Avaliação: De visual novo, Nissan Kicks Exclusive traz mais assistências ao motorista


Texto e Fotos | Júlio Max, de Teresina - Piauí 
Agradecimentos | Assessoria de Imprensa Nissan

Há exatamente cinco anos, o Kicks ainda era uma aposta da Nissan para o Brasil. O segmento de SUVs compactos começou a fervilhar no ano de 2015, com a chegada de modelos como Jeep Renegade, Honda HR-V e Peugeot 2008, acabando com a calmaria que os veteranos Ford EcoSport e Renault Duster vivenciavam naquela época. A jogada da Nissan se revelou certeira, pois o Kicks conseguiu seu lugar ao sol. Ele já teve mais de 200 mil unidades comercializadas de 2016 até hoje, tornando-se rapidamente o produto mais importante da Nissan no Brasil e passando a ser fabricado no Rio de Janeiro a partir de 2017. Agora, o Kicks passa por sua primeira reestilização na sua linha 2022, que se destaca pelo visual mais atraente e pelas novidades em termos de equipamentos - especialmente em relação às assistências de condução ao motorista.

 

O Auto REALIDADE conviveu diariamente por uma semana com a versão topo-de-linha Exclusive 1.6 CVT com o pacote opcional Pack Tech, modelo que ilustra muito bem todas as evoluções pelas quais o Kicks passou em sua reestilização. Na linha 2022, houve um troca-troca nas nomenclaturas de todas as versões (exceto da Active, que é destinada para vendas diretas). O Kicks S agora atende pelo nome Sense, enquanto o modelo intermediário SV agora é Advance. Por fim, a versão top-de-linha SL passa a se chamar Exclusive. Esta é a mesma "escada" de versões que foi inaugurada no Brasil pelo novo Versa, lançado em outubro de 2020.


As mudanças externas deixam o Kicks brasileiro praticamente idêntico ao modelo vendido na América do Norte. Na parte externa, a frente passa a ter faróis mais afilados, com LEDs nas luzes de posição, facho baixo, facho alto e piscas. Olhando atentamente, é possível ver que as lentes que servem às luzes de posição e aos piscas possuem tramas de triângulos, muito bonitas. 


Já a grade superior em preto-brilhante está bem maior, destacada pela grossa moldura cromada, e conserva o símbolo da Nissan através de um escudo translúcido. O para-choque dianteiro traz alojamentos para os faróis de neblina mais arrojados (também em preto-brilhante), e se destaca pelo friso cromado em sua base, um elemento pouco comum neste segmento. E o para-brisa incorpora uma câmera para monitoramento dianteiro e uma tag do Sem Parar, para débito automático, evitando filas em pagamentos. É possível escolher entre ativar o serviço, pagando as mensalidades, ou não.


Lateralmente, a principal modificação ocorreu no estilo das rodas de 17 polegadas (compartilhadas entre as versões Advance e Exclusive), calçadas com novos pneus Bridgestone Turanza T005 205/55. Eles possuem maior coeficiente de atrito, visando melhorar a aderência e reduzir o espaço de frenagem do veículo. As versões Sense manual e Active conservam as rodas de aço de 16 polegadas com calotas, ao passo que a variante Sense automática manteve as rodas de liga leve de 16 polegadas da versão S CVT. A versão Exclusive se diferencia da Advance por ter maçanetas externas cromadas. 


Uma novidade é a antena de teto ao estilo "barbatana de tubarão", presente em todas as versões (exceto na Active).


E na traseira, a principal modificação se deu nas lanternas, agora escurecidas, com novo estilo interno (que inclui luzes de posição de LED), lentes que também trazem tramas de triângulos (essa frase parece um trava-línguas) e um enorme prolongamento decorativo na tampa do porta-malas, que não acende. Observando com mais atenção as laterais das lanternas, é possível ver a inscrição "Nissan Kicks". 


Outra alteração se deu no para-choque traseiro: o desenho da peça está mais ousado e a área pintada na cor da carroceria ficou maior. A cor Azul Elétrico, que marca o lançamento da linha 2022 no Brasil, é bem viva e chamou a atenção pelas ruas de Teresina.


Com 4,31 metros de comprimento, 1,61 metro de altura, largura de 1,76 m (sem retrovisores) e distância entre-eixos de 2,62 metros, o Kicks 2022 teve a única mudança dimensional em relação ao anterior no comprimento: ele ficou 1,5 centímetro mais longo que o modelo antigo.


O interior do Kicks 2022 também traz boas novidades, ainda que o ambiente continue bem familiar para quem já conhecia o modelo anterior. O volante da versão Exclusive tem o aro revestido de couro com costuras aparentes. Nele estão concentrados os comandos de controle do computador de bordo, volume e faixas do sistema de som, controle de velocidade de cruzeiro (piloto automático) e comandos de voz/telefone. A coluna de direção tem ajuste de altura e profundidade.


Vale ressaltar que o controlador de velocidade de cruzeiro no Kicks Exclusive é do tipo tradicional e mantém a velocidade desejada entre 40 e 144 km/h, mas não regula a distância do veículo à frente. Esta versão com o Pack Tech dispõe do alerta de colisão frontal em conjunto com o recurso da frenagem automática de emergência (caso o motorista não reaja a tempo aos alertas, ou no caso de ser aplicada pouca força no pedal do freio). Este recurso começa a ser ativado a partir de 5 km/h, e para de funcionar a cerca de 80 km/h. Existem certas limitações deste sistema, como a detecção de veículos muito estreitos (como bicicletas), além da detecção de automóveis durante uma curva ou quando houver sujeira no sensor ou na pista, por exemplo.


O quadro de instrumentos mantém o layout já conhecido da versão SL, composto por uma tela colorida de 7 polegadas no lado esquerdo, que exibe diversas informações que podem ser ajustadas pelos botões no volante referentes ao computador de bordo, e pelo velocímetro analógico no canto direito, que possui uma haste para ajustar o brilho dos instrumentos e passar para o hodômetro seguinte ou zerar a distância percorrida.


Quando avaliamos o Versa Advance, criticamos o fato do quadro de instrumentos ter somente três opções de idiomas: inglês, francês e espanhol. Já o Kicks possui a quarta opção da exibição das informações em português brasileiro. Assim como no sedã, o SUV possui esta tela de 7 polegadas nas versões intermediária e completa (Advance e Exclusive).

