Destaques do Auto REALIDADE

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Isso é do jogo [Alta Roda]


Está difícil ter uma sinalização clara sobre o mercado brasileiro neste final de ano e no próximo. O que se sabe é que o otimismo do começo de 2013 foi se diluindo ao longo do tempo. Analistas do setor automobilístico se dividem entre os que preveem vendas um pouco menores em relação a 2012 e um pouco maiores, na soma de automóveis e veículos comerciais leves/pesados.

Existe algum simbolismo em torno de 2013. Afinal, seria o décimo ano seguido de crescimento do mercado interno, em parte alavancado por períodos de diminuição provisória de IPI que levaram a quebras seguidas de recordes. No recente seminário da Autodata, Perspectivas 2014, em São Paulo, a média de opiniões indicou sinais de desaceleração, mas não de queda de mercado. Por outro lado, a produção – importante por sustentar os empregos da cadeia de valor – deve continuar em ascensão em função de diminuição de importações e melhora ainda que modesta das exportações.

Um dos temas debatidos, de interesse direto dos consumidores, foi a mudança em implantação para viabilizar a volta do leasing, um tipo de financiamento um pouco mais barato e flexível. Até hoje há insegurança jurídica para que um carro seja retomado de inadimplentes ou lidar com “espertos” que deixam de pagar impostos e multas de trânsito ao se aproveitar por o veículo não permanecer em seu nome. Leasing poderá se somar a outros canais que ajudam na oferta de crédito, sujeita a altos e baixos por seletividade, exigência de valor de entrada maior ou de taxas de juros.

Há expectativa ainda da manutenção das atuais alíquotas menores do IPI, pelo menos no primeiro trimestre de 2014. Isso é dado como certo, o que diminuiria o ímpeto de compra neste final de ano para escapar de preços maiores. No entanto, a tendência é de que carros de entrada fiquem mais caros – de R$ 400,00 a R$ 800,00, estima-se –, quando todos os veículos leves vierem equipados com airbags frontais e freios ABS.


Até março de 2014 será possível adquirir modelos fabricados sem esses equipamentos de segurança. Depois sua comercialização ficará proibida. Então, não se descarta que a carga fiscal menor prossiga até meados do ano. Faltam, em teoria, duas “rodadas” de aumento de IPI. Nos bastidores, alguns apostam que a última etapa seria cancelada, isto é, alívio definitivo de parte do imposto.

Na verdade, os preços reais dos veículos, em geral, mantêm trajetória de queda, especialmente nos últimos cinco anos por qualquer índice de correção. Sinais de aumento de concorrência continuam evidentes, embora não se vislumbre guerra comercial, pelo menos em curto prazo. O governo abriria mão de quase migalha, em termos de alíquota do IPI, como “prêmio” por preços bem comportados. E faturaria, politicamente, ao amainar a carga tributária efetiva.

Alguns fabricantes foram menos otimistas que outros no seminário. Executivos apresentaram visões diferentes em temas espinhosos como futura capacidade ociosa, promoções e descontos agressivos. Mas, houve também quem considerasse que tudo isso é do jogo: produção se administra e promoções vieram para ficar. Consumidor mandar no mercado dever ser regra, não exceção.


RODA VIVA


ESTRATÉGIA de revelar em etapas um carro novo, iniciada pelo EcoSport, será repetida pela Ford. Novos subcompactos, hatch e sedã, substituirão de uma só vez o Ka atual e a versão anterior do Fiesta (Rocam), no segundo trimestre de 2014. Bill Ford, presidente do conselho da companhia, estará em Camaçari, dia 11 próximo, para a prévia do Ka hatch (sedã fica para depois).


TOYOTA confia que o novo Corolla, em meados do próximo ano, inovará o suficiente para recuperar a liderança entre sedãs médio-compactos. Não será inspirado no modelo para o mercado americano, considerado disruptivo para seus padrões. Ainda assim terá, pela primeira vez, versão esportivada para encarar o Civic Si, de volta em 2014.


FUSION híbrido mostrou evolução se comparado ao anterior, além do preço menor, mais interessante para o porte do carro em relação ao Toyota Prius. Mesmo com bateria mais potente, não é fácil se manter no modo zero emissão. Exige condições muito particulares para rodar a 100 km/h só com o motor elétrico. Economia de combustível aparece, porém leva 5 anos para amortizar a diferença de preço.

