Destaques do Auto REALIDADE

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Chevrolet celebra 91 anos de atividades no Brasil



Nesta terça-feira (26 de janeiro), a General Motors completa 91 anos do início de suas operações em território brasileiro, Estabelecida 14 anos após sua fundação norte-americana, em um galpão no bairro paulistano do Ipiranga, a Chevrolet iniciou suas operações literalmente montando pequenos furgões de cargas e até geladeiras. Ao longo destas mais de nove décadas, foram produzidos 15 milhões de carros. Em 2015, a marca conquistou a liderança de vendas no varejo (pela terceira vez consecutiva, com 388 mil carros negociados) e o hatchback Onix sagrou-se como o carro mais vendido ao longo do ano.


Atualmente, a Chevrolet conta com uma gama que abrange modelos na faixa dos R$ 30 mil aos R$ 250 mil, que incluem versões de Classic, Onix, Prisma, Cobalt, Cruze Sedan, Cruze Sport6, Trailblazer, S10, Tracker, Spin, Montana, Captiva, Camaro Coupé e Camaro Conversível.



O primeiro carro nacional de passeio da Chevrolet foi o Opala, apresentado em 1968. Outros modelos memoráveis foram lançados posteriormente: Chevette, D20, Monza, Kadett, Corsa, Vectra, Omega, Astra, Celta, Zafira e Meriva. Entre as décadas de 1950 e 1970, outros tipos de produtos foram produzidos pela General Motors, como baterias, aparelhos de ar-condicionado e até as geladeiras Frigidaire. 

Hoje, a General Motors possui três complexos industriais, que produzem veículos em São Caetano do Sul e em São José dos Campos, ambos em São Paulo, além de Gravataí (RS). Conta ainda com unidades em Mogi das Cruzes (produção de componentes estampados e peças), Sorocaba (centro logístico) e Indaiatuba (campo de provas), todas no Estado de São Paulo, além de um Centro Tecnológico, em São Caetano do Sul (SP), com capacidade para desenvolvimento completo de novos veículos. A GM do Brasil também tem em Joinville (SC) linhas industriais de onde saem motores e cabeçotes de alumínio.

Conheça fatos que destacaram a história da Chevrolet no Brasil:

1925

Em 26 de janeiro é registrada, no II Tabelionato de São Paulo, a Companhia Geral de Motores S.A., com sede na Avenida Presidente Wilson, número 2935, no bairro do Ipiranga. O capital inicial era equivalente a US$ 270 mil. Pouco tempo depois, a razão social passa a ser General Motors of Brazil S.A.. No mês seguinte foi instalada, no local, a primeira linha de montagem. Mas só em setembro começou a ser montado o primeiro Chevrolet no país: um furgão de entregas urbanas.

1927

Em setembro, saia da fábrica o veículo de número 25.000. Neste momento a GM começava uma segunda etapa em seu desenvolvimento: o início da construção da fábrica de São Caetano do Sul.

1928—1930

Foram acumulados 50.000 veículos montados pela Chevrolet no Brasil e, em 1º de outubro, foi iniciada a montagem de veículos em São Caetano do Sul. Em 12 de agosto de 1930, é inaugurada oficialmente a unidade na região paulista do ABC.

1942—1945

A General Motors do Brasil participa, durante o período da Segunda Guerra Mundial, das demandas militares na produção de veículos e material bélico. São produzidos mais de dois mil veículos a gasogênio para uso civil. Em 1943 é iniciada a fabricação de molas semi-elíticas.

1948

É concebida a primeira carroceria inteiramente metálica, com 100% de matéria-prima nacional.

1951

É produzida a milésima carroceria de ônibus, inteiramente de aço. Além disso, inicia-se a produção de geladeiras Frigidaire.

1953

Em outubro daquele ano, é adquirido o terreno em São José dos Campos, com 1.634.008 m², para expansão futura.

1956

Em 12 de dezembro, o Grupo Executivo da Indústria Automobilística (GEIA) aprova o plano de nacionalização para a fabricação de caminhões Chevrolet. Já em 21 de dezembro, é iniciada a fabricação da Fundição e da fábrica de Motores, em São José dos Campos.

