Em detalhes: Renault Zoe E-Tech Intense 2022

No Brasil do ano de 2021, os carros elétricos ainda não são encontrados em cada esquina, as estações de recarga não são tão onipresentes quanto os postos de combustíveis e sequer se desenvolveu a cultura de respeitar as vagas destinadas para veículos elétricos. Mas boa parte das montadoras está anunciando que, gradativamente, ampliarão a oferta de modelos movidos a eletricidade. Uma delas é a Renault, que lançou este ano o Zoe E-Tech 2022 e promete mais dois modelos recarregáveis na tomada para o Brasil até o próximo ano.

Por ora, o Renault Zoe só está efetivamente disponível em 16 concessionárias de 12 cidades pelo Brasil (São Paulo, Campinas, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Divinópolis, Curitiba, São José dos Pinhais, Porto Alegre, Chapecó, Fortaleza, Recife e Brasília). Mas existem alguns casos de unidades encomendadas para outras regiões do Brasil, como o caso deste exemplar clicado pelo Auto REALIDADE. Ele será de uso da Eletrobrás e, antes da entrega, passará alguns dias exposto no showroom de uma das concessionárias da marca.

O Zoe está disponível nas versões Zen (R$ 204.990) e Intense (R$ 219.990). A versão mais completa possui uma gama de seis cores para a carroceria (azul Céladon, vermelho Flamme, branco Quartz, cinza Highland, cinza Titanium e preto Etóile), enquanto a versão Zen não dispõe dos tons vermelho Flamme e cinza Titanium. Há a alternativa de assinar o Zoe através do Renault On Demand, unicamente com plano de 36 meses com possibilidade de rodar até 1000 km por mês. O valor mensal é de R$ 3.890.

O modelo 2022 recebeu alterações importantes em relação ao modelo anterior, lançado no Salão do Automóvel de São Paulo de 2018. Na parte externa, mudaram faróis, grade superior, para-choque dianteiro, alojamentos para os faróis de neblina, rodas (de 16 polegadas) e lanternas. Estas incorporam luzes de seta dinâmicas. Na parte interna também há diversas novidades: o painel foi extensamente redesenhado.

Entre as "ousadias tipicamente francesas" do modelo estão as maçanetas das portas traseiras que possuem um mecanismo curioso: primeiro, é preciso pressioná-las com os dedos para elas saltarem. Assim que elas não estiverem mais rentes à carroceria, é possível puxá-las. Além disso, os porta-revistas embutidos atrás dos bancos dianteiros são acessados pelas laterais.

O interior do Zoe possui bom espaço interno - vale dizer que ele é ligeiramente maior do que um Sandero no comprimento, largura e altura. A cabine possui painel com material macio ao toque na parte superior, além de tecido reciclado revestindo faixa central do painel, parte dos forros de porta e laterais da parte superior do console. Também há alguns porta-objetos com fundo emborrachado e couro no volante e em parte dos bancos. Já o teto possui carpete simples e as portas traseiras possuem forros totalmente em plástico.

A lista de equipamentos de série da versão Intense inclui ar-condicionado digital automático de zona única com regulagem de meio em meio grau Celsius (entre 16 e 26º C), quadro de instrumentos com tela digital de 10 polegadas, retrovisor interno fotocrômico, controlador e limitador de velocidade de cruzeiro, vidros elétricos nas quatro portas, encosto do banco traseiro bipartido e rebatível, retrovisores externos com rebatimento elétrico, para-sóis com espelhos e iluminação, sistema multimídia com tela de 7 polegadas, comandos-satélite na coluna de direção e 6 alto-falantes; airbags frontais e laterais (com opção de desativação da bolsa inflável do passageiro dianteiro), freios ABS com assistente de frenagem de emergência, repetidores laterais de seta, cintos de segurança de 3 pontos para todos os passageiros, acendimento automático dos faróis com comutação automática da luz alta, sensor de chuva, monitoramento de veículos em pontos cegos, alerta de cinto de segurança não afivelado, controle de estabilidade, luzes de condução diurna em LED, dois pontos de fixações ISOFIX no banco traseiro, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, cintos de segurança dianteiros com regulagem de altura e pré-tensionador, faróis de neblina e sensor de pressão dos pneus.

É curioso ligar o Zoe. Com o pé no freio, o dedo no botão de ignição e a chave-cartão dentro do veículo, não se sente a mínima vibração ou ruído que indique que o elétrico da Renault está em funcionamento. É necessário se atentar a outros detalhes, como os avisos do painel, a operação do ar-condicionado (que efetivamente gera alguns ruídos) e a direção que passa a ter a assistência elétrica, como um carro tradicional assim que é ligado.


A alavanca de câmbio é nova e fica mais elevada. No lugar do trilho comum do Zoe anterior, agora há o "e-shifter", com as mudanças no estilo shift-by-wire: basta deslocar a alavanca para frente e para trás até chegar na posição de câmbio desejada. A posição Drive agora convive com o modo B, no qual o carro desacelera de forma nitidamente mais forte assim que o condutor solta o pedal do acelerador. Além disso, agora o Zoe possui freio de estacionamento elétrico e Auto Hold no lugar da velha alavanca de freio de mão do modelo anterior.


A capacidade do porta-malas é de 338 litros.


O motor R135 entrega 100 kW de potência (antes eram 68 kW) e o equivalente a 25 kgfm de torque, de forma instantânea. Esta força em kW equivale a 135 cavalos. Segundo a Renault, o Zoe agora retoma de 80 a 120 km/h em 7,1 segundos, ou seja, 2,2 segundos em comparação com o modelo anterior com o motor R110. Ainda segundo a marca, ele vai de 0 a 100 km/h em menos de 10 segundos e alcança a velocidade máxima de 140 km/h. O capô é sustentado por amortecedores


Comentários