Primeiro contato: Fiat Toro (Freedom e Volcano)



Poucas vezes um carro da Fiat gerou tanto interesse (e comentários) dos mais diferentes públicos quanto o Toro: seja donos de picapes médias, clientes da Strada e até consumidores que até então não consideravam ter um modelo do gênero tiveram a curiosidade despertada. Até o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, fez elogios ao "SUP" (Sport Utility Pick-Up). De fato, o Fiat Toro tem linhas futuristas e robustas, causando uma boa impressão quando vista ao vivo (clique aqui para ver os detalhes de todas as versões). É uma personalidade totalmente diferente de seu irmão de plataforma Jeep Renegade, e que foge do lugar-comum das outras picapes, a começar pela tampa de sua caçamba, que é bipartida. 


A razão de ser do Toro possui capacidade volumétrica de 820 litros, vindo de série com protetor de caçamba e podendo levar cargas de até 650 quilos, no caso da versão Freedom 1.8 Flex das imagens, ou 1000 quilos para os modelos como motorização a Diesel. Para ter acesso, aperta-se um botão atrás do escudo da Fiat que destrava a porta esquerda, e depois empurra-se uma alavanca para baixo, abrindo a parte direita. Como acessório há o extensor de caçamba, aumentando o vão de carga 405 litros (totalizando 1225 litros) e contando com suporte de placa adicional e lanternas extras.



Na versão Volcano, que possui luzes diurnas de LED de série, a iluminação é acionada junto com a ignição do motor e, quando ligado os faróis baixos, uma central eletrônica diminui a potência dos LEDs. Na Freedom, as luzes de posição também são acionadas com a partida. A utilização dos LEDs reduz o consumo de energia e prolonga a vida útil do sistema de iluminação. Além disso, os faróis de neblina trazem a função Cornering, acendendo automaticamente quando se faz uma curva em baixa velocidade para o lado que se vira o volante.


Por dentro, apesar de aproveitar componentes com o Renegade, a equipe da Fiat esforçou-se em dar ao Fiat Toro personalidade própria, com as saídas de ar verticais e angulosas, além de quadro de instrumentos com grafismos inéditos e comodidades indisponíveis no Jeep, como o porta-óculos acarpetado para o motorista e, para quem senta atrás, tomada 12 Volts, entrada USB e, em algumas versões, descansa-braço com porta-copos integrado. O Toro traz chave que permite partida remota a aproximadamente 50 metros de distância, acionando também o ar-condicionado (comodidade útil em dias quentes).


Por meio desta chave também é possível abrir o carro dando um toque no botão preto da maçaneta, ativando o destravamento ou travamento das portas (cinco microantenas indicam a posição da chave, detectando se ela está dentro ou fora do carro) e dar a partida por botão. Ao redor dele ficou o único easter-egg do Renegade: a frase "To New Adventures".


O Toro traz na versão Freedom o Rádio Connect, com visor monocromático, rádio AM/FM, entrada auxiliar, duas entradas USB para carregamento, comandos no volante, Bluetooth, volume ajustável com a velocidade do carro, equalização de áudio e redução de ruídos.



Já na versão Volcano, vem de série a central multimídia Uconnect, com integração com iPod, GPS TomTom, Bluetooth (sendo possível utilizar até dois dispositivos), reconhecimento de voz, equalização de áudio, cancelamento de eco e redução de ruídos, bússola, temperatura externa, informações da Trip A e Trip B, 4 alto-falantes, 2 tweeters e suporte para instalação de câmera de ré, com resolução de 640 x 480 e linhas de guia dinâmicas. Pena que a tela sensível tenha apenas 5 polegadas (celulares de 300 reais têm monitores quase deste tamanho...).


O quadro de instrumentos tem conta-giros e velocímetro em posições invertidas, em comparação com o Renegade. Na versão Volcano, o computador de bordo possui tela de 7 polegadas com 262 mil cores, enquanto na versão Freedom a tela é de 3,5 polegadas, monocromática, com 16 tons de cinza. As funções do computador de bordo do Toro são similares às do Jeep, como velocidade instantânea, medidor individual da pressão dos pneus (opcional), consumo instantâneo e temperatura do óleo do motor e transmissão, mas há informações adicionais, como horímetro do motor e quilometragem restante para a revisão, que no caso do modelo a diesel ocorre em intervalos de 20 000 quilômetros.


Normalmente, os airbags dianteiros têm um furo de alívio de pressão pré-definido, que, ao ser acionado, dá vazão ao ar para amenizar o impacto do motorista. Porém, por ser uma vazão pré-determinada, não considera a absorção do impacto, nem o peso do motorista. No caso do Toro, o airbag possui o FVT (Flexible Venting Techonology), que faz com que o furo de alívio de pressão aumente a vazão do ar, de acordo com a absorção do impacto e do perfil físico do motorista. É o primeiro automóvel nacional desenvolvido com esse sistema.


