Expedição Nissan Frontier visita as riquezas arqueológicas do Pará

Nissan começa a produzir Frontier na Argentina (e mostra versão básica)


Atualmente trazida do México para o Brasil, a picape Nissan Frontier passa a ser produzida em Córdoba, na Argentina, de onde começará a ser importada ainda este ano. Representantes do governo argentino e executivos da marca participaram de uma cerimônia nesta manhã para marcar o início oficial da produção e apresentar as primeiras unidades da Frontier fabricadas no país dos hermanos.


De quebra, a marca revelou imagens da versão básica, juntando-se às opções SE e LE. Na imagem de seu painel em montagem, é possível notar parte dos itens que esta versão terá a menos. A chave presencial e a partida por botão dão lugar à chave-canivete com partida convencional do motor. A tela do computador de bordo, que se manteve colorida na versão SE vendida no Brasil, passa a ser monocromática na versão mais simples, ao estilo dos Kicks S e SV. O ar-condicionado de duas zonas digital dá lugar ao aparelho manual convencional, mas mantém as saídas traseiras.


A versão das imagens traz motor a diesel (mantendo o seletor de tração giratório, alternando entre força nas rodas de trás, nas 4 rodas ou reduzida) e câmbio manual de seis marchas. Outro item mantido é o controlador de velocidade em descidas. O rádio deverá ser opcional (no México, a versão básica traz um aparelho double-DIN parecido com o que March e Versa SV possuem), mas vidros elétricos nas quatro portas e retrovisores com ajuste elétrico devem ser mantidos. Por fora, a versão traz faróis com máscara negra, rodas de ferro, maçanetas e capas dos retrovisores pretos, além da grade pintada de prata (e não cromada), mas manteve os faróis de neblina, diferentemente da versão mexicana. Em contrapartida, a caçamba da Frontier argentina não possui protetor nesta versão.

Já a versão topo-de-linha LE passa a adotar rodas de liga leve de 18 polegadas (antes, eram de aro 16). As novas versões presentes nesse lançamento são a XE 4x4 (com pacote de equipamentos um pouco acima da versão SE, incluindo rodas e capas dos retrovisores escuras, revestimentos de couro) e a Attack (que é bastante assemelhada à SE mexicana).


A cerimônia contou com a presença do presidente da Argentina, Mauricio Macri, além de outros representantes do alto escalão do governo, como Juan Schiaretti, governador da Província de Córdoba. A Nissan foi representada pelo presidente e CEO da Nissan mundial, Hiroto Saikawa, além de Jose Luis Valls, chairman da Nissan América Latina; Diego Vignati, diretor geral da Nissan Argentina, e Marco Silva, presidente da marca no Brasil. Luis Fernando Pelaez Gamboa, presidente da Renault Argentina, também esteve presente.


O projeto de manufatura de Córdoba é resultado de um investimento de US$ 600 milhões para construir uma linha de produção moderna exclusiva para a montagem de picapes, além de uma pista de testes dedicada a este tipo de veículo. Serão gerados aproximadamente .000 empregos diretos e 2000 empregos indiretos. A Nissan também vai trabalhar com fornecedores locais para criar sinergias que serão ainda ampliadas no futuro, para aumentar este tipo de parceria.


A nova linha de produção terá capacidade para produzir 70.000 unidades por ano não só da Frontier, como da Renault Alaskan e da Mercedes-Benz Classe X. Cerca de 50% deste volume será destinado à exportação. O Brasil será o primeiro país a receber a Nissan Frontier feita na Argentina, embora a marca não tenha definido exatamente a partir de que mês.

Com o início da fabricação em Córdoba, a Nissan Argentina se junta a Tailândia, China, México e Espanha como países que atualmente fabricam a picape Frontier.


A Nissan Frontier argentina é resultado de um projeto de pesquisa de dois anos em torno das condições de rodagem específicas da América Latina, que mobilizou uma equipe de 120 especialistas da marca em todo o mundo. 

Comentários