Destaques do Auto REALIDADE

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Nissan confirma presença da nova Frontier no Salão de SP


A Nissan soltou hoje um vídeo-teaser em que confirma a apresentação da nova geração da Frontier (conhecida também como NP300 ou Navara) no dia 8 de novembro, durante o Salão do Automóvel de São Paulo. A maioria das imagens eram reaproveitadas de filmagens de outros países, mas havia takes onde aparecia a picape nacional, na cor preta, muito provavelmente em sua versão topo-de-linha, com cromados nos retrovisores, molduras dos faróis de neblina, racks de teto e maçanetas.


Mesmo tendo sido flagrada em teste no Brasil, a nova Frontier de fato só deverá ser lançada comercialmente no mercado brasileiro no primeiro semestre de 2017, uma vez que sua produção foi transferida de São José dos Pinhais (PR) para a fábrica argentina de Santa Isabel, onde será fabricada junto com a prima Renault Alaskan. A picape possui, no exterior, opções de motores 2.3 ou 2.5 (a gasolina ou a diesel) e câmbio manual de 6 marchas ou automático de 7 velocidades. Desde já, estamos na expectativa de que a Nissan convide o Auto REALIDADE para mais este lançamento...


Hyundai Creta brasileiro terá motorizações 1.6 e 2.0


A uma semana da abertura do Salão do Automóvel de São Paulo, a Hyundai revela que o Creta terá a opção de motor 2.0 com duplo comando variável de válvulas (D-CVVT), no escape e na admissão - o modelo terá um logotipo alusivo à motorização na tampa do porta-malas. O mesmo recurso estará presente no motor 1.6 do Creta, numa estratégia para diferenciá-lo ao máximo do HB20. As respectivas potências, porém, só serão informadas no Salão do Automóvel.


Chevrolet Bolt será apresentado no Salão de São Paulo


Apresentado nos Estados Unidos em sua versão de produção no início de 2016, com vendas programadas ainda para esse ano, o elétrico Chevrolet Bolt será exibido pela primeira vez no Brasil durante o Salão do Automóvel de São Paulo. Menor e mais acessível que o sedan Volt (com preço aproximado de US$ 30 mil, já considerando isenções), o Bolt consegue percorrer mais de 380 quilômetros com uma carga das baterias de íons de lítio, com o reaproveitamento da energia dissipada em frenagens e também em desacelerações para recarregar as baterias - basta tirar o pé do acelerador para ativar esta função.


A operação de recarga é feita plugando o cabo de energia na tomada - em voltagem de 240V, uma hora de energia elétrica corresponde a cerca de 40 quilômetros de autonomia. Já em estações públicas de alta voltagem, trinta minutos correspondem a aproximadamente 150 quilômetros de autonomia.


O conjunto elétrico do Bolt supera os 200 cavalos e revela um comportamento arisco, já que o torque máximo está disponível instantaneamente. As baterias são instaladas sob o piso, em uma configuração plana. Com entre-eixos de aproximadamente 2,60 metros, o Bolt oferece espaço para cinco pessoas.


O visual do Bolt segue a assinatura da Chevrolet de grade bipartida e faróis que acompanham os contornos do capô. Na traseira, o vidro se estende até a placa, como se estivesse integrado às lanternas. Todo o conjunto é fixado na tampa do porta-malas para ampliar o vão de acesso ao habitáculo.


Por dentro, destacam-se a posição elevada de guiar, como nos utilitários esportivos. O GPS aponta para estações de recarga próximas e traça rotas que maximizem a autonomia – este cálculo pode ser feito com base na topografia do trajeto, na condição climática e até nos hábitos do motorista. Também estão disponíveis a central de atendmento OnStar, internet 4G via Wi-Fi e sistema multimídia MyLink com tela de 10,2 polegadas sensível ao toque, além do espelhamento de tela de celulares compatíveis com Apple CarPlay e Android Auto.


VW CrossFox Urban White: o urbano que virou aventureiro está mais... urbano


Ao longo do tempo, os carros vão se moldando aos gostos e necessidades dos consumidores, gerando curiosas adaptações de mercado. Lá em 2005, a crescente demanda por modelos de estilo aventureiro (que explodiu com o EcoSport) fez a Volkswagen materializar o CrossFox, até então um carro-conceito, para produção regular. O modelo trazia um visual mais abrutalhado: enquanto todo Fox saía com pintura nos para-choques de fábrica, o Cross tinha estas peças em plástico preto. Mas estamos em 2016 (quase 2017), e os utilitários que estão bombando no mercado (HR-V, Kicks, Renegade...) lançaram mão de visuais citadinos sim, mas com robustez. 

Portanto, nada mais justo que a VW lançar agora a versão Urban White do CrossFox no Salão do Automóvel de São Paulo - uma forma de rivalizar diretamente com o Honda WR-V, também baseado num compacto (o Fit) e que, adivinhe só, também faz sua estreia no Salão de SP.


Como dá a entender seu próprio nome, o CrossFox Urban White será vendido unicamente na cor Branco Puro - uma tonalidade sólida não oferecida em outros Fox, reservada atualmente à linha Golf. Outros diferenciais externos são os detalhes na cor preta (retrovisores, barras de teto e, opcionalmente, o próprio teto), que formam contraste com detalhes que normalmente são prateados nas outras versões, mas que nesta série também são pintados de branco (moldura do para-choque e suporte traseiro do estepe). As rodas de 16 polegadas estrearam este estilo na linha 2017 do modelo e são calçadas com pneus 195/50.


Internamente, o Urban White traz revestimentos em couro sintético Native com insertos que lembram fibra de carbono, além de forro de teto e das colunas em tom escurecido. Volante, alavanca de freio de mão e manopla do câmbio manual também são revestidos de couro.

A lista de itens de série do CrossFox Urban White abrange o sistema multimídia Composition Touch com tela touchscreen de 5 polegadas, espelhamento de tela de celulares Android pelo MirrorLink, rádio, CD/MP3 Player, Bluetooth, entradas USB, auxiliar e para cartão SD; controle eletrônico de estabilidade com função off-road (que trava momentaneamente as rodas em pisos de terra para auxiliar na frenagem), assistência de partida em ladeiras, ar-condicionado, direção elétrica e bloqueio eletrônico do diferencial.

Como as outras versões do CrossFox, o Urban White utiliza o motor 1.6 MSI Total Flex de 16 válvulas, de 110/120 cavalos a 5750 rpm e torque de 15,8/16,8 kgfm a 4000 rpm (com gasolina e etanol, nesta ordem). Trazendo câmbio manual de seis marchas, o CrossFox acelera de 0 a 100 km/h em 10,2 segundos com etanol (10,7 s com gasolina) e atinge velocidade máxima de 180 km/h (177 km/h com gasolina). Já com o câmbio automatizado I-Motion, o modelo aventureiro acelera de 0 a 100 km/h em 10,7 segundos (11,2 s com gasolina) e atinge velocidade máxima de 179 km/h (175 com gasolina).

Volkswagen lança Atlas nos EUA: mamute cosmopolita


Como conquistar um país onde é comum ver carros "full-size" com mais de 5 metros de comprimento, mas que ficou com um pé atrás quando estourou o escândalo do Dieselgate, com a adulteração de resultados em testes de emissões de poluentes? A Volkswagen resolveu apresentar um SUV ao melhor estilo American way of life, que é inclusive maior que o Touareg, até então o mais amplo (e caro) modelo da marca. Seu nome: Atlas, que já chega como modelo 2018. Assim como o Passat, o utilitário será produzido na planta de Chattanooga, no Tennessee.


Com 5,04 metros de comprimento, 1,98 metro de largura sem retrovisores e 1,77 metro de altura, o Atlas é precisamente 24 cm maior, 4 cm mais largo e 6 cm mais alto em relação ao Touareg 3.6 V6 vendido no Brasil. Desta forma, o novo VW consegue transportar 7 pessoas. Baseado na arquitetura modular MQB, o Atlas tem formas robustas e sólidas, com frente que traz faróis e luzes de posição em LED, com as lanternas opcionalmente trazendo os diodos emissores de luz. 


Mesmo sendo todo novo, o Atlas possui painel familiar para quem conhece os atuais Volkswagen. O quadro de instrumentos com o Digital Cockpit é configurável e pode assumir a forma analógica padrão ou abrir espaço para informações do computador de bordo. O sistema multimídia espelha a tela de celulares compatíveis com Android Auto, Apple CarPlay e MirrorLink; também é oferecido o sistema de som Fender com 12 alto-falantes e potência de 480 Watts.


O Atlas conta com recursos de segurança como o controlador de velocidade de cruzeiro adaptativo, o alerta de colisão frontal com frenagem automática de emergência, o monitor de pontos cegos com alerta de tráfego cruzado traseiro, o Park Assist (assistente automático de estacionamento) e o alerta de mudança de faixa involuntária, bem como o recurso de frenagem pós-colisão, que freia automaticamente após um acidente.



Com a imagem ainda maculada pelo Dieselgate, o Volkswagen Atlas, por enquanto, só terá motores movidos a gasolina: um 2.0 TSI de quatro cilindros, com turbo e injeção direta de combustível (rendendo 238 cavalos) e o 3.6 VR6 de 280 cavalos com opção de tração dianteira ou integral, ambos aliados ao câmbio automático de 8 marchas. Depois dos Estados Unidos, será a vez da Rússia e do Oriente Médio receberem o modelo, até o final do próximo ano.


