Os detalhes da Ford Maverick Lariat FX4, que chega por R$ 239.990


Texto e Fotos | Júlio Max, de Teresina (PI)

Por muitos anos, ao se falar em Ford Maverick, era muito comum lembrar rapidamente do modelo fabricado no Brasil em carrocerias cupê e sedã entre 1973 e 1979, e que marcou época especialmente em sua versão GT V8. Mas, a partir de agora, este nome está sendo ressignificado pela marca em sua nova picape, lançada em 2021 nos Estados Unidos e que já está nas concessionárias Ford no Brasil. Vale dizer que esta não é a primeira vez em que o nome Maverick foi reutilizado: ele chegou a batizar outros três utilitários esportivos. Na Austrália, a Ford resgatou este nome para comercializar o Nissan Patrol com o símbolo oval da marca entre 1988 e 1994. Na Europa, Maverick foi o nome do Ford baseado no Nissan Terrano II (entre 1993 e 1999) e, posteriormente, batizou o Ford Escape vendido nos mercados chinês e europeu (entre 2001 e 2007).

A Ford antecipou em agosto de 2021 que importaria a Maverick para o Brasil. Nos meses seguintes, a marca revelou também a versão que seria vendida em nosso País (Lariat FX4) e também divulgou imagens e algumas especificações da novidade. Agora, ela finalmente passa a ser comercializada em todo o território nacional pelo preço de R$ 239.990.


A Maverick é produzida em Hermosillo, no México, a mesma fábrica de onde sai o Bronco Sport. Ambos são semelhantes em diversos quesitos, e se utilizam da mesma plataforma (C2), motor (2.0 EcoBoost turbinado e com injeção direta de combustível, movