Os detalhes do Volkswagen Tiguan R-Line, a versão topo-de-linha


Em um segmento tão concorrido como o de utilitários esportivos de médio porte, é preciso lançar mão de vários diferenciais para cativar os consumidores. A nova geração do Volkswagen Tiguan, lançada este ano e que passa a carregar o sobrenome Allspace, concentra seus principais atributos na versão R-Line. Na Europa, é comum a VW oferecer uma versão de maior performance (R) e outra apenas com o pacote visual mais esportivo. No caso do Brasil, o Tiguan R-Line acabou sendo também a de maior desempenho, já que é a única a usar o motor 2.0 de 220 cavalos (350 TSI) e câmbio DSG de 7 marchas, enquanto as versões 250 TSI e Comfortline trazem sob o capô o propulsor 1.4 de 150 cavalos e o câmbio possui 6 velocidades.


Externamente, o Tiguan Allspace R-Line 350 TSI traz para-choques diferenciados, com molduras em preto brilhante, e entradas de ar maiores. Um friso cromado na parte inferior do para-choque da frente se une visualmente aos faróis de neblina. 


Os faróis em LED trazem assistente de farol alto, comutando para luz baixa quando outro veículo com luzes acesas é detectado. A parte inferior é emoldurada por frisos cromados, que se estendem até a traseira. 


O SUV traz molduras pretas junto aos para-lamas e rodas de liga leve “Sebring” de 19 polegadas (com pneus 255/45). 


Na parte inferior, destaque para aerofólio parcialmente pintado em preto brilhante. O logotipo “R-Line” aparece na grade frontal e nos para-lamas dianteiros.


A cabine do Tiguan Allspace R-Line 350 TSI tem ambientação toda em preto, incluindo colunas, forro de teto e bancos. A parte superior do painel e das portas dianteiras possuem material macio ao toque, enquanto os bancos e forros de porta são revestidos de couro Vienna, há porta-objetos forrados em carpete (como nas portas dianteiras e no alto do painel), e o forro de teto é de tecido. 


O volante multifuncional tem base reta, couro perfurado e logo R-Line na parte inferior do raio central. Os encostos dos bancos dianteiros também trazem a identificação da versão. As soleiras e pedaleiras são de aço inoxidável escovado. Há ainda iluminação ambiente nas laterais de porta e sob os pés. 


Só esta versão conta com o quadro de instrumentos digital (Active Info Display), exibido na tela de 12,3 polegadas e resolução de 1440 x 540 pixels. Ao todo, há seis modos preexistentes de visualização das informações.


Como nas outras versões, o sistema multimídia é o Discover Media, com tela touchscreen de 8 polegadas, espelhamento de tela de celulares através do Android Auto, Apple CarPlay e Mirrorlink, pareamento simultâneo de 2 celulares por Bluetooth, 3 entradas USB (duas na parte dianteira e uma voltada para os ocupantes da segunda fileira), comando de voz, reprodutor de fotos e vídeos, GPS e o aplicativo Think Blue Trainer, que monitora se o motorista está conduzindo economicamente.


A tampa do porta-malas possui abertura motorizada ("Easy Open") e pode também ser aberta com o gesto de passar o pé sob o para-choque, desde que a chave esteja em um raio de um metro e meio do veículo. O primeiro botão fecha a tampa de imediato, enquanto o segundo só fecha após a chave se afastar mais de 1,5 metro do veículo. Há ainda um sensor para impedir o fechamento quando houver algo entre a tampa e o para-choque.


Outro diferencial é o controlado adaptativo de velocidade de cruzeiro, que mantém uma distância (programada pelo condutor) do veículo à frente, freando ou acelerando para manter a velocidade, ou até mesmo parando o carro completamente caso necessário, desde que o motorista mantenha as mãos no volante.


Na hora de estacionar, há o auxílio do assistente semi-automático Park Assist 3.0, para entrar e sair da vaga em estacionamentos paralelos, podendo ser usado também para estacionar o carro de frente em vagas perpendiculares. Caso haja iminência de colisão, o sistema freia o carro.


Além do freio de estacionamento elétrico, o Tiguan traz o Auto Hold, que libera o motorista da tarefa de manter o pé no freio nas paradas. Por sinal, nestas paradas o motor irá ser desligado momentaneamente, e religado assim que se pisa no acelerador, para economizar gasolina.


Única versão com tração nas quatro rodas (com acionamento eletrônico), o Tiguan R-Line também traz um comando giratório para selecionar o perfil de condução, entre quatro modos: “normal”, “neve”, “off road” e “off road individual”.


Dentro do modo normal, há mais 4 opções de modos de condução. O Eco prioriza a economia de combustível, enquanto o Normal mantém os ajustes de fábrica, o Sport é indicado para uma condução mais esportiva, e no Individual é possível ajustar os parâmetros de direção, tempo de troca de marcha e outros assistentes de condução.

O modo “Neve” (para situações de baixa aderência) ajusta a resposta da direção, gerenciamento do câmbio, respostas do controlador de velocidade adaptativo e assistência dos faróis. Esses mesmos itens são adaptados para o fora de estrada quando se opta pelo modo “Off Road”, que regula ainda os assistentes de partida em subida, controlador de velocidade de descida e de auxílio ao estacionamento. A opção “Off Road individual” permite ajustar estes assistentes de condução da forma desejada pelo motorista.


O R-Line também é o único a ter chave presencial e partida do motor por botão: nas outras versões, é preciso virar a chave para acionar a ignição.


Em termos de segurança, o Tiguan R-Line vem bem completo. Traz itens como o Pro Active, que ao detectar uma situação de acidente potencial – como forte frenagem ou uma derrapagem –, os cintos de segurança dianteiros são pré-tensionados para assegurar uma melhor proteção em caso de acidente.

Já o Front Assist usa sensor por radar integrado à frente do veículo que monitora constantemente a distância dos veículos adiante e pré-condiciona o sistema de freios e alerta o condutor por meio de sinais (visual ou sonoro) – ou, num segundo estágio, por meio de um breve solavanco. É complementado pelo City Emergency Braking, que funciona abaixo de 30 km/h para evitar uma colisão frontal iminente.


O R-Line vem sempre com 7 lugares (no Comfortline, esse arranjo de assentos é opcional). Quando os sete bancos estão em uso, seu porta-malas comporta 216 litros, volume que cresce para 686 L ao se rebater os assentos da última fileira (processo feito por alavancas nas laterais do porta-malas) e chega a 1761 litros com o rebatimento também da fileira central de bancos.


O Tiguan Allspace R-Line traz o motor 2.0 TSI EA888 com 220 cavalos (de 4300 rpm até 6200 rpm) e 35,7 kgfm de torque (entre 1600 e 4200 rpm). São 20 cv adicionais e mais 7,1 kgfm de torque em relação ao Tiguan 2.0 antigo. Já o câmbio é o automatizado de dupla embreagem (imersas em óleo) DSG de sete marchas. Esse conjunto mecânico faz o SUV acelerar de 0 a 100 km/h em 6,8 segundos e atingir a velocidade máxima de 223 km/h - bons resultados para um utilitário de 1785 quilos.


Esta versão do Tiguan parte de R$ 184.990 e está disponível em 5 cores: uma sólida (Branco Puro, sem custo adicional), três metálicas (Vermelho Ruby, Prata Snow e Cinza Platinum, por R$ 2170) e uma perolizada (Preto Mystic, por R$ 2590). O único opcional do modelo é o teto solar panorâmico elétrico (R$ 4540).


Comentários