Ainda que não traga as superfícies macias ao toque no painel que fizeram a fama do Renegade, o Fiat Toro itens que aumentam a percepção de cuidado com o acabamento interno: luzes de cortesia sob os retrovisores, maçanetas internas prateadas, alças de segurança dianteiras fixas para facilitar o acesso à cabine e traseiras com iluminação e retorno suave, sensor de afivelamento do cinto de segurança dianteiro, costura do volante paralela, apoio de braço dianteiro central (opcional) com 1,2 centímetro de espuma, porta-luvas com duplo travamento, visando menor esforço de fechamento e menos trepidação, fundo emborrachado em alguns dos porta-objetos e porta-objetos central refrigerado de forma independente da temperatura do ar-condicionado.


O motor 1.8 EtorQ Evo Flex ganha o sobrenome VIS, do inglês, Variable Intake System (sistema de admissão variável), que utiliza coletor de admissão, do eixo de comando e da bomba de óleo variáveis. Com isso, a potência saltou de 132 para 139 cavalos utilizando etanol, e reduzindo até 5% o consumo de combustível. Abastecendo com gasolina, a potência é de 135 cv. O torque é de 18,8 kgfm com gasolina e 19,3 kgfm com etanol, sempre a 3750 rpm.


Já o motor 2.0 16 válvulas Turbodiesel (MultiJet II) rende 170 cavalos a 3750 rpm, 35,7 kgfm de torque já a 1750 rpm, e está aliado ao câmbio manual de 6 marchas ou automático de 9 marchas, em opções de tração dianteira ou 4x4, que traz seletor giratório com posições Auto (operação sob demanda; caso as rodas da frente percam aderência, o eixo traseiro pode receber boa parte do torque, sendo desacoplado em seguida caso as condições normais de rodagem sejam restabelecidas), 4WD, onde o eixo traseiro recebe torque em tempo integral, e 4x4 Low, no qual a tração integral passa a atuar com parâmetros de distribuição de força pré-definidos. São feitas alterações eletrônicas nos freios ABS, controle eletrônico de estabilidade (ESC), controle de tração (TC) e da transmissão (TCU).


Para o Toro será oferecido o Custom Shop com quatro kits e opção de instalação de acessórios de fábrica (com garantia de 3 anos): Landscape, Audio, Chrome e Protection. O kit Landscape agrega estribo lateral de aço e reboque traseiro.

O kit Audio traz uma bem-vinda central multimídia com tela sensível ao toque de 6,2 polegadas, TV digital, GPS, leitor de CDs e DVDs, rádio AM/FM, viva-voz Bluetooth, câmera de ré, entradas USB e auxiliar, além dos comandos no volante.

O kit Chrome apresenta capas dos retrovisores e maçanetas externas cromadas, além de protetor de soleira em alumínio. E o kit Protection integra protetor do tanque de combustível em aço, para-barros dianteiro e traseiro, além de frisos laterais de portas. Há também mais de 50 itens oferecidos nas concessionárias.

O Toro também traz a Revisão Sob Medida (com serviços pré-pagos, mesmo que haja reajuste no momento da execução dos serviços, podendo ser adquiridas de 2 a 10 revisões para a versão Flex e de 2 a 5 revisões nas versões Diesel) e a Garantia Estendida para 4 ou até 5 anos. O objetivo do grupo Fiat-Chrysler é comercializar 50 mil Toros em 2016 no Brasil, com planos de exportação para mercados latino-americanos.

Fotos: Fiat Toro Freedom 1.8 Flex AT6 (R$ 81 877 com pintura metálica, barras de teto, rodas de liga leve aro 16'' e Kit Pleasure 1 - faróis de neblina, retrovisores elétricos com memória, tilt down ao engatar a ré, rebatimento, luz de boas vindas e capota marítima)


Fotos: Fiat Toro Volcano 2.0 Turbodiesel 4x4 AT9 (R$ 127 142 com 7 airbags, monitor da pressão dos pneus, pintura metálica, bancos revestidos em couro, capota marítima, chave presencial, partida por botão, sensor de chuva, sensor crepuscular, retrovisor interno eletrocrômico, partida remota e volante com alavancas de seleção das marchas tipo borboleta)


Comentários

Postar um comentário

Na seção de comentários do Auto REALIDADE você está livre para escrever o que você achou da matéria.

Caso você queira fazer perguntas maiores, incluir fotos ou tirar dúvidas, envie e-mail para blogautorealidade@hotmail.com

Sua opinião é muito importante para o Auto REALIDADE! Estamos a disposição no Facebook (http://www.facebook.com/AutoREALIDADE), no Instagram (http://www.instagram.com/autorealidade e no Twitter (@AutoREALIDADE).