Chevrolet Camaro 2017 chega ao Brasil nas versões SS, Fifty e Conversível


É extremamente frustrante saber que a mesma GM do Brasil que promove o lançamento de um modelo que beira os 300 mil reais e consegue bancar viagens a jornalistas com cerca de 15 esportivos de frota alega que não tem condições de enviar seus carros de frota de imprensa ao Piauí "por questões de custos". Desatendo-se a esta injustiça, a Chevrolet lança oficialmente a sexta geração do Camaro, que no País completa seis anos de mercado oficialmente e acumula mais de 5 mil unidades vendidas, sendo oferecido nas versões SS Coupé, SS Conversível e Fifty, série especial comemorativa de 50 anos do modelo.



Apesar do modelo 2017 do Camaro mudar profundamente, há aspectos que lembram a geração anterior, como as proporções da carroceria e a permanência do motor 6.2 V8 (nos Estados Unidos há a opção de um pequeno mas eficiente 2.0 Turbo). Agora com injeção direta de combustível, o propulsor passa a entregar 461 cavalos e 62,9 kgfm de torque. O câmbio automático agora tem 8 marchas e conta com modo sequencial com trocas na alavanca ou nas aletas atrás do volante.


A nova geração do Camaro ganhou um bem-vindo refinamento, trazendo quadro de instrumentos parcialmente digital e configurável, Heads-up Display (que projeta no para-brisa informações necessárias ao motorista), nova geração do sistema multimídia MyLink com espelhamento de tela de celulares compatíveis com Android Auto e Apple Car Play, alto-falantes Bose, carregador wireless para smartphone, volante com aquecimento, bancos dianteiros com ventilação, ajustes elétricos e memória; ar-condicionado dual zone, partida remota do motor, intensificador de som do motor para a cabine, seletor de modos de condução, vetorização do torque, freios Brembo com assistência de frenagem de urgência, alertas anti-distração para o motorista, oito airbags, teto solar, faróis de xenônio e lanternas com LEDs.


O novo Camaro chega às concessionárias a partir de novembro, sendo que as 100 primeiras unidades serão da série limitada Fifty, que comemora as Bodas de Ouro do modelo em território norte-americano. Já a previsão para as vendas do modelo SS Conversível é que estreie nas lojas no fim do primeiro trimestre de 2017.


Por fora, os diferenciais do Camaro Fifty são a pintura Cinza Graphite, as faixas laranjas no capô e na tampa traseira, a grade do para-choque com detalhes cromados, o defletor dianteiro na cor da carroceria, os emblemas "Fifty" nos para-lamas, as rodas de alumínio de 20 polegadas com design exclusivo e calotinhas com os dizeres "Celebrating Fifty Years of Camaro", além das pinças de freio na cor laranja.



Por dentro, o modelo traz revestimentos em preto e cinza escuro com costuras laranja, além de emblema "Fifty" no painel e soleiras iluminadas com emblema "50th". Os compradores receberão uma identificação com a numeração de cada veículo.


Aproximadamente 70% dos componentes da atual arquitetura do Camaro foram desenvolvidas especificamente para o carro, que possui rigidez torcional 28% maior e está significativos 83 quilos mais leve (só o conjunto de suspensão foi responsável pela eliminação de 12 quilos), com distribuição de peso praticamente idêntica entre os dois eixos e emprego de aços de alta resistência. O conjunto dianteiro de suspensão agora é do tipo multi-link McPherson com geometria específica, barra estabilizadora e pivô duplo, enquanto o traseiro é do tipo independente com cinco braços.


Os freios da marca Brembo trazem discos ventilados de 345 milímetros na dianteira e 338 mm na traseira, com pinças de quatro pistões. Contam com antitravamento (ABS), distribuição da força de frenagem (EBD) e frenagem de urgência (PBA). Já os pneus estão mais largos, nas medidas 245/40 à frente e 275/35 atrás, e são do tipo Run Flat, podendo rodar emergencialmente mesmo furados. As rodas são de alumínio aro 20''.



Contrariando as tendência de mercado, a nova geração do Camaro é menor que a anterior, com 4,78 metros de comprimento (antes tinha 4,84 metros), altura de 1,34 metro (era 1,37 m), largura de 1,89 m (era 1,92 m) e distância entre-eixos de 2,81 m (eram 2,85 m).


A vetorização do torque usa recursos do controle de estabilidade para possibilitar que as rodas recebam quantidade distinta de torque, na medida exata para a otimização da tração. O novo Camaro também traz controle de tração e o seletor com quatro modos de condução (Passeio, Esportivo, Neve, Pista), que configura diversos parâmetros do veículo, mudando desde a sensibilidade do pedal do acelerador e do volante, passando pelo mapeamento do câmbio até a cor da ambientação da cabine.