1957
Em 28 de junho, o GEIA aprova o plano de fabricação de caminhões leves Chevrolet. Ainda naquele mês sairia o primeiro caminhão Chevrolet nacional.



1958

Lançada em julho a primeira picape Chevrolet 3100, que mais tarde passaria a ser chamada de C14 e C15.

1959

Em 10 de março é inaugurada a segunda fábrica da General Motors do Brasil, em São José dos Campos. Na época, produzia somente motores e peças para os caminhões Chevrolet Brasil, picapes e camionetes Chevrolet Amazonas.


1964

Em outubro estreia a C-1416 (posteriormente Veraneio), com molas helicoidais na suspensão traseira e dianteira.


1968

É lançado, em 19 de novembro, o primeiro carro de passeio da Chevrolet produzido no Brasil, o Opala, com quatro portas.


1970—1973

A GMB inaugura uma nova linha de montagem em São José dos Campos, visando o lançamento do seu primeiro carro pequeno. Em 14 de dezembro de 1972, é adquirido um terreno com 11.273.205 m² em Indaiatuba, São Paulo, para o futuro Campo de Provas da GM. Já em 24 de abril de 1973, foi apresentado oficialmente à imprensa o Chevette, o primeiro compacto da GM.


1974

Em 15 de julho, entram em operação as instalações do Campo de Provas da Cruz Alta, em Indaiatuba. Já em novembro, foram lançados o Opala Comodoro e a Caravan.

1979

Em setembro, a Chevrolet começava a vender veículos a álcool. Dia 12 de dezembro, a fábrica de São Caetano do Sul comemorou a produção do veículo de número 1,5 milhão. Ainda naquele ano, era suspensa a produção das geladeiras Frigidaire.

1980

Em 8 de janeiro a GMB produz o veículo de número 2 milhões e a linha 1981 da montadora incluía a nova perua Marajó e o Chevette Hatch SR.

1982

Sob grandes expectativas, em 13 de maio é lançado o Chevrolet Monza Hatch.

1984

Após o lançamento das versões sedã de duas e quatro portas, o Monza é o líder de vendas daquele ano, com 53 mil unidades comercializadas. O modelo de porte médio manteve o posto por outros dois anos consecutivos.


1985

No sexagésimo aniversário de atividades no país, foi ultrapassada a marca de 1 milhão de Chevettes produzidos em São José dos Campos. É lançada a série 20 (A-20, abastecida com álcool; C-20, a gasolina, e a mais conhecida D-20, movida a diesel).


1988

Em 2 de fevereiro, é inaugurado o Centro Tecnológico em São Caetano do Sul. Já em outubro, passa a estar disponível o câmbio automático de quatro marchas na linha Opala.


1989

Em abril, o Kadett é apresentado à imprensa, no Rio de Janeiro. Em outubro é a vez de sua perua, a Ipanema. Também chegaram ao mercado os utilitários Bonanza (foto acima) e Veraneio baseados na linha 20. Em 4 de dezembro, 5 milhões de motores Chevrolet já haviam sido produzidos.



1990—1991

Em fevereiro de 1990 foi lançado o Monza Classic SE 500 EF, primeiro Chevrolet com injeção eletrônica de combustível. Já em maio de 1991 é comemorada a produção do Monza de número 600.000, já com visual repaginado.



1992

Tempo de lançamentos na Chevrolet: Kadett GSi Conversível (janeiro), Chevette Júnior (com motor 1.0) e, em setembro, chega ao mercado o sofisticado Omega. Em meio a este ciclo de renovações, em abril, o Opala sai de linha após 23 anos de produção, com a marca de quase 1 milhão de unidades.


1993

A Chevrolet apresenta à imprensa, em abril, as station wagons Suprema (derivada do Omega) e a Ipanema quatro portas. Em 8 de junho, é mostrado o primeiro automóvel movido a gás natural dotado de injeção eletrônica com sistema multiponto. O Vectra A é oficialmente lançado, em 2 de outubro. Naquele ano, a GMB também apresentava o Calibra, cupê importado da Opel

Durante a visita do então presidente mundial da General Motors (Jack Smith Jr.), a montadora comemora a produção do Chevrolet número 5 milhões, um Vectra GSi. Dia 12 de novembro, o Chevette, data que marcou também a produção de 1.600.000 unidades do modelo, por 20 anos.



1994

Em fevereiro, a Chevrolet lança o Corsa Wind, com motor 1.0 e duas portas, que se tornou sensação nacional. Durante o Salão de São Paulo daquele ano, foi apresentado o Astra Hatchback ("belga"). No mês de novembro, a linha de montagem do Kadett e da Ipanema é transferida de São José dos Campos para São Caetano do Sul, para possibilitar um aumento da produção do Corsa na unidade do Vale do Paraíba.

1995

Em seus 70 anos de atividade no Brasil, os Chevrolet Omega, Vectra, Astra e Calibra passam a ter dois anos de garantia ou 50 mil quilômetros. Em março, é lançada a S10, que inaugurou no Brasil o segmento de picapes médias. Também em março é criada a GMC Caminhões, nova unidade de negócios dedicada aos segmentos de comerciais pesados.

A picape Corsa chega ao mercado brasileiro em maio, com design traseiro desenvolvido no Brasil. Em maio, a GMB apresenta ao mercado o Astra Station Wagon, No dia 5 de junho, a fábrica de São Caetano do Sul comemora a produção do seu veículo número 3 milhões. Em 21 de junho, entra em atividade, em fase piloto, o sistema de comunicação via satélite interligando a General Motors do Brasil e a rede de Concessionárias Chevrolet.

Em outubro de 1995, a Chevrolet lança o utilitário esportivo Blazer e a S10 com cabine estendida. No dia 11 de novembro, a imprensa especializada foi apresentada ao Corsa Sedan, que resiste até hoje com o nome Classic.


1996

No dia 30 de janeiro foi anunciada a exportação de 500 mil veículos ao longo das duas últimas décadas. Em 21 de fevereiro, é apresentado à imprensa a segunda geração do Vectra. Em agosto, deixam de ser produzidos a Omega Suprema e o Monza. Já a S10 passou a contar com carroceria cabine dupla.


1997

Em 30 de janeiro, é oficializada a construção da fábrica de Mogi das Cruzes. Logo depois, em fevereiro, é lançado o Corsa Wagon. No dia 17 de março, é anunciada a escolha do município de Gravataí, no Rio Grande do Sul, para sediar a terceira fábrica de montagem de veículos da GM no Brasil. Ainda em março, é apresentada à imprensa a picape Silverado, com três motorizações (duas a diesel e uma a gasolina)

Em 18 de agosto, o Corsa Sedan 1.6 passa a ser disponível com câmbio automático de quatro marchas. Naquele ano, o automóvel número 4 milhões é produzido na fábrica de São José dos Campos.


1998

Começa, em abril, a importação do cupê 2+2 Tigra, integrante rebelde da família Corsa. Em maio é lançado o Corsa Sedan Super, com motor 1.0 16 válvulas. No mês de julho, ocorre o lançamento do Blazer com tração 4x4 e o fim da produção do Omega.

Em 16 de setembro, o último Kadett deixa a linha de montagem em São Caetano do Sul. Já em 27 de setembro, seu sucessor, o Astra Hatch nacional, é apresentado. Em 30 de outubro, no Salão de São Paulo, é revelada a nova geração do Omega, agora importado da Holden, da Austrália, e o utilitário esportivo Grand Blazer, produzido pela GM de Argentina.


1999

A fábrica de São José dos Campos completa 40 anos, em 16 de março. Em fevereiro, é lançado o Astra Sedan. Dia 5 de novembro é inaugurado o Complexo Industrial e Comercial Automotivo de Mogi das Cruzes (SP).


2000

Em julho é lançado o Corsa Furgão, utilitário destinado ao segmento de transporte de pequenos volumes. No ano em que GM a completou 75 anos de atividades no Brasil, em 02 de setembro é revelado o Celta, que permitia a compra por meio da Internet.