As informações disponíveis são:
  • Indicadores: exibe o conta-giros digital (marca até 8 mil rpm, com faixa vermelha iniciando pouco depois de 6500 rpm, mas a rotação máxima deste motor é de 6750 rpm. Dentro do conta-giros está o indicador de autonomia estimada). Curiosamente, o Kicks exibe o número 1 na escala do conta-giros (indicando 1000 rpm), enquanto no Versa com quadro digital os dígitos pulam do 0 para o número 2.
  • Áudio: mostra informações de som, como nome da música/estação. É possível alterar a fonte pelo botão "OK" (USB 1 ou 2, Bluetooth, rádio AM ou FM, entrada auxiliar). 
  • Economia de combustível: exibe dois estilos de gráficos relativos ao consumo instantâneo de combustível: um em forma de barras verticais, outro representado por uma barra horizontal, que mostram se o motorista está superando a média de consumo anterior ou não. 
  • Computador de bordo: na versão Exclusive do Kicks, exibe cinco telas: 
    • 1 - auxílio de condução - traz um gráfico que acende luzes caso sejam detectados veículos próximos na região dos pontos cegos, caso o motorista esteja invadindo outra faixa de rodagem e caso outro veículo à frente esteja muito próximo do Kicks
    • 2 - computador de bordo: exibe média de consumo de combustível, velocidade média, distância percorrida e tempo de viagem
    • 3 - velocímetro digital acompanhado do nome da música/estação e de uma versão menor dos gráficos do auxílio de condução
    • 4 -  indicador de temperatura do líquido de arrefecimento do motor 
    • 5 - controle de chassi - permite verificar quais funcionalidades estão ativadas, uma vez que é possível desativar o controle de curvas e o controlador do freio-motor
  • Configurações: neste menu é possível entrar nas seguintes definições:
    • Configuração ESP: ativa ou desativa os controles eletrônicos do veículo.
    • Assistência ao condutor: é possível ativar ou desativar o alerta de saída de faixa involuntária, o alerta de veículos em pontos cegos, a frenagem automática de emergência, os auxílios de estacionamento, o temporizador de alertas por tempo (que sugere uma pausa para um café), o alerta de temperatura baixa e o controle de chassi (aqui é possível ativar ou desativar o controle de curvas e o controlador do freio-motor).
    • Personalizar a tela: é possível escolher quais telas de computador de bordo serão exibidas, configurar as definições dos gráficos de Economia e escolher se será exibida a animação de boas-vindas (aparece o Kicks em três dimensões) quando for dada a partida no veículo ou não.
    • Definições do veículo: aqui é possível regular os ajustes de iluminação (é possível definir se as luzes externas se acenderão quando o carro for destravado e se permanecerão acesas segundos após o desligamento do veículo, além de definir se a iluminação interna vai ser ligada automaticamente e a sensibilidade do sensor crepuscular), setas (para ativar ou desativar a função de acionar as setas 3 vezes com um leve toque na alavanca, sem precisar deslocar ela até o "clique"), bloqueio de portas (é possível ativar ou desativar a função presencial que permite abrir a porta apenas apertando os botões embutidos nas maçanetas dianteiras, programar se só a porta do motorista será destravada ou todas as outras, e definir se, ao trancar o carro, vai haver ou não um breve toque de buzina e acionamento rápido dos piscas); limpadores de para-brisa (pode-se ativar ou desativar a função do acionamento variar conforme a velocidade e ativar ou desativar o acionamento do limpador traseiro no momento em que a ré for engatada) e espelhos (é possível desativar o rebatimento elétrico dos retrovisores, ou programar para rebater assim que as portas forem destravadas ou apenas no momento em que for feita a ignição do veículo).
    • Manutenção: é possível definir lembretes para a troca de óleo e filtros, de pneus ou de outro componente. Os lembretes aqui sempre serão dados conforme a quilometragem selecionada (500, 1000, 1500, 2000 km...)
    • Relógio: é possível ajustar manualmente o horário e escolher se ele será exibido no padrão AM/PM ou de 24 horas.
    • Unidade/Idioma: permite selecionar em que unidade de medida serão mostrados o consumo de combustível (km/l, l/100 km ou MPG dos EUA ou Reino Unido), a temperatura externa (º C ou º F) e o idioma da tela (português brasileiro, inglês, espanhol ou francês).
    • Configurações de fábrica: todas as configurações do veículo retornam ao padrão de fábrica.
  • A tela também exibe individualmente qual porta está aberta, lembra o motorista de desligar os faróis ao sair do veículo e também indica caso a tampa do porta-malas não tiver sido fechada. 

A central multimídia evoluiu e o tamanho de sua tela aumentou de 7 para 8 polegadas. Além disso, sua moldura ficou mais arredondada e assumiu o tom preto-brilhante, mantendo a característica de ficar ligeiramente saltada do painel. Vale ressaltar que as novidades se aplicam às versões Advance e Exclusive do Kicks, uma vez que o modelo Sense manteve o aparelho anterior, mais simples.


O layout do sistema multimídia do Kicks é semelhante ao de outros Nissan recentes, como o Versa e a Frontier. As telas iniciais podem ser modificadas, exibindo botões de atalho ao gosto do usuário, mas a personalização é limitada aos ícones/widgets e não inclui alteração do fundo de tela ou a instalação de aplicativos, por exemplo.


A principal novidade é o sistema de som Bose Personal Space, que conta com seis alto-falantes, dois tweeters e amplificador digital. O pulo do gato está nos dois alto-falantes UltraNearfield de 2,5 polegadas que ficam embutidos na parte de trás do encosto de cabeça do motorista. A estratégia de equipar SUVs com sistema de som "de grife" não é exatamente uma novidade no Brasil: o Renault Captur tem a versão Bose e o VW T-Cross Highline pode ser equipado com o pacote Tech & Beats (que inclui o sistema de som mais refinado, com subwoofer). A bem de verdade, não espere uma explosão de som na sua nuca dentro do Kicks: para não atrapalhar o motorista, a projeção do som está razoavelmente distante de seus ouvidos. 


Pelo sistema multimídia, é possível acessar as configurações de som e selecionar se o som vai ficar direcionado mais para a frente da cabine (W) ou se o som será distribuído de forma mais espalhada pela cabine (T). Os falantes do encosto de cabeça são nitidamente audíveis quando o direcionamento do som está mais para a frente da cabine, e ficam silenciados quando é selecionado o nível máximo de distribuição espacial (T). É possível, também, controlar agudos e graves. Em volume moderado, o áudio é reproduzido de forma admiravelmente limpa, e também há grande amplitude de volume, ainda que se ouça distorção com a música alta.