A frente do Camaro 2017 permanece com a "cara fechada" da geração anterior, com capô alongado cheio de vincos e para-choque mais agressivo. Os faróis de xenônio ganham luzes diurnas de LED. A lateral chama a atenção pelas saias esculpidas na carroceria e pela linha de cintura elevada. Os para-lamas volumosos incorporam os repetidores de luzes de seta, agora com superfície transparente e posicionados na vertical. Na traseira, as lanternas com LEDs estão mais arredondadas e o aerofólio passa a ser do tipo suspenso, sustentando por três pilares - seu novo formato ajudou a elevar em 50% o downforce traseiro. O para-choque acomoda duas saídas de escape e a luz de ré na parte central.


O teto com montagem por solda a laser dispensou as canaletas e outras peças complementares, e agora o Coupé possui teto solar elétrico de série, enquanto o conversível ganha capota com acionamento retrátil automático - antes, a operação só podia ser feita com o carro parado e as presilhas tinham que ser manualmente presas. A abertura ou fechamento pode ser feita remotamente pela chave ou por um botão no console, com o carro a até 50 km/h.


Também é novo o emblema vermelho, branco e azul que adorna os para-lamas dianteiros do Camaro, em homenagem à primeira geração. No Brasil, o Chevrolet terá cinco opções de cores para a carroceria: Preto Ouro Negro, Branco Summit, Amarelo Lemon Peel, Vermelho Tinto e Azul Ocean.


O interior é todo novo, ainda que a disposição de alguns itens e o formato do painel lembre o modelo anterior. No monitor de 8 polegadas entre o conta-giros e o velocímetro, é possível conferir: informações gerais do veículo (velocímetro digital; hodômetro parcial; consumo médio; velocidade média em duas viagens; autonomia; consumo instantâneo; vida útil do óleo; monitoramento de pressão dos pneus; média e melhor consumo nos últimos 50, 100 e 650 km; cronômetro; horas do motor e horas em marcha lenta), informações de performance (indicador de força-G; cronômetro de desempenho; cronômetro de volta; temperatura do óleo; pressão do óleo; temperatura do fluído de transmissão; indicador de temperatura dos pneus), informações do áudio (listas de músicas, estações favoritas e seleção da fonte de áudio), informações do telefone (chamadas telefônicas; visualização dos contatos; indicador da bateria e sinal do celular pareado), informações de navegação (rota ativa no GPS) e opções como alerta de velocidade programada e seleção das telas a serem exibidas em cada menu.


O MyLink, também com tela de oito polegadas sensível ao toque, traz espelhamento da tela de celulares compatíveis com Android Auto e Apple CarPlay, comandos de voz e GPS com mapas em três dimensões. Os comandos do ar-condicionado (dual zone) foram incorporados logo acima das saídas de ventilação (agora posicionadas na parte inferior do painel) e o freio de mão passa a ter acionamento elétrico (antes, ficava do lado do passageiro, uma herança da equipe australiana de desenvolvimento da geração passada - lá, o motorista conduz à direita).



Os LEDs que contornam a tela do MyLink, os painéis de porta e o porta-copos central podem assumir 24 opções de cores. A cor ambiente muda quando o motorista troca os modos de condução. Na posição Passeio, a iluminação fica azul clara. Já no modo “Pista”, que deixa o comportamento arisco, a iluminação fica vermelha.



Os bancos dianteiros estão mais anatômicos, com ventilação interna e ajuste elétrico com três opções de memória, válidas também para os retrovisores externos. O volante de base achatada traz aquecimento. Outros itens de série da linha 2017 são: partida por botão no painel, destravamento das portas por aproximação, som Bose, oito airbags, alerta de movimentação traseira, alerta de ponto cego com sensor de aproximação repentina e alerta de pressão e temperatura dos pneus.



Os apoios de braço das portas e entre os bancos, console central e inserto do painel contam com superfícies macias ao toque e costuras pespontadas, contrastando com o revestimento predominantemente escuro do habitáculo. A alavanca do câmbio conta com aplique em alumínio fosco e a assinatura Camaro no topo e na base.


Com o Active Fuel Management aprimorado (podendo desligar 4 dos 8 cilindros em velocidade de cruzeiro para poupar combustível) e a redução de peso, bem como a injeção direta de combustível e o comando de válvulas continuamente variável, o Camaro 2017 está até 20% mais econômico. O motor 6.2 V8 ganhou 55 cavalos e 7 kgfm de torque, entregando 461 cv a 6000 rpm e 62,9 kgfm a 4400 rpm. A tração permanece nas rodas traseiras. 


Curta a página do Auto REALIDADE!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...