As novidades dos VW Gol e Voyage linha 2017


Nos 36 anos que o Volkswagen Gol esteve presente no Brasil, todas as renovações - sejam cosméticas ou profundas - foram aguardadas sob grandes expectativas. E agora não foi diferente: desde o ano passado se especulam sobre as possíveis novidades do carro-chefe da VW. A linha 2017 do Gol e de seu irmão sedan Voyage, em uma escala de profundidade das mudanças, é mais abrangente do que a atualização pela qual passou em 2012, mas não chega a mudar estruturalmente - é o Gol G5, apresentado em junho de 2008, alinhado com as atuais diretrizes da montadora. 


Externamente, os faróis ganham novo estilo interno e a grade traz acabamento em preto-brilhante com filete cromado nas versões mais caras. O para-choque dianteiro é o maior diferencial da linha 2017, com abertura mais agressiva, interligada visualmente por um friso às molduras "pontudas" dos faróis de neblina. Rodas e calotas possuem novo design, mantendo as proporções e o conjunto de pneus. São elas: "Dacito" de 14 polegadas, "Marga" de 15 polegadas e "Varvito" de 16 polegadas, todas de liga leve. Há dois tipos de calotas: 14'' ("Xisto") e 15'' ("Gabro").


O Voyage permanece com a mesma traseira, enquanto o Gol adota lanternas maiores de formato mais anguloso, com impressão de profundidade - com inspiração no Polo europeu. A tampa do porta-malas também adota vincos mais definidos e linhas mais retas (inclusive no vidro traseiro), enquanto o para-choque recebe novos refletores.


A principal novidade da linha 2017 está por dentro: o painel mudou por inteiro, a começar pelo volante de desenho idêntico ao de Fox e Golf, que nas versões completas inclui comandos de som, chamadas telefônicas e do computador de bordo. Falando nele, suas informações são exibidas em uma tela monocromática com caracteres brancos ao invés de vermelhos. As informações analógicas se concentram em dois círculos, como no Fox.

Uma faixa horizontal "corta" o painel de ponta a ponta, e os direcionadores de ar estão mais horizontais (antes se adotavam os difusores circulares formado por uma ou duas peças para baratear custos de produção). A fileira de botões, que inclui pisca-alerta e acionadores dos vidros elétricos traseiros, ficou mais estreita para permitir a acomodação de sistemas de som/multimídia double-DIN, algo que não havia sido previsto para o painel anterior.


Serão quatro opções: a mais simples, Media, está incluso no pacote Conectividade, trazendo seis alto-falantes, suporte para celular de até 6 polegadas, Bluetooth com reprodutor de áudio, além de entradas USB, auxiliar e cartões de memória do tipo SD.


De série na versão Comfortline, o som Media Plus também traz Bluetooth, visor monocromático, entradas USB, para cartão SD e auxiliar, além de CD Player. Este sistema pode ser controlado pelo volante (caso seja incluído no pacote de opcionais) e exibir gráficos do sensor de estacionamento traseiro.


Já o Composition Touch (opcional no Comfortline), com tela de 5 polegadas sensível ao toque, é compatível com o sistema MirrorLink para espelhamento de tela de celulares Android compatíveis, trazendo também o recurso da narração de mensagens SMS.


Já na central Discover Media, a tela é maior (de 6,33 polegadas, sensível ao toque) e traz o App-Connect, que permite o espelhamento de smartphone através das plataformas MirrorLink, Apple CarPlay e Google Android Auto. O App-Connect permite ainda parear via Bluetooth dois celulares simultaneamente. Conta ainda com CD Player, duas entradas para cartões SD, entradas auxiliar e USB (no porta-objetos à frente da alavanca de câmbio) e atualização gratuita dos mapas no GPS.


Como versão de lançamento baseado no modelo Comfortline, o Gol Connect será oferecido unicamente na cor Azul Lagoon, tonalidade também presente na faixa central do painel e nos tecidos de banco. O modelo traz a central multimídia topo de linha Discovery Media, trazendo como opcional o suporte para celular, posicionado no topo do painel, para carregar e posicionar o smartphone. Outros diferenciais são os adesivos Connect nas colunas traseiras, vidros, travas e retrovisores elétricos, sensor de estacionamento traseiro e rodas Marga de 15 polegadas, calçadas com pneus de medida 195/55 de baixa resistência ao rolamento.


O motor 1.0 "TEC" foi aposentado em todas as versões em favor do 1.0 MPI, de 12 válvulas e três cilindros, já adotado em todas as versões aspiradas do up! e nos modelos de entrada do Fox. Dispensando o tanquinho de partida a frio, este motor (EA211) de 999 cm³ rende 75 cavalos com gasolina e 82 cv com etanol, a 6250 rpm. O torque é de 9,7 kgfm (gasolina) e 10,4 kgfm (etanol), distribuídos na faixa de rotação de 3000 rpm a 3800 rpm. A partir de 2000 rpm, mais de 85% do torque está disponível.