Outro recurso muito interessante que pode ser visto pela tela do sistema multimídia é a Visão em 360 graus em torno do veículo. Quatro câmeras (uma dianteira, posicionada na grade frontal, além de duas câmeras embutidas nos retrovisores externos e mais uma câmera na tampa traseira) formam uma imagem "aérea" que auxilia nas manobras em espaços apertados ou de visibilidade limitada. É fato que a imagem gerada pelas quatro câmeras tende a distorcer a imagem de objetos nas extremidades dos ângulos de câmera, mas, ainda assim, é um recurso útil e que nem mesmo carros mais caros possuem. 


Além disso, as câmeras dianteiras e de ré, que são exibidas em destaque no lado esquerdo da tela a depender da posição de câmbio engatada, exibem linhas de guia dinâmicas (que acompanham o esterço do volante) junto de outras linhas estáticas (com escalas amarelas e vermelhas, para indicar se o carro está muito próximo de outros objetos). Se o condutor preferir, ao apertar o botão "Camera" quando as imagens já estiverem na tela, a visão em 360 graus pode dar lugar à imagem da câmera do lado direito, para ajudar a checar se o pneu dianteiro direito está muito próximo da calçada, por exemplo. As imagens das câmeras são exibidas até cerca de aproximadamente 10 km/h.


Também há o detector de objetos em movimento (MOD), que acende molduras amarelas nos visores das câmeras onde estejam pedestres ou veículos circulando próximos do carro. Exemplo: se um pedestre caminha perto da frente do veículo, aparece um quadrado amarelo circundando a imagem da câmera frontal. O Kicks também conta com sensor de estacionamento traseiro com a indicação sonora e visual (no quadro de instrumentos). Para quem quiser mais auxílios de estacionamento, nas concessionárias estão disponíveis como acessório o sensor de estacionamento dianteiro e a funcionalidade tilt-down do espelho direito, que rebate para baixo ao engatar a ré para facilitar a visão do meio-fio.


O sistema multimídia tem compatibilidade com o espelhamento de aplicativos de celulares através do Android Auto e Apple CarPlay (com operação por cabo), além de pareamento simultâneo de dois dispositivos via Bluetooth e duas entradas USB, bem localizadas, que ficam no porta-objetos que está no início do console central (afinal, no Kicks Sense, a única entrada USB fica no canto inferior direito da própria tela, uma posição que tende a desgastar o cabo de conexão mais rapidamente e que deixa pen-drives expostos). 


A entrada do lado esquerdo é do Tipo C, para dispositivos mais recentes, enquanto que a entrada direita é a USB Tipo A já conhecida. Mas no Kicks sentimos falta das entradas USB Tipo A adicionais do Versa (são três, em todas as versões do sedan), pois elas ao menos ajudavam no carregamento de mais aparelhos. Se serve de consolo, existem duas tomadas de 12 Volts no console entre os bancos dianteiros: a primeira junto das entradas USB, e a segunda voltada para os ocupantes traseiros. Quem teve um Kicks com a central Multi-App vai lamentar o fato do novo sistema multimídia ter perdido o GPS nativo, o HD interno (que possibilitava instalar aplicativos no próprio aparelho, minimizando a necessidade de espelhar a tela do celular) e o leitor de CD e DVD. Para quem costuma escutar podcasts ou músicas compiladas num único arquivo, atenção: não é possível passar para outra parte da música com toque na barra de tempo, sendo necessário apertar e segurar o botão de avançar ou retroceder. E, mesmo assim, ao segurar demais o botão, o sistema acaba travando. 


Nos comandos de ar-condicionado, a principal mudança está no acabamento dos botões, que mudou do tom prata anodizado para preto brilhante. O layout do aparelho, digital, foi conservado do Kicks SL. É possível fazer a regulagem da temperatura de meio em meio grau Celsius, entre 18 e 32 graus, e há também o modo automático, que detecta as condições da cabine para ajustar a temperatura e a intensidade da ventilação. Assim como grande parte dos oponentes diretos, o ar-condicionado do Kicks é de zona única. Curiosamente, quando o aparelho é ligado, ele joga ar primeiro para os pés segundos após direcionar o vento para a frente, mesmo quando é selecionado o direcionamento de ar somente para as saídas do painel.


O porta-luvas é iluminado (desde que os faróis estejam acesos) e possui bom espaço, além de ter uma tag identificadora do Sem Parar.


No canto esquerdo do painel estão o regulador interno de altura do facho dos faróis (níveis 0 a 3) e um espaço aberto que pode servir de porta-trecos. Mais abaixo estão as alavancas para abrir a portinhola do tanque de combustível e o capô do motor.


A haste esquerda da coluna de direção concentra os comandos dos faróis (principais e de neblina), inclusive com posição para acendimento automático, um recurso disponível desde a versão Sense. No Exclusive, o diferencial está na função de ajuste automático do facho dos faróis, que opera a partir de aproximadamente 30 km/h. 


Para acionar esse recurso, basta girar a haste de faróis para a posição "Auto" e empurrar esta haste para a frente. Caso o motorista acione o farol alto automático e o Kicks detectar luzes à frente, o carro manterá o farol baixo, evitando que a visão de outros condutores seja ofuscada.


Com um leve toque na alavanca, as luzes de seta acendem 3 vezes para o lado correspondente. Os faróis incorporam a funcionalidade Follow Me Home, que deixa os faróis ligados por 30 segundos a 2 minutos depois da ignição ser desligada, a depender do ajuste feito pelo motorista, que pode ser feito assim que o carro é desligado quando a haste dos faróis é puxada na direção do condutor.


Já a haste dos limpadores controla a operação de limpeza do para-brisa e do vidro traseiro, com ajuste intermitente variável (no computador de bordo é possível definir se a intermitência irá variar conforme a velocidade ou não). O reservatório do lavador do para-brisa tem boa capacidade. Porém, nem mesmo esta versão mais completa do Kicks dispõe de sensor de chuva.


No forro de porta do motorista se concentram os comandos de ajustes elétricos dos espelhos (inclusive com botão para rebatimento elétrico dos retrovisores, recurso disponível somente na versão Exclusive), além dos botões de bloqueio dos vidros (que interrompe o funcionamento dos vidros traseiros e também do passageiro dianteiro, uma característica comum entre veículos de projeto de marcas japonesas), das travas das portas e dos vidros elétricos, que nesta versão (e na Advance) possuem acionamento por um toque para cima e para baixo em todas as janelas. É um recurso cômodo e bem interessante, considerando que na gama do Versa todas as versões só possuem o vidro do motorista com acionamento por um toque (e apenas para baixo). Os vidros também contam com temporizador, que permitem a operação por cerca de 45 segundos depois da ignição ser desligada caso nenhuma porta seja aberta, e também contam com a função antiesmagamento.