2001

Neste ano, foi alcançada a marca de 1 milhão de unidades exportadas desde 1974, apresentados os modelos Tracker (derivado do Suzuki Grand Vitara) e Zafira, de sete lugares, além de ser encerrada a produção de caminhões GMC. S10 e Blazer passam por uma reestilização mais abrangente.



2002

A Chevrolet passa a oferecer o Astra Sedan com motor 1.8 litro a álcool e conversão para GNV (gás natural veicular) sem perder a garantia. O Corsa Sedan de carroceria antiga passa a ter o sobrenome Classic. São lançados os novos Corsa Hatch e Sedan, com motores 1.0 ou 1.8 e câmbio manual ou Autoclutch (sem embreagem), além da minivan Meriva, em agosto. A linha Astra passa por uma reestilização e ganha a carroceria hatch de quatro-portas, além da versão GSi, 2.0 16 válvulas com 136 cavalos.


2003

Chega a picape Montana 1.8 Flexpower linha 2004, nas versões básica (depois batizada Conquest), Off-Road e Sport. O Corsa também passa a contar com motor 1.8 flex-fuel, abastecido com gasolina ou etanol.

2004

O chairman e presidente mundial da General Motors Corporation, Rick Wagoner, foi recebido em audiência, no dia 6 de fevereiro, no Palácio do Planalto, pelo então presidente da república do Brasil (Lula), para comunicar a decisão da empresa de investir US$ 240 milhões no complexo industrial de Gravataí.


2005

Em 3 de fevereiro, Rick Wagoner anunciou um investimento de US$ 500 milhões, para o lançamento da nova geração do Vectra, que teve sua produção em série iniciada em 19 de setembro. Já o Celta 1.0 tornou-se o primeiro automóvel 1-litro equipado da marca capaz de rodar com álcool e gasolina.


2006

Em 28 de agosto é superada a marca de 2 milhões de Corsas produzidos no Brasil e, dia 4 de outubro é lançado o Prisma, sedã desenvolvido pela engenharia da GM do Brasil a partir da carroceria do reestilizado Celta.


2007

Em 18 de julho, Rick Wagoner, anunciou em São Paulo, o investimento de US$ 500 milhões, no Brasil e Argentina, para o projeto Viva (que deu origem ao Agile), para a ampliação e duplicação do Centro Tecnológico, e também para a implantação de novas pistas e laboratórios no Campo de Provas da Cruz Alta, em Indaiatuba.

Em 4 de setembro, é lançado o Vectra GT, enquanto no dia 12 de novembro foi apresentada a Meriva com câmbio automatizado Easytronic e, em 26 de novembro, a Montana Combo.


2008

Em 09 de maio, é anunciada a implantação de um novo centro logístico da empresa no Porto de Suape, em Pernambuco. No dia 20 de maio, a unidade de Gravataí alcança a marca de 1 milhão de Celta e Prisma produzidos e, dia 19 de agosto, é lançado o utilitário Captiva, modelo importado do México. S10 e Blazer passam por uma controversa atualização visual.

2009

Em 15 de julho, a diretoria da GM anuncia mais um programa de investimento, de R$ 2 bilhões, para o desenvolvimento e lançamento de dois novos veículos (Projeto Ônix, originando Onix e Prisma), a serem produzidos até 2012 em Gravataí. No dia 06 de outubro é lançado o Agile, baseado sobre a plataforma GM4200 adotada pelo Corsa.


2010

Naquele ano, a Chevrolet do Brasil já recicla 97% dos resíduos industriais. Em junho é lançado o sedã Malibu, importado dos Estados Unidos. No mês de setembro chega a Montana baseada no Agile e, em novembro, surge o Camaro SS, trazido do Canadá. O balanço de vendas do ano fechou em 657.724 unidades.


