Volkswagen SpaceFox e Space Cross finalmente chegam ao mercado


Uma das poucas remanescentes da categoria perua (embora, para a montadora, seja uma "sportvan" - reúne o porta-malas e o toque esportivo das station wagons com a posição de dirigir elevada e a versatilidade das minivans), a Volkswagen SpaceFox reestilizada, que foi apresentada durante o Salão de São Paulo em 2014, passa a ser comercializada no Brasil. No embalo vem sua versão "aventureira", a Space Cross. Externamente, as peruas recebem as modificações pelas quais passaram Fox e CrossFox: faróis puxados para cima, capô e para-choques redesenhados, lanternas com novo estilo interno e gama de rodas e calotas renovada: na versão Comfortline, as rodas de aço recebem calotas "Samba" aro 15'', nesta versão é disponível como opcional o modelo "Jazz" de 15 polegadas, de de série para a Highline, que pode receber o modelo "Tango" de 16 polegadas das fotos.


O SpaceFox Comfortline, que custa R$ 58 590 com câmbio manual ou R$ 62 090 com o automatizado I-Motion, vem com o motor 1.6 8 válvulas que, com etanol, produz 104 cavalos a 5250 rpm e torque de 15,6 kgfm a 2500 rpm, trazendo de série direção elétrica, ar-condicionado, Rádio RCD 320G, quatro vidros e retrovisores externos elétricos (o espelho direito conta com tilt-down ao engatar a ré), coluna de direção com ajuste de altura e distância, retrovisores com luzes de seta integradas, computador de bordo I-System, faróis e lanterna de neblina, freios a disco nas 4 rodas com ABS, EBD e sinalização luminosa de frenagem brusca, iluminação no porta-malas, no porta-luvas e nos para-sois (com espelhos), além do banco traseiro rebatível e corrediço (ARS).


Como opcionais, faróis de neblina com luzes de conversão estática (iluminando em curvas fechadas e de baixa velocidades), teto solar elétrico e sensores de estacionamento na frente e atrás. Na versão manual, a SpaceFox Comfortline acelera de 0 a 100 km/h em 11,2 segundos (etanol) e 11,5 s (gasolina), alcançando a velocidade máxima de 180 km/h (etanol) e 179 km/h (gasolina).




A versão Highline (R$ 64 490 manual, ou R$ 67 990 com o I-Motion) se distingue mecanicamente pelo motor 1.6 MSI de 110/120 cavalos, torque de 15,8/16,8 kgfm e pelo câmbio manual de seis marchas. De série, esta versão traz volante revestido em couro com comandos de som, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, lanternas escurecidas, pedaleiras esportivas, rodas de liga leve aro 15'', frisos cromados, sobretapetes de carpete com fixação no assoalho, controle de tração M-ABS e opção de interior com tonalidade mais clara.


A SpaceFox Highline acelera de 0 a 100 km/h em 10,1 segundos e atinge velocidade máxima de 191 km/h, com etanol. Utilizando gasolina, os números são de 10,6 segundos para a aceleração de 0 a 100 km/h e 185 km/h de velocidade máxima.



Como opcional está disponível o sistema multimídia RNS 315, com tela sensível ao toque de 5,5 polegadas, Bluetooth, rádio com função RDS, CD Player com MP3 e WMA, entradas auxiliar, USB e leitor de cartão SD para mapas de GPS, arquivos de música e outras funcionalidades. Há ainda controle eletrônico de estabilidade, assistente de partida em ladeiras, assistente de frenagem de emergência, bloqueio eletrônico do diferencial, controle do efeito freio-motor e controle do momento de giro em pisos com diferentes níveis de atrito.


A Space Cross ostenta para-choque dianteiro ao estilo CrossFox (e Fox Pepper), nome da versão na grade superior, faróis auxiliares com dupla função (neblina e longo alcance), rodas "Soul" aro 15'' com pneus 205/55, barras longitudinais no teto, aerofólio traseiro na cor da carroceria e lanternas escurecidas.


Internamente, a perua "aventureira" conta com pedaleiras de alumínio, soleiras internas, bancos de tecido com malharia “Kecil” cinza e inscrição Cross nos assentos dianteiros (com couro sintético "native" opcional), controlador automático de velocidade, faróis com sistema “coming & leaving home”, sensores de luminosidade e de chuva, retrovisor interno eletrocrômico. Os freios ABS possuem função off-road como opcional, ofertado junto com o controle de estabilidade, ativado por botão e que provoca travamentos, reduzindo o espaço de frenagem na terra.


O câmbio automatizado I-Motion recebe a segunda versão do software de gerenciamento eletrônico (segundo a VW, as trocas de marcha estão mais suaves e precisas, reduzindo gradativamente o torque do motor nas trocas automáticas, retornando assim que a marcha seguinte é engatada). Há também a possibilidade de trocas manuais na manopla do câmbio ou em paddle-shifts atrás do volante, e o recurso "Upshift Abort" para o motor 1.6 16v, que aborta a troca para uma marcha superior, mantendo a rotação do motor elevada para disponibilizar mais torque e potência. Com esse câmbio, os números de velocidade máxima são iguais aos da versão manual, e a aceleração de 0 a 100 km/h ocorre em 11,8 segundos (etanol)/12,1 segundos (gasolina).

A Space Cross parte de R$ 69 690 sem opcionais, mas pode chegar ao preço absurdo de R$ 81 916 com todos os opcionais e pintura perolizada.


Comentários