Em termos de acabamento, a versão Exclusive conta com área central do painel, aro do volante, pomo da alavanca de câmbio, parte das portas dianteiras e traseiras, apoio de braço e os bancos revestidos de couro sintético. Com exceção dos revestimentos das portas e do detalhe na alavanca de câmbio, todos os outros locais possuem costuras aparentes. Na versão Exclusive é possível escolher a cor dessa forração: Preto (sem custo adicional), Cinza (com detalhes centrais dos bancos em preto, por R$ 500) ou Macchiato (marrom, por R$ 500). Só que tem um detalhe: as opções disponíveis de cores estão condicionadas aos tons da carroceria. Quem optar por um Kicks na cor azul pode escolher entre o revestimento preto ou cinza/preto, mas se quiser o tom marrom, terá que levar o SUV na cor externa branca ou preta. Na versão Advance também é possível encomendar estes revestimentos em couro, porém não há opção de escolha da tonalidade - é sempre preto. 


Os tapetes são em carpete nesta versão, com o nome do modelo (e dois pontos de fixação na peça do motorista). Também há maçanetas internas cromadas e detalhes em preto-brilhante nas molduras das saídas de ar laterais e ao redor da alavanca de câmbio.


O console central do Kicks 2022 foi herdado do modelo anterior. Nos mercados asiáticos e norte-americanos, este console entre os bancos foi redesenhado e ganhou até botões para acionamento do freio de estacionamento elétrico e do Auto Hold (mecanismo que dispensa a necessidade de manter o pé no freio no semáforo, por exemplo). Sem dúvidas, um item que fez falta no modelo nacional. No Kicks brasileiro, o freio de mão é aquele de sempre, com gatilho cromado.


Se serve de consolo, o console central ainda continua com vários locais para guardar objetos, como o porta-trecos à frente da alavanca de câmbio que conta com uma tomada 12 Volts e as duas entradas USB (uma do tipo A, convencional, e outra menor, do tipo C), além de dois porta-copos entre os bancos e um porta-objetos retrátil que fica embutido no apoio de braço dianteiro (somente na versão Exclusive), que é mais largo que o apoio do Versa e pode ser aberto, tendo a parte interna revestida em carpete. Ele fica encaixado onde nas versões mais simples existe um porta-objetos aberto no final do console. Porém, ao apertar o botão que movimenta esse apoio de braço, a impressão que o mecanismo dá é de fragilidade, e, quando posicionado na horizontal, o apoio atrapalha o uso do freio de mão e da alavanca de câmbio.


Olhando para o teto, um dos principais destaques é o retrovisor interno eletrônico, que escurece o espelho quando a incidência de luz atrás é mais forte. Se o motorista quiser, pode desativar esta função ao apertar o botão na moldura do retrovisor. Os para-sóis são amplos e contam com espelhos e tampa, para evitar reflexos quando abertos. Entre eles estão as luzes internas, com focos separados para motorista e carona, que se acendem juntos quando uma porta é aberta. Revestido de carpete simples, o forro de teto também abriga três alças de segurança (uma para o passageiro dianteiro e duas para os ocupantes traseiros), que são retráteis e possuem retorno suave.


Os bancos mantém a premissa "Zero Gravity" da Nissan, desenvolvidos junto à NASA e com formato e densidade planejados para permitir uma posição mais relaxada do corpo e melhorar o fluxo sanguíneo corporal. De fato, na prática é possível dirigir o Kicks por longos períodos de tempo sem dar sinais de cansaço. O banco do motorista ajusta manualmente em altura e o condutor possui um bom apoio para o pé esquerdo, revestido de carpete assim como o assoalho. 


Quem senta atrás dispõe de bom espaço (para as pernas e principalmente para a cabeça) e alguns mimos, como dois porta-revistas e uma tomada de 12 Volts para carregar dispositivos eletrônicos. Quando o Kicks ganhou o apoio de braço dianteiro, a partir da linha 2020, houve o reposicionamento desta tomada para garantir que ela fosse alcançada mais facilmente por quem está no banco traseiro. Os vidros das portas traseiras descem por completo. Quem senta ao meio do banco traseiro tem menos espaço para as pernas, ainda que o assento em si seja habitável: por algum motivo, cada vez mais carros dos dias atuais estão vindo com uma incômoda elevação do assento nesta região do banco de trás.


A chave do Kicks é presencial e mantém o estilo da geração anterior. Com o carro travado e a chave próxima, basta apertar o botão embutido nas maçanetas externas dianteiras para que a porta se destrave. Ao travar, os retrovisores externos se recolhem eletricamente. A chave possui botões para destravamento e trancamento das portas, além de um comando para se acionar as luzes externas e a buzina (bem estridente) para ajudar na localização do carro. 


Ela possui também uma lâmina metálica embutida, para abrir as portas em caso de bateria esgotada. Ao segurar o botão de travamento das portas, os vidros que estejam abertos são fechados, e, ao pressionar e segurar o botão de destravamento, as quatro janelas descem. Porém, o Kicks não trava sozinho ao se afastar levando sua chave. A título de curiosidade, a chave não é detectada caso seja inserida na "grelha" junto ao para-brisa, mas se a chave estiver na tampa do porta-malas (até mesmo do lado de fora) é possível fazer a ignição.


Diferentemente do Versa, não há botão na chave para destravar a tampa do porta-malas, e também não há alavanca interna. Portanto, só existe uma forma de abrir a tampa traseira: encontrando o botão externo junto à régua onde também fica a iluminação da placa na traseira. Para ajudar a fechar a tampa, há, do lado direito, uma cavidade para a mão.


À direita do botão que destrava a tampa traseira existe outro menor, que serve para travar todas as portas, uma função bem útil para quando a intenção é apenas guardar os objetos no veículo e voltar para algum local.


O porta-malas manteve a boa capacidade de 432 litros, que está entre as maiores entre seus rivais diretos - perde apenas para os Renault Duster e Captur, e para o Honda HR-V. Com iluminação no canto direito e ganchos nas laterais para amarrar cargas, o compartimento de bagagem pode ser ampliado ao se rebater parcial ou totalmente o encosto do banco traseiro, ao puxar os pinos nas laterais (o assento é fixo). 