2011

No ano do centenário da Chevrolet, foram iniciadas no Brasil as obras de construção da nova fábrica de motores e cabeçotes em Joinville (SC), com investimentos totais de R$ 350 milhões. Em agosto, teve início a VoltXpedition, que percorreu diversas localidades do Brasil a bordo de unidades do sedan híbrido Volt. Em 11 de setembro foi lançado o Cruze Sedan, com motor 1.8 Ecotec, opção de câmbio automático de seis marchas e três anos de garantia sem limite de quilometragem.

Outras novidades daquele ano foram o Agile Wi-Fi, que incluía modem 3G fornecido pela Tim, e o Cobalt, fruto de a arquitetura global GSV, com carroceria desenvolvida no Brasil.


2012

Em 15 de fevereiro é lançada a nova geração da picape S10; no dia 10 de abril chega ao mercado o Cruze Sport6; em 29 de maio são lançados os Sonic hatchback e sedan, importados da Coreia do Sul, e a minivan Spin, com opção de cinco ou sete assentos.

Em 25 de junho, a fábrica da GM em Gravataí alcança a marca de 1,5 milhão de unidades produzidas do Celta. Dia 30 de outubro é apresentado aos brasileiros o Onix (que se destaca pelo sistema multimídia MyLink, com interface para músicas, fotos, vídeos e aplicativos do celular, ligações telefônicas via Bluetooth e tela touch screen de sete polegadas); no mês de novembro, o Agile supera a marca de 200 mil unidades vendidas e ganha versão  Easytronic, com câmbio automatizado, e a Trailblazer, utilitário esportivo de sete lugares derivado da S10.


2013

Em fevereiro, a Chevrolet inaugura sua loja virtual no Brasil (www.chevroletfanstore.com.br) e lança a nova geração do Prisma, agora baseado no Onix. Em março, no complexo industrial de São Caetano do Sul, a produção do Cobalt superou 100 mil unidades. O Celta alcança a marca de mais de 1,5 milhão de unidades comercializadas.

Onix e Prisma passaram a contar com o câmbio automático de seis marchas como opcional; em outubro, a Chevrolet lançou no mercado brasileiro a nova geração do Tracker, utilitário esportivo fabricado no México; a picape S10 registrou o melhor ano de vendas de sua história no Brasil (com 54.255 unidades emplacadas) e o Agile passou por uma intervenção visual.


2014

Em março o Chevrolet Prisma atinge marca de 100.000 unidades produzidas, resultado também alcançado pela Spin; no mesmo mês, o Onix ultrapassou 200.000 veículos produzidos. O ano também marcou a produção da unidade de número 150 mil da S10. A General Motors do Brasil chega a 2,5 milhões de veículos produzidos no Brasil, e o Campo de Provas da Cruz Alta completa 40 anos. Já a Trailblazer ganha um novo motor 3.6 V6 a gasolina, com injeção direta de combustível e 277 cavalos.

O Onix é apresentado na versão esportivada Effect; já Agile e Sonic deixam de ser importados para o Brasil.


2015

A Chevrolet comemora a produção de 15 milhões de veículos, iniciando as vendas da linha 2015 do Captiva, (com teto solar elétrico e central multimídia MyLink) e também de sua linha de bicicletas, apresentada durante o Salão do Automóvel de São Paulo em 2014.

Foram lançados o Onix Seleção, o Prisma Advantage, o Cobalt Graphite, as novas versões Advantage, Freeride, Chassis Cab e High Country da S10, além de discretas novidades para a linha 2016 de Classic, Montana, Trailblazer, Onix e Prisma.

2015 também marcou a disponibilidade do sistema OnStar para os Cruze Sedan e Sport6, além da reestilização do Cobalt.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Na seção de comentários do Auto REALIDADE você está livre para escrever o que você achou da matéria.

Caso você queira fazer perguntas maiores, incluir fotos ou tirar dúvidas, envie e-mail para blogautorealidade@hotmail.com

Sua opinião é muito importante para o Auto REALIDADE! Estamos a disposição no Facebook (http://www.facebook.com/AutoREALIDADE), no Instagram (http://www.instagram.com/autorealidade e no Twitter (@AutoREALIDADE).

Curta a página do Auto REALIDADE!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...