altura do banco do motorista, por roldana, foi limado - assim como a regulagem de altura do cinto do passageiro e o revestimento em carpete nas laterais do porta-malas.


Já no topo da linhagem Onix está o Activ, que assim como a minivan Spin, possui roupagem aventureira para competir com modelos como Hyundai HB20X e Toyota Etios Cross. Em relação ao LTZ, o Activ se diferencia externamente pelas rodas de 15 polegadas com estilo próprio, para-choques e saias laterais com apliques plásticos, capas dos retrovisores e contornos da grade em preto-brilhante, adesivos Activ nas portas dianteiras e na tampa do porta-malas, além da suspensão, que em conjunto com os pneus 195/65, o deixaram 3 centímetros mais alto em relação a outras versões.


De série, o Activ vem com alarme, airbags frontais, luzes de posição de LED, faróis de neblina, freios ABS com EBD, maçanetas internas cromadas, porta-óculos, rack de teto, destravamento do porta-malas por botão interno, ar-condicionado, câmera de ré, computador de bordo (as funções se alternam apertando a antiquada haste no quadro de instrumentos), controlador de velocidade de cruzeiro com comandos no volante, direção elétrica progressiva, sensor de chuva com ajuste automático de intensidade do limpador de para-brisa, sensor de estacionamento traseiro, travas e vidros elétricos com acionamento por um-toque, função anti-esmagamento e fechamento/abertura apertando o respectivo botão na chave, revestimentos em tecido laranja nos bancos e portas dianteiras, com logotipo Activ emborrachado; regulagem de altura do banco do motorista, banco traseiro rebatível, MyLink com tela sensível ao toque de 7 polegadas, espelhamento da tela de smartphones através do Android Auto e Apple CarPlay, além de rádio, entradas USB e auxiliar, Bluetooth para streaming de áudio e telefonia, além do pacote Exclusive do OnStar, com serviços de concierge (consulta junto a uma central de atendimento humano) e GPS, além dos botões no retrovisor interno.


O Onix Joy parte de R$ 38.990 caso a cor escolhida for a Preto Ouro Negro. Mesmo as tonalidades sólidas como o Vermelho Pull Me Over e o Branco Summit representam um adicional de R$ 600. A única cor metálica possível é o Prata Switchblade, por R$ 1350. Não há opcionais de fábrica, mas as concessionárias disponibilizam itens como rádio, central multimídia e rodas de liga leve.


Já o Onix Activ começa em R$ 57.190 com câmbio manual - e na cor Preto Ouro Negro. O Branco Summit representa custo de R$ 600. Há uma variedade maior de tons metálicos - Vermelho Carmim, Prata Switchblade, Cinza Graphite (por R$ 1350), e Laranja Burning, por R$ 1550. Com câmbio automático de seis marchas com opção de trocas sequenciais na alavanca, o preço salta em R$ 5100, fechando em R$ 62.290.

Onix Joy 1.0 Eco 2017


Forro de porta: Onix LS x Onix Joy


Alavanca de câmbio: Onix LS x Onix Joy


Bancos: Onix LS x Onix Joy



Onix Activ 1.4 2017


Curta a página do Auto REALIDADE!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...