Nissan March e Versa 2019 estreiam novidades na central multimídia

Latin NCAP revela resultados de Fiat Mobi, Kia Rio e GM N300 nos crash-tests



A quarta série de resultados divulgadas em 2017 do Latin NCAP foi marcada pelos decepcionantes resultados de zero estrela para a versão de passageiros do Chevrolet N300, apenas uma estrela para o Fiat Mobi fabricado no Brasil e duas estrelas para a atual geração do Kia Rio Sedan.



Quantitativamente, o Fiat Mobi foi até melhor que o Palio na proteção a adultos (somando 19,20 pontos de 34 possíveis, ante 18,09 do modelo mais velho). A proteção para crianças, no entanto, foi reduzida: 26,98 de 49 pontos possíveis (2 estrelas), enquanto o Palio teve nota 31,57 (3 estrelas). O Mobi proporcionou proteção marginal ao peito dos adultos no teste de impacto frontal e estrutura estável nesse impacto; já a proteção ao peito do adulto no impacto lateral foi fraca. O desempenho estrutural do Mobi no impacto lateral mostrou uma alta penetração similar ao Chevrolet Onix, que tirou nota zero. A falta de airbags laterais junto com o desempenho estrutural ruim no impacto lateral explicam a baixa pontuação obtida. A porta traseira se abriu neste teste de colisão, expondo os ocupantes a potenciais riscos. A falta de cintos de segurança de três pontos em todas as posições dos bancos, bem como o fato de não contar com ancoragens ISOFIX padrão, preocupa o Latin NCAP, já que isso limita a instalação das cadeirinhas.




O Kia New Rio Sedan, fabricado no México, tirou duas estrelas de proteção a adultos e duas estrelas para proteção de crianças. Esse novo modelo do Rio Sedan oferece apenas o airbag para o motorista como padrão. A estrutura na colisão frontal foi considerada estável, mostrando um bom desempenho também no impacto lateral; contudo, a falta de airbags laterais limitou sua capacidade de proporcionar uma melhor proteção. O modelo não conta com freios ABS nem controle eletrônico de estabilidade como equipamento de série, fato que surpreende o Latin NCAP. A falta de ancoragens ISOFIXs, de cintos de três pontos para todos, os problemas quanto à instalação das cadeirinhas e as instruções de instalação limitadas para estes assentos explicam as duas estrelas obtidas em proteção para criança.




Já a minivan de passageiros Chevrolet N300, produzida na China, obteve fraca proteção no teste de impacto frontal, ganhando zero estrela para a proteção dos adultos e uma estrela para a proteção de crianças. A falta de airbags e a estrutura instável explicam o alto risco de lesões registrado. A proteção das crianças também foi fraca, pois o veículo traz cintos de segurança de dois pontos em dois dos três bancos da segunda fila (onde são instaladas as cadeirinhas de crianças), além de não ter ancoragens ISOFIX e não oferece nenhuma informação sobre a instalação adequada das cadeirinhas. O teste de colisão lateral foi feito a pedido do fabricante, e mostrou proteção marginal para o tórax do adulto. Ambas as portas do lado impactado se abriram no teste de colisão.



Alejandro Furas, Secretário Geral do Latin NCAP, disse:
“É decepcionante que, depois de passados sete anos da Década de Ação para a Segurança Viária da ONU, nenhum país da América Latina ainda conte com regulamentação efetiva obrigatória de ESC e de proteção contra impactos laterais. Os governos latino-americanos estão, ainda hoje, mais de 20 anos retrasados quanto às regulamentações europeias e estadunidenses a respeito da segurança dos veículos. De um lado, parte desses governos estão dispostos a melhorar, de outro, infelizmente, aquelas que assinam as decisões estão influenciadas pelo lobby da indústria para adiar ou bloquear as regulações. Isso deve parar. O Latin NCAP mostrou a capacidade de impulsionar o mercado para obter carros mais seguros além das exigências governamentais. Os governos devem ter uma cooperação mais ativa com o Latin NCAP e fazer obrigatórias a regulamentações dos testes de batida sem que as estelas sejam uma limitante para vender os veículos".


Ricardo Morales Rubio, Presidente da Comissão Diretora do Latin NCAP, disse:
"Preocupa muito que, ainda no ano 2017 e prestes a finalizar a “Década de Ação para a Segurança Viária”, nossos governos continuem a permanecer indiferentes em relação à problemática que implica uma fraca legislação nacional ou sua total carência. Ela deveria se focar nos consumidores para eles contarem com veículos mais seguros, bem como para serem informados objetivamente acerca dos níveis e condições de segurança próprios nos quais estão fazendo elevados investimentos. Daqui eu faço um chamado a nossos governantes, fabricantes e a sociedade mesma para podermos continuar a trabalhar juntos a respeito disso, adotando uma posição firme sobre a segurança dos carros comercializados em nossos países."


O Latin NCAP irá anunciar novos resultados de crash-tests no mês de setembro.

Comentários