Duelo dos furgões: Renault Kangoo x Fiat Fiorino


O segmento de furgões compactos é atualmente representado pelo Renault Kangoo 1.6, presente no mercado brasileiro há 15 anos, e pelo Fiat Fiorino, furgão que nasceu do 147, passou a derivado do antigo Uno e, desde 2014, toma como base o Uno 1.4. Mais compacto no comprimento - 4,01 metros, ante 4,38 m do Fiat - o Kangoo é significativamente mais alto (1,86 metro de altura, contra 1,74 m do Fiorino) e largo (2,03 metros vs. 1,93 m). O Renault conta com uma capacidade de carga maior, de 800 quilos (contra 650 kg do Fiorino), fator que pode ser inclusive decisivo para a compra.


A posição de dirigir do Kangoo é mais alta, com amplitude maior de espaço para a cabeça. Atrás pode-se ter acesso às cargas, com grade de proteção atrás do banco do motorista, enquanto no Fiorino há uma parede entre a cabine e a área de carga, para acomodar o estepe. Outra vantagem do furgão da Renault está na porta corrediça na lateral direita disponível como opcional, facilitando o carregamento e descarregamento de cargas.


O Fiorino traz poucos itens de série: airbag duplo e freios ABS (obrigatórios), hodômetro digital com relógio, iluminação no compartimento de carga e porta-copos. Até a preparação para som é opcional. Também falta o espelho no para-sol do passageiro, de série no Kangoo.


O Kangoo tem quadro de instrumentos assemelhado ao do Clio, com maior conta-giros e luz de advertência de porta aberta, além de itens de série como banco do motorista com regulagem de altura, preparação para som (cabos HP, alimentação e aterramento), pára-choque dianteiro na cor da carroceria, repetidores de luzes de seta laterais, protetor de cárter e transmissão, regulagem interna elétrica dos faróis, pontos de fixação no compartimento de carga, porta-objetos central e ar quente, além dos airbags frontais e freios ABS.



O Renault Kangoo também é dotado de um motor mais potente, o 1.6 Hi-Flex, que gera 95 cavalos com gasolina e 98 cv com etanol. No Fiat Fiorino, a motorização é 1.4 de 85 cavalos com gasolina e 88 cv com etanol. Mais ágil, o Kangoo acelera de 0 a 100 km/h em 12,5 segundos com etanol (o Fiat compre a prova em 14 segundos usando o mesmo combustível) e chega à velocidade máxima de 161 km/h com o combustível vegetal (145 km/h no Fiorino, nas mesmas condições).

A economia do Fiat utilizando gasolina é abaixo do que se espera para um motor menor, inferior a 1 quilômetro por litro em comparação com o Kangoo - na cidade, enquanto o Renault faz até 10,4 km/l na cidade em sua versão de entrada, o Fiorino chega a 11 km/l.


Por fim, o Kangoo também leva vantagem no preço: a partir de R$ 47.080, com pacote de direção hidráulica e ar-condicionado disponível por R$ 5.200. O Fiorino parte de R$ 48.090, mas para ter apenas o ar-condicionado é preciso desembolsar R$ 4.132, e a direção hidráulica soma mais R$ 2.697. Ambos têm garantia de 1 ano, mas o Kangoo tem 6 anos de garantia anticorrosão.
 

Comentários

Postar um comentário

Na seção de comentários do Auto REALIDADE você está livre para escrever o que você achou da matéria.

Caso você queira fazer perguntas maiores, incluir fotos ou tirar dúvidas, envie e-mail para blogautorealidade@hotmail.com

Sua opinião é muito importante para o Auto REALIDADE! Estamos a disposição no Facebook (http://www.facebook.com/AutoREALIDADE), no Instagram (http://www.instagram.com/autorealidade e no Twitter (@AutoREALIDADE).