Além de propiciar redução no consumo de combustível, o novo motor proporciona maior agilidade para Gol e Voyage. Com gasolina, o hatch acelera de 0 a 100 km/h em 12,6 segundos e atinge a velocidade máxima de 168 km/h. Abastecido com etanol, são 12,3 segundos para a aceleração de 0 a 100 km/h e 170 km/h de velocidade máxima. Já o Voyage cumpre as provas de aceleração em 12,9 segundos (gasolina) e 12,7 segundos (etanol). A velocidade máxima do sedã é de 173 km/h (gasolina) e 175 km/h (etanol).


Ironicamente, o motor 1.6 Total Flex, de 8 válvulas e 101/104 cavalos, mantém o reservatório de partida a frio. Por ora, nenhuma versão é equipada com o MSI de 16 válvulas, que rende mais potência e torque. Com torque de 15,6 kgfm a 2500 rpm com etanol e de 15,4 kgfm com gasolina, podendo ser equipado com o câmbio automatizado de cinco marchas I-Motion (sem alterações). De acordo com a VW, o Gol 1.6 faz de 0 a 100 km/h em 9,8 segundos (!) quando abastecido com etanol; usando gasolina, em 10,1 segundos. A velocidade máxima é de 188 km/h (com etanol) e 186 km/h (com gasolina). Já o Voyage acelera de 0 a 100 km/h em 9,9 segundos (etanol) e 10,1 segundos (gasolina). A velocidade máxima do sedã é de 192 km/h (etanol) e 190 km/h (gasolina).


Na versão 1.0 Trendline (R$ 34.890), os itens de série são: direção hidráulica, airbags frontais, freios ABS com EBD, faróis com máscara negra, banco do motorista com ajuste de inclinação, para-sóis com espelhos de cortesia, preparação para som, porta-revistas atrás do banco dianteiro direito, travas elétricas, botão de destravamento da tampa do porta-malas, limpador/lavador/desembaçador do vidro traseiro com temporizador, vidros dianteiros elétricos e rodas aro 14'' de ferro com pneus 175/70. O modelo 1.6 Trendline (R$ 40.190) vem com pneus 185/65.

A versão Comfortline traz os itens mais requisitados pelo consumidor particular: ar-condicionado, cinco apoios de cabeça, chave tipo canivete, computador de bordo I-System, faróis e lanternas de neblina, maçanetas e capas dos retrovisores na cor da carroceria, grade na cor preto-brilhante com filete cromado, retrovisores com luzes de seta incorporadas e som Media Plus. Custa R$ 42.690 com motor 1.0, ou R$ 47.490 quando equipada com o motor 1.6 - trazendo como opcionais o câmbio I-Motion e as rodas Varvito de 16 polegadas.


A versão topo-de-linha é a Highline, oferecida unicamente com motor 1.6 e que custa R$ 51.990. Este modelo traz revestimentos em tom mais claro, som Composition Touch com tela sensível ao toque, lanternas escurecidas, frisos cromados e pedaleiras esportivas.

No Voyage, as opções de versões são exatamente as mesmas do Gol. A opção Trendline é vendida por R$ 40.990 na versão 1.0 ou R$ 44.590 com o motor 1.6. Para a versão Comfortline, os preços são de R$ 46.490 (1.0) e R$ 49.790 (1.6). Por fim, o Highline 1.6 custa R$ 55.290. Historicamente, a versão Rallye do Gol demora alguns meses a mais para chegar. Já a versão topo-de-linha do Voyage, a Evidence, não deverá retornar ao catálogo.


A paleta de cores de Gol e Voyage traz três novas tonalidades: Azul Lagoon, Cinza Platinum e Prata Tungstênio (metálicas). Há, ainda, as cores metálicas Prata Sirius e Azul Night, além das sólidas Branco Cristal, Preto Ninja e Vermelho Flash.

Comentários

  1. Bom dia. Muito legal o blog de vocês! Será se vocês poderiam fazer uma matéria mostrando os detalhes da nova Captiva 2016, que foi lançada com algumas mudanças e redução de preço (103.900)?
    É verdade que as concessionárias dão bons descontos sobre esse preço ainda? Vale a compra? Estou interessado em uma.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi William! A postagem com os detalhes do Captiva 2016 está no ar (só pela manhã a Chevrolet enviou as imagens e texto de apoio). Ainda que tenha muito em comum com o Captiva 2.4 lançado em 2009, o custo-benefício é vantajoso ao considerar que se trata de um modelo seguro, com ampla lista de equipamentos (incluindo teto solar e partida do motor pela chave), e considerando que S10 e Tracker não trazem todas estas mordomias... As opções nesta faixa de preço são: Hyundai ix35, Jeep Renegade Sport diesel e Kia Sportage, todos com visual atraente, porém menos equipados.

      Excluir
    2. Vi a reportagem Júlio, muito obrigado! Acho a Captiva (apesar de "cansada") com um ótimo custo-benefício em relação aos concorrentes.
      Sabe se já está disponível nas concessionárias?

      Excluir

Postar um comentário

Na seção de comentários do Auto REALIDADE você está livre para escrever o que você achou da matéria.

Caso você queira fazer perguntas maiores, incluir fotos ou tirar dúvidas, envie e-mail para blogautorealidade@hotmail.com

Sua opinião é muito importante para o Auto REALIDADE! Estamos a disposição no Facebook (http://www.facebook.com/AutoREALIDADE), no Instagram (http://www.instagram.com/autorealidade e no Twitter (@AutoREALIDADE).