O estepe possui roda de ferro de 15 polegadas com pneu 185/65, um pouco mais fino que os demais e que limita a condução segura a até 80 km/h.


Em termos de segurança, o Kicks Exclusive traz diversas novidades, especialmente no pacote opcional Tech. Na parte interna das portas, próximas aos retrovisores, duas luzes amareladas se acendem caso seja detectado algum veículo trafegando próximo aos pontos cegos da carroceria numa área de 3 x 3 metros nas laterais traseiras quando o Kicks estiver rodando a partir de 32 km/h. É possível, inclusive, selecionar pelo quadro de instrumentos a intensidade do brilho destas luzes em 3 níveis. Por estarem incorporadas a peças de acabamento em preto, as luzes são mais visíveis que as indicações de ponto cego embutidas nos próprios espelhos que alguns rivais possuem. Outro recurso que ajuda bastante: caso o motorista dê seta no momento em que um veículo é detectado no ponto cego, soa um breve e útil bipe para alertar o condutor sobre a proximidade de algum automóvel.


Além disso, o SUV passa a ter o monitoramento de saída de faixa involuntária, que opera a partir de aproximadamente 60 km/h e quando as faixas na pista estiverem demarcadas. Se o condutor não estiver dando seta (indicando que vai passar para outra faixa de rodagem) e o veículo começar a ficar muito próximo das "bordas" da faixa, o motorista é alertado através de uma leve vibração no volante e de uma luz-espia no painel que pisca para indicar que o carro está saindo da faixa. Em nosso teste prático, realizado sempre distante de outros veículos, o Kicks conseguiu "entender" bem quando o motorista estava saindo da faixa, reconhecendo as faixas inclusive com pista suja ou com as faixas já um pouco apagadas. O sistema vez ou outra conseguiu alertar o motorista também em curvas, mas interpreta melhor as faixas em pistas mais retas. 

A versão Exclusive também conta com o alerta de tráfego cruzado traseiro (RCTA), uma função atrelada ao monitoramento de veículos em pontos cegos. Ele irá operar estritamente quando o Kicks estiver de ré, a até aproximadamente 8 km/h, e detecta veículos que estejam circulando a até 20 metros de distância próximos às laterais do Kicks, situação em que é acesa a mesma luz do monitoramento de veículos em pontos cegos. Este recurso é útil para as situações em que se sai de uma vaga de estacionamento e outros veículos estejam circulando ao redor de forma perpendicular ao Kicks.


Outro recurso exclusivo da versão Exclusive (desculpe o trocadilho) é o controle de chassi, que integra três funcionalidades interessantes. O Controle Inteligente de Freio Motor (Active Engine Brake) ajusta a intensidade do freio-motor a partir das condições de rodagem. Quando os freios são acionados, o sistema ajusta a relação do câmbio CVT para aumentar ligeiramente a quantidade de freio-motor disponível, o que diminui o esforço necessário no intuito de parar o veículo, ajuda a frear com mais suavidade e aumenta a quantidade de freio-motor no caso de ser detectada uma velocidade mais alta que o adequado para curvas (considerando também o esterço exercido no volante).


Já o Controle Inteligente em Curvas (Active Trace Control), funcionalidade que atua principalmente em curvas fechadas, é uma extensão do controle de estabilidade da carroceria e monitora o esterço que o motorista aplica ao volante e a trajetória pela qual que o veículo está se deslocando. Quando existe discrepância entre dois parâmetros, o sistema aplica os freios para que o veículo mantenha o controle enquanto estiver na curva.


Por fim, o Estabilizador Inteligente de Carroceria (Active Ride Control) ajusta o torque do motor e os freios de acordo com as condições da via que o veículo percorre, a fim de amortecer os solavancos verticais, objetivando aumentar o conforto dos ocupantes.


Em termos de iluminação externa, o Kicks Exclusive se destaca pelo conjunto ótico frontal todo em LED (o que engloba fachos baixo e alto dos faróis, luzes de seta e faróis de neblina). Nos retrovisores externos também há repetidores das luzes de seta em LED. Já atrás, os LEDs estão nas luzes de posição. Os piscas traseiros, a iluminação de placa e as luzes de ré possuem lâmpadas comuns.


No Kicks, assim que a ignição é ligada, a iluminação alaranjada é acesa em todos os botões de vidros nas quatro portas, nos botões das travas das portas/vidros e no botão de ignição do motor. Assim que os faróis do veículo são acesos, também passa a ser possível enxergar no escuro os comandos dos retrovisores, as posições de câmbio, as luzes em volta das entradas USB, os comandos de ar-condicionado, o botão do pisca-alerta, os comandos em volta da tela da central multimídia, os botões no volante e os níveis no comando de facho dos faróis. E a luz do porta-luvas também é acesa.


À noite, o conjunto de faróis com iluminação em LED oferece boa visibilidade mesmo acionando somente as luzes baixas, que iluminam bem de forma lateral. Porém, a iluminação de teto concentrada na dianteira é apenas razoável.

 
O Kicks mantém o consagrado motor 1.6 Flex 16 válvulas "HR16DE", aspirado de quatro cilindros, que possui o mesmo rendimento ao ser abastecido com etanol ou com gasolina: entrega 114 cavalos a 5600 rpm e torque de 15,5 kgfm a 4000 rpm. O capô traz manta de isolamento e foram introduzidas duas borrachas que amortecem o impacto de seu fechamento, mas a qualidade da pintura do cofre do motor e na face interna do capô poderia melhorar. Segundo a Nissan, houve uma ligeira melhora na aceleração de 0 a 100 km/h do Kicks 2022 em dois décimos de segundo: o tempo baixou de 12,0 s para 11,8 segundos.


Parte da imprensa especializada chiou quando o Kicks 2022 veio sem motor turbo, mas o fato é que a Nissan sempre deixou bem evidente que o atual 1.6 continua atendendo bem às exigências do público-alvo de Kicks e Versa, além de ter bom histórico de durabilidade e se destacar pelo reduzido custo de manutenção. O que a montadora prometeu não foi um motor turbo, mas sim o conjunto motriz e-Power, composto por um motor a combustão que gera energia para alimentar o conjunto elétrico do veículo. Porém, ele ainda vai exigir estudos mais aprofundados por parte da montadora para saber qual será a aceitação do público no mercado brasileiro a esta nova forma de propulsão. 

Os números de potência e torque do motor 1.6 não parecem muito exuberantes para este segmento, mas é preciso levar-se em consideração o fato de que o peso em ordem de marcha do Kicks Exclusive é de 1139 quilos, o que chega a ser mais de 300 quilos mais leve do que um Jeep Renegade Limited 1.8, por exemplo. Com isso, o Kicks chega a estar entre os SUVs compactos de motor aspirado mais espertos ao guiar, e chegou muito perto do desempenho do Versa Advance nos nossos testes - nesta versão Exclusive, o SUV é apenas 17 quilos mais pesado que o sedã. Confira os resultados das nossas acelerações e retomadas (os testes do Auto REALIDADE são realizados em ambiente seguro, com ar desligado, uma pessoa a bordo, tanque abastecido com gasolina, controles eletrônicos ativados e câmbio na posição Drive, com cronometragem automática via app GPS Acceleration):

Aceleração de 0 a 100 km/h: 10,7 segundos
Retomada de 40 a 80 km/h: 5,3 segundos
Retomada de 60 a 100 km/h: 7,9 segundos
Retomada de 80 a 120 km/h: 8,8 segundos

O câmbio é o conhecido Xtronic CVT, continuamente variável. Ele possui a função D-Step, com seis relações que simulam as passagens de marcha dos câmbio automáticos com conversor de torque. Também há o modo Sport (que faz com que a rotação do motor permaneça mais alta, melhorando ligeiramente a entrega de força quando o acelerador é pressionado mais a fundo), mas o botão que o aciona, próximo ao topo da alavanca, é pequeno e não tem indicação de sua funcionalidade. 


Para conferir se o veículo está neste modo esportivo, é preciso olhar para os instrumentos para ver se a palavra "Sport" está acesa na cor verde. Já a posição L, de Low, é indicada para aplicar freio-motor ao máximo em declives acentuados e em situações de aclives íngremes ou curvas fechadas.


Em termos de consumo de combustível, o Kicks também se saiu bem. Confira nosso resultado em uso urbano, abastecido estritamente com gasolina comum e com uso do ar-condicionado na maior parte do tempo:

Consumo de combustível médio: 11,2 km/l
Distância percorrida: 553,7 km
Velocidade média (estimada): 19 km/h 


Apesar do bom nível de consumo, o Kicks manteve o tanque de combustível com capacidade para 41 litros, a menor no segmento dos SUVs compactos. Dessa maneira, é preciso fazer um maior planejamento para os "pit-stops" de reabastecimento a depender do comprimento dos trajetos.


Para o Kicks, a Nissan recomenda calibrar os pneus com pressões diferentes a depender do eixo. Rodando com até três pessoas no veículo, a fabricante indica 32 libras nos pneus da frente e 39 libras nos traseiros. Com quatro pessoas ou mais, mantém-se a recomendação das 32 libras nos pneus dianteiros, mas os do eixo traseiro devem ser calibrados com 44 libras (mesma pressão recomendada para o estepe).


Com a altura em relação ao solo de exatamente 20 centímetros, o Kicks é um dos modelos com maior vão-livre do segmento de SUVs compactos com tração dianteira. São 5,7 centímetros a mais do que o Versa, uma diferença que parece pequena, mas que na prática faz com que o sedã raspe o assoalho em lombadas altas, enquanto o SUV passa incólume por elas. O ângulo de ataque, porém, diminuiu de 20º para 18 graus com o novo para-choque, enquanto o ângulo de saída se manteve em 28 graus.


Quem leu nossa avaliação do Versa Advance (veja aqui) deve se lembrar de que falamos que a posição de dirigir do sedan era mais baixa em relação à geração antiga do modelo. Já no Kicks, o motorista fica em um posicionamento nitidamente mais elevado, o que favorece a visibilidade para a frente, complementada pelos retrovisores bem dimensionados e pelas palhetas dos limpadores dianteiros que ficam recolhidas à borda inferior do para-brisa quando não estão em uso. Apenas as largas colunas traseiras interferem mais significativamente na visão do condutor. 


O silêncio a bordo é um dos destaques ao rodar com o Kicks, especialmente em velocidades de cruzeiro, situação em que a rotação do motor é mantida em níveis baixos. Neste quesito, a principal novidade é o tratamento acústico que o para-brisa recebeu para a redução de ruídos internos. Segundo a Nissan, houve ainda redução do ruído na faixa de frequência de conversas em torno de 35%.


Tanto a caixa de direção quanto o eixo de torção da suspensão traseira passaram a ter novos pontos de fixação, colaborando com uma ligeira melhoria nas respostas do volante, que estão mais diretas, e contribuindo para a ampliação da firmeza da suspensão na traseira, característica que contribui também para que, nas curvas, a parte de trás do veículo não se desgarre da trajetória.


Aliás, o diâmetro de giro de 10,2 metros chega a ser menor do que o de alguns hatches compactos. Na prática, isto se traduz na melhor manobrabilidade do Kicks em espaços estreitos e também facilita a tarefa de mudar de faixa.


Todas as versões do Kicks 2022 trazem seis airbags: dois frontais, dois laterais embutidos nos bancos dianteiros e dois de cortina. Uma evolução notável, considerando-se que as versões básicas não dispunham das bolsas de ar suplementares nem mesmo como opcional. Além disso, em toda a linha está disponível o alerta visual e sonoro do não-uso do cinto de segurança nos bancos dianteiros e traseiros. Os freios ABS possuem distribuição eletrônica da força de frenagem (EBD), assistência de frenagem de pânico (Brake Assist), discos ventilados dianteiros e tambores traseiros. 


Em termos de segurança, o Kicks também conta com alarme perimétrico, fixações ISOFIX e Top Tether para cadeirinhas infantis, assistente de partidas em ladeiras, cintos de três pontos para todos os ocupantes (com ajuste de altura dos cintos dianteiros), controles de tração e estabilidade, além do travamento das portas com o veículo acima de 24 km/h. 


Também é possível definir o temporizador de alerta (em 60, 90, 120... minutos). Ao dirigir ininterruptamente o veículo durante o período programado, a tela do quadro de instrumentos exibe uma recomendação para um descanso para o motorista.


Com preço de R$ 125.790 incluindo o Pack Tech, o Kicks Exclusive demanda outros dois adicionais para ficar igual ao exemplar avaliado: a cor metálica Azul Elétrico (R$ 1.550) e o couro sintético em cinza e preto (R$ 500), chegando ao valor de R$ 127.840.