MANUTENÇÃO grátis – óleo, filtros e inspeções rápidas – por dois anos ou cerca de 40.000 km (o que ocorrer primeiro) está em oferta pelas quatro marcas da GM, nos EUA. Estratégia para aumentar retenção de clientes. Em geral, só marcas premium, como a BMW, oferecem. Aqui, Chevrolet anunciou plano de financiamento que inclui despesas com as revisões.

MAIOR rede de concessionárias do Brasil especializada em automóveis e motos de preço elevado (nove marcas, no total), Eurobike pretende voos mais altos. Estuda os mercados espanhol e português, com boas oportunidades, depois de anos de crise. Empresa passou de um faturamento de R$ 25 milhões para R$ 1 bilhão/ano, em uma década.

Fernando Calmon (fernando@calmon.jor.br), jornalista especializado desde 1967, engenheiro, palestrante e consultor em assuntos técnicos e de mercado nas áreas automobilística e de comunicação. Sua coluna automobilística semanal Alta Roda começou em 1º de maio de 1999. É publicada em uma rede nacional de 98 jornais, sites e revistas. É, ainda, correspondente no Brasil do site just-auto (Inglaterra).


Novos Fiat Fiorino, Strada e Uno Furgão no Fenatran


A Fiat revela novos representantes no segmento de utilitários na décima nona edição do Fenatran, Salão Internacional do Transporte realizado no Anhembi (São Paulo - SP) de 28 de outubro a 1º de novembro. Contamos mais uma vez com imagens de Rafael Susae.

Uma das novidades é a Fiorino, agora baseada no atual Uno, trazendo design mais moderno, motor 1.4 EVO Fire de 85/88 cavalos, 12,4/12,5 kgfm de torque (com gasolina/etanol, nesta ordem) e capacidade de carga de 650 quilos.


A Strada 2014 também esteve presente nas três versões: Working (voltada ao trabalho), Trekking (mais urbana, agora somente com opção cabine dupla) e Adventure, nas opções cabine estendida ou dupla. Como principal destaque, a presença de três portas na versão cabine dupla: uma à esquerda e duas à direita, facilitando o acesso dos passageiros. Também foram apresentados acessórios da Mopar, como extensor de caçamba e central multimídia com televisão digital.


Também foi apresentada no 19º Fenatran a versão de série do Uno Furgão, que traz grades nos vidros laterais e traseiros, além de assoalho plano e capacidade de carga de 400 kg. Ele será oferecido em duas cores (Branco Banchisa ou Prata Bari) e terá opção de motor 1.0 EVO Fire de 73/75 cv ou 1.4 EVO Fire de 85/88 cv (com gasolina/etanol, respectivamente). O Uno Furgão 1.0 custará R$ 30 900, ou R$ 32 900 com motor 1.4.


Para finalizar, a montadora dedicou um espaço à bruta picape RAM 2500.


Fotos | Rafael Susae

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Volvo encerra produção do C70


Revelado no Salão de Paris (França) em 1996, o Volvo C70 tornou-se um dos símbolos do rompimento da montadora sueca com o tradicional design "caixote" que perdurou até o início da década de 1990. Sua primeira geração contou com uma carroceria cupê e outra conversível, com teto de tecido de acionamento elétrico. 


A partir da segunda geração, de 2006, o C70 passou a ser um cupê-conversível de teto rígido que se divide em três partes e se recolhe no porta-malas em cerca de 30 segundos. Conversível sim, mas com foco na segurança como todo Volvo: em caso de detecção de capotamento, duas barras atrás dos assentos traseiros eram acionadas para a proteção dos ocupantes. O principal charme do interior era o console central "flutuante" sobre o painel.


O C70 foi reestilizado em 2010, ganhando as feições dos então novos modelos da marca, como o XC60. Seu motor 2.5 Turbo de cinco cilindros gera 230 cavalos e, nos Estados Unidos, os preços partem de US$ 41 200. A Volvo não faz questão de esconder seu fim de produção e já prepara um sucessor, com inspiração no Concept Coupé apresentado no Salão de Frankfurt (Alemanha).


terça-feira, 29 de outubro de 2013

Chevrolet anuncia recall da S10 Flex 2012 a 2014


A Chevrolet convoca 43 971 unidades da picape S10, todas equipadas com motor 2.4 Flexpower e produzidas entre 13 de junho de 2011 e 11 de outubro de 2013, modelos 2012, 2013 e 2014 (envolvendo unidades da antiga e da nova geração), para o recall da tubulação de combustível. O atrito desta peça com a presilha separadora das mangueiras de aquecimento ou com o chicote elétrico do sensor de pressão de ar pode danificar a tubulação de combustível, com risco de vazamento de gasolina ou etanol no compartimento do motor, podendo gerar incêndios.

As oficinas autorizadas realizarão o reposicionamento da presilha separadora das mangueiras de aquecimento e/ou do chicote elétrico do sensor de pressão de ar, e eventualmente fazer a substituição da tubulação de combustível. O tempo estimado para a execução do serviço, que começa a ser efetuado a partir de 31 de outubro, é de 30 minutos.

Chassis envolvidos

CC400001 a EC416094

Maiores informações

0800 702 4200

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Avaliação - VW Gol Rallye 2014


Este ano, a Volkswagen lançou duas variações com proposta "aventureira urbana" do Gol. A Track traz motorização 1.0, para-choque dianteiro da Saveiro, adesivos e molduras das caixas de rodas, enquanto o Rallye retoma a tradição que iniciou em 2004, ainda na Geração III (os diferenciais eram suspensão elevada, rodas pintadas de branco e painel com aplique prateado). O Rallye baseado no Gol G4 foi lançado em 2007, e em 2010 chegou ao mercado o Gol Rallye Geração 5, com visual semelhante ao da então recém-apresentada Saveiro Cross.

Esta versão passa a ser a topo-de-linha do Gol, trazendo motor 1.6 e uma grande lista de equipamentos - a ponto de gerar dúvidas entre comprá-lo ou levar o CrossFox. O Auto REALIDADE traz as impressões da linha 2014 do hatch aventureiro da Volkswagen.


Seu design agrada pelos detalhes exclusivos, como a grade com aberturas hexagonais, friso cromado e o nome "Rallye" no canto esquerdo, o para-choque com grandes faróis de neblina e detalhes prateados, as rodas 16'' Pikes (à esquerda), o aerofólio e o defletor de ar no para-choque traseiro. As faixas laterais, que simulam sujeira, e as cores vivas (amarelo e vermelho) não agradam a todos, mas fazem parte da proposta da versão. A altura em relação ao solo foi aumentada em 2,8 centímetros, em comparação com o Gol 1.6.


Por dentro, o Gol Rallye não chega a ser sofisticado como alguns dos modelos em sua faixa de preço, mas acabamento (com exceção do círculo nos painéis das portas onde, nas versões básicas, fica a manivela) e ergonomia são bons. De série, ele vem com airbags frontais, ar-condicionado, direção hidráulica, volante regulável em altura e profundidade, vidros, travas e retrovisores elétricos, tomada 12V, sensores de estacionamento traseiro, pedaleiras de alumínio, chave-canivete, freios ABS com distribuição eletrônica de frenagem, para-sol com iluminação, pintura do painel em dois tons, limpador e desembaçador do vidro traseiro, porta-revistas para os ocupantes de trás e palhetas aerowischer (com aerodinâmica melhor e funcionamento mais silencioso). O carro das imagens traz o pacote i-Trend, composto por volante com comandos de áudio e Rádio CD Player/MP3 (acima) com entrada USB, Bluetooth, interface para iPod, moldura preto brilhante e iluminação vermelha. Acima dele, há sete teclas, das quais apenas três podem ser acionadas. O espaço interno é justo para quatro adultos e uma criança. Os instrumentos oferecem boa leitura. O porta-malas tem capacidade de 285 litros e rede porta-objetos. O Gol possui 3,92 metros de comprimento, 1,90 metro de largura, 1,49 m de altura e distância entre-eixos de 2,465 metros.


Seu motor 1.6 8v EA111 VHT gera 101 cavalos e 15,4 kgfm de torque com gasolina ou 104 cv e torque de 15,6 kgfm com etanol a 2500 rotações por minuto, gerando desempenho suficiente no uso cotidiano. A VW declara que o Gol Rallye faz de 0 a 100 km/h em 10,3 segundos e chega a 181 km/h com etanol (utilizando gasolina, acelera de 0 a 100 km/h em 10,6 s e atinge 179 km/h).


No test-drive realizado próximo à concessionária Alemanha, com cinco pessoas a bordo, foi possível constatar as diferenças entre o Gol Rallye (posição de dirigir mais baixa e filtração das imperfeições do piso regular) e o CrossFox, ao lado (com rodar mais macio, mais espaço interno e visibilidade ampliada, porém com um complicado sistema de abertura do porta-malas, por conta do estepe na traseira). Com gasolina, o consumo urbano do Gol fica na casa de 10,5 km/l, média que cai para cerca de 7 km/l utilizando etanol. O tanque de combustível comporta 55 litros.


O Gol Rallye parte de R$ 46 670, com cores sólidas disponíveis sem custo adicional (Branco Cristal, Preto Ninja e Vermelho Flash) e metálicas pagas à parte (o Amarelo Solaris, classificado como "cor especial", adiciona R$ 1585 ao preço; as tonalidades Cinza Spectrus, Prata Sírius [cor do carro da matéria] e Vermelho Apple custam R$ 1071).

Como opcionais, revestimento em couro (+ R$ 631), lanterna esquerda de neblina (+ R$ 121), função Coming/Leaving Home (+ R$ 201), pacote I-Trend (+ R$ 1175) e câmbio automatizado de cinco marchas i-Motion (com ele, o Gol Rallye custa R$ 49 450). A garantia é de apenas 1 ano. Os principais concorrentes do Gol Rallye são: Renault Sandero Stepway (R$ 45 370), Hyundai HB20X Style (R$ 48 755) e, na mesma faixa de preço porém sem direcionamento aventureiro, Fiat Palio Sporting, Ford New Fiesta SE, Peugeot 208 Allure, Citroën C3 Tendance e Chevrolet Onix LTZ.

Veredicto: o Gol Rallye é uma boa opção para consumidores que desejam um modelo atual, com pacote de equipamentos além do trivial, bom desempenho e confiabilidade. Ele não chega a oferecer diferenciais impressionantes frente aos concorrentes, mas é um carro equilibrado e pode encarar a selva urbana com mais facilidade. O preço poderia ser mais competitivo (especialmente com opcionais) e o valor do seguro, dependendo do perfil do condutor, também pode ficar elevado. 


O Gol Rallye tirou...

Design_ 9,0 
Espaço interno_ 8,0 
Conforto_ 7,5 
Acabamento_ 8,5 
Equipamentos_ 8,5 
Desempenho_ 8,5 
Consumo_ 8,0 
Custo-benefício_ 8,5

Nota Final_ 8,3

Veja mais fotos do VW Gol Rallye!




domingo, 27 de outubro de 2013

Fiat revela nova Fiorino no 19º Fenatran


A Fiat finalmente revela a nova geração do Fiorino no mercado brasileiro. Baseada no atual Uno, o utilitário é praticamente igual ao hatch até as portas dianteiras, trazendo retrovisores maiores, calotas exclusivas e friso preto com o nome do modelo em baixo-relevo. As lanternas são as mesmas do Doblò e os vidros e portas traseiros são assimétricos. A Fiat declara que o Fiorino ganha bancos mais confortáveis, mais ergonomia e porta-objetos (por enquanto não foram reveladas imagens do interior). O motor é o 1.4 EVO, que gera 85 cv e 12,4 kgfm de toque com gasolina e 88 cv e 12,5 kgfm com etanol @ 3500 rpm.


Outra novidade da Fiat para a 19ª edição do Salão Internacional do Transporte (Fenatran) é o novo Uno Furgão, com opção de motor 1.0 ou 1.4 e capacidade de levar 1000 de volume de carga ou 400 kg de peso. Ele será oferecido nas cores Branco Banchisa e Prata Bari.


Curta a página do Auto REALIDADE!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...