O Pack Tech, que inclui faróis com ajuste automático de intensidade, alerta de colisão frontal com frenagem automática de emergência, alerta de mudança de faixa não-sinalizada, alerta de tráfego cruzado traseiro e monitoramento de veículos em pontos cegos, eleva o preço do Kicks Exclusive em R$ 4.500.


O Kicks Exclusive está disponível nas seguintes cores de carroceria e internas: 
  • Branco Diamond com acabamento interno Preto ou Macchiato
  • Prata Classic com acabamento interno Preto
  • Cinza Grafite com acabamento interno Preto
  • Preto Premium com acabamento interno Preto ou Macchiato
  • Azul Elétrico com acabamento interno Preto ou Cinza/preto
  • Vermelho Malbec com acabamento interno Preto

Na versão topo-de-linha é possível escolher entre três combinações de dois tons: Branco Diamond com teto e capas dos retrovisores em Preto Premium; Vermelho Malbec com teto e retrovisores em Preto Premium, e Azul Elétrico com teto e retrovisores em Preto Premium. Nos três casos, as opções das cores para os revestimentos de couro seguem as mesmas possibilidades disponíveis para as pinturas de carroceria em tom único.


Quem adquirir o Kicks até o fim de junho de 2021 terá garantido os 3 primeiros anos de revisões periódicas do veículo (ou 30 mil km rodados, o que ocorrer primeiro) e também a cobertura da assistência 24h do Nissan Way Assistance também por 36 meses (normalmente, a cobertura é por 24 meses).


As revisões são feitas em intervalos de 10 mil quilômetros ou 12 meses, e os valores dos serviços podem ser parcelados em 3 vezes: 

10.000 quilômetros: R$ 423,00
20.000 quilômetros: R$ 584,00
30.000 quilômetros: R$ 423,00
40.000 quilômetros: R$ 584,00
50.000 quilômetros: R$ 423,00
60.000 quilômetros: R$ 584,00


A garantia padrão do Kicks é de 3 anos, sem limite de quilometragem, mas pode ser ampliada ao se adquirir um dos planos do NissanProtect. No pacote Plus, concedido como cortesia para quem comprar o Kicks 2022 até o fim de junho, o consumidor passa a ter 3 anos de serviços 24 horas, e são pagas antecipadamente as 3 primeiras revisões do veículo. No pacote Master, a garantia do carro é estendida para 4 anos, o Nissan Way Assistance é válido por 4 anos e as 4 primeiras revisões são pagas. E no pacote Supreme, a garantia do veículo é ampliada para 5 anos, o Nissan Way Assistance é prestado por 5 anos e são pagas as 5 primeiras revisões do Kicks.

Nossa placa!



O Kicks Exclusive é o primeiro carro avaliado pelo Auto REALIDADE a adotar o nosso novo cobre-placas, que ajudam a incluir a assinatura do nosso trabalho nas sessões de fotos. Confeccionado com base no layout Mercosul das placas de automóveis, ele é ligeiramente maior do que as placas originais. Quem for mais curioso vai notar que, ao apontar a câmera do celular para o QR Code impresso no canto superior esquerdo, é possível ser encaminhado para nosso site!

Boletim comentado do Nissan Kicks 1.6 Exclusive CVT


Design = 9,5
As evoluções de design do Nissan Kicks foram muito bem-executadas: a grade dianteira ampliada está bem integrada ao design mais refinado dos faróis e do para-choque, com seção central preta e alojamentos mais arrojados para os faróis de neblina. Na parte frontal, só os frisos cromados entre grade e faróis tiram um pouco da harmonia do visual. Visto de lateral, a principal novidade está no estilo das rodas de 17 polegadas - bonitas, mas que lembram o design que já se via nas antigas versões SV e SL. Por fim, a traseira recebeu lanternas redesenhadas, com uma barra vermelha que se prolonga até o logo da Nissan (o detalhe divide opiniões; nós do Auto REALIDADE particularmente gostamos), e o para-choque passa a trazer maior área pintada na cor da carroceria. Para finalizar, a antena de teto tradicional foi substituída por outra menor e mais aerodinâmica, ao estilo "barbatana de tubarão". Em uma análise geral, o Kicks mudou para melhor, sem descaracterizar as linhas que o fizeram ser um dos modelos mais desejados de seu segmento. O visual na traseira ficaria ainda melhor caso existisse uma moldura preta acima do vidro traseiro, dando continuidade aos apliques plásticos inseridos nas colunas de trás.

Espaço interno = 9,0
Neste quesito, o Kicks não mudou - e isto até pode ser considerado bom, pois o Nissan já se destacava neste aspecto na categoria. Quatro adultos e uma criança encontram bom espaço para pernas e principalmente para a cabeça. Existem ainda bons locais no console central e nas portas dianteiras e traseiras para acomodar objetos. Além disso, o porta-malas de 432 litros, além de estar entre os mais volumosos do segmento, tem acesso fácil (ainda que só possa ser aberto pelo botão na parte externa da tampa) e ainda pode ser ampliado com o rebatimento parcial ou total do encosto do banco traseiro, feito de forma fácil pelos pinos nas extremidades dos bancos.

Conforto = 9,25
A bordo do Kicks, os ocupantes estão acomodados em bancos confortáveis, cujo formato e densidade permitem que o corpo não se canse tanto, mesmo nos trajetos longos. A direção tem calibração cômoda nas manobras e possui a progressividade necessária para velocidades mais altas. Com os ajustes disponíveis para volante, banco e cinto de segurança, é fácil encontrar uma boa posição para dirigir. Além disso, a cabine é silenciosa e o ar-condicionado cumpre bem seu papel. Em jornadas mais prolongadas, o piloto automático e o apoio de braço dianteiro são bons aliados do motorista. O conjunto de suspensão é bem calibrado para proporcionar conforto aos ocupantes mesmo quando o Kicks está trafegando em terrenos com irregularidades comuns de serem enfrentadas no dia-a-dia.

Acabamento = 8,75
A versão Exclusive possui couro sintético na faixa central do painel, em parte dos forros das portas, nos bancos e no apoio de braço como diferenciais em relação às outras versões - aliás, tecnicamente, a versão Advance também possa receber como opcional o Pack Plus e ter os mesmos revestimentos. A diferença é que, na versão intermediária, o couro é sempre preto, enquanto na versão topo-de-linha Exclusive também é possível encomendar os revestimentos em marrom ou mescla de cinza e preto. O couro empregado no volante do Kicks Exclusive poderia ter maior maciez. Em termos de acabamento, o Kicks Exclusive mantém basicamente o mesmo patamar de qualidade de materiais já conhecido da antiga versão SL, e que está num nível um pouco superior ao da média de seus rivais. Modelos como T-Cross e Creta, por exemplo, recorrem a pinturas diferenciadas sobre o painel de plástico duro para tentar passar alguma impressão de sofisticação até mesmo nas versões mais caras. Já HR-V e Renegade estão em um patamar de acabamento um andar superior ao do Kicks, com seus porta-objetos emborrachados e amplas superfícies macias ao toque na parte superior do painel (Jeep) ou das portas (Honda).

Equipamentos = 9,25
Nesta versão topo-de-linha, o conjunto de equipamentos do Kicks é um dos mais completos em sua faixa de preço, principalmente em se tratando dos itens de segurança. De série, o pacote da versão Exclusive também inclui ar-condicionado digital automático, espelho interno eletrocrômico, acendimento automático dos faróis, quadro de instrumentos com tela digital de 7 polegadas, chave presencial com partida do motor por botão, sistema de som assinado pela Bose, central multimídia com tela de 8 polegadas... E há alguns recursos que podem parecer pequenos, mas também possuem seu valor agregado, como fechamento e abertura das janelas associado aos botões de travamento e destravamento das portas, vidros elétricos acionados por um toque, retrovisores com rebatimento elétrico e faróis com função Follow Me Home, que permanecem acesos por alguns segundos depois que o motor é desligado.

Desempenho = 9,25
A Nissan tem sua razão em manter o 1.6 aspirado no Kicks. Mesmo estando há cinco anos no SUV da Nissan sem alterações, o conjunto mecânico do Kicks ainda entrega desempenho satisfatório para seu segmento; até o presente momento, foram poucos os rivais que aderiram ao turbocompressor e à injeção direta de combustível em todas as versões. O motor HR16DE garante desempenho satisfatório para o Kicks nas acelerações e retomadas na grande maioria das situações, chegando próximo da performance do novo Versa, e o câmbio automático dispõe do modo Sport, mantendo as rotações do propulsor mais altas para que se atinja mais rapidamente a faixa máxima de torque (4000 rpm). Se a transmissão tivesse modo sequencial, o gerenciamento dessa força pelo motorista seria ainda melhor. A carroceria com peso reduzido para o segmento é um fator determinante para a esperteza do Kicks. O conjunto de suspensão e os diversos assistentes eletrônicos fazem com que o SUV da Nissan tenha admirável desenvoltura para contornar curvas.

Segurança = 9,5
Este foi um dos quesitos em que o Kicks mais evoluiu nesta reestilização. Todas as versões passam a ter 6 airbags e alerta visual/sonoro no caso do não-uso do cinto de segurança nos bancos dianteiros e traseiros. E a versão Exclusive chega com diversos recursos de assistência para o motorista que ainda estão começando a se popular neste segmento, como alerta de colisão frontal com frenagem automática de emergência, alerta de mudança de faixa involuntária (sem uso da seta), monitoramento de veículos em pontos cegos, alerta de tráfego cruzado traseiro e comutação automática dos faróis altos, itens que somam às câmeras de visão em 360 graus e ao controle dinâmico de chassi, que incorpora o estabilizador de carroceria, o controle em curvas e o controle de freio-motor. Os freios são bons, mas a atuação do pedal poderia ser melhorada, pois ele exige razoável esforço para conter o carro.

Consumo de combustível = 9,0
Quando avaliamos o Kicks 1.6 S CVT em 2018, não escondemos a decepção com o consumo de combustível do modelo, mas o Exclusive avaliado agora se saiu bem melhor. Abastecido estritamente com gasolina comum e utilizado na cidade com uso considerável do ar-condicionado, tivemos a média de 11,2 km/l, bem mais próxima do resultado do Inmetro (11,3 km/l) e também próxima da média que obtivemos com o Versa Advance 1.6 avaliado em março (11,4 km/l). Pena é que o tanque de combustível mantém a capacidade de 41 litros. Afinal, mesmo sendo econômico, o Kicks acaba exigindo mais paradas em postos de combustíveis. 

Relação custo-benefício = 9,0
O Nissan Kicks Exclusive começa com vantagem neste quesito por ser uma das opções mais em conta entre as versões topo-de-linha dos SUVs compactos. Considerando seus rivais mais representativos, apenas Renault Duster Iconic e Hyundai Creta Prestige possuem valores mais convidativos nas versões completas (entretanto, é preciso considerar que ainda este ano o Creta vai passar por uma grande reestilização). Até os 60 mil quilômetros, o Kicks só não tem o menor valor de revisões porque quem adquire o Volkswagen T-Cross conta com as três primeiras revisões gratuitas, mas, ainda assim, os custos de manutenção estão entre os menores do segmento. O Kicks Exclusive, além de ter ficado mais bonito, melhorou seu pacote de segurança, estreou os importantes auxiliares de condução e manteve atributos como o bom espaço interno, a altura em relação ao solo e o conjunto mecânico confiável e com bom compromisso entre desempenho e consumo de combustível. Falta agora a Nissan se aventurar no segmento dos SUVs médios e também preparar um aventureiro compacto para a faixa de mercado abaixo do Kicks...

Nota Final = 9,2

As notas são atribuídas considerando a categoria do automóvel analisado, os atributos oferecidos pelos concorrentes (diretos ou por aproximação), além das expectativas entre o que o modelo promete e o que, de fato, oferece. Um mesmo carro avaliado duas vezes pode ter sua nota diminuída em uma avaliação posterior, caso não evolua para os níveis de exigência que se aprimoram continuamente no mercado automotivo. Frações de pontuação adotadas: x,0, x,25, x,5, x,75. Critérios - Design = aspecto estético do automóvel. Espaço interno = amplitude do espaço para passageiros (dianteiros e traseiros, de acordo com a capacidade declarada do carro), locais para acomodar objetos e bagagem. Conforto = suspensão, nível de ruído, posição de dirigir, comodidades. Acabamento = atenção aos detalhes internos (encaixes e qualidade dos materiais e padronagens). Equipamentos = itens de tecnologia e conforto disponíveis no automóvel avaliado. Desempenho = aceleração, velocidade máxima, retomada, comportamento em curvas. Segurança = visibilidade, itens de proteção ativa e passiva, frenagem. Consumo = combustível gasto e autonomia. Custo-benefício = relação de vantagem entre o preço pago e o que o carro entrega.

Vem conferir a Galeria de Fotos do Nissan Kicks Exclusive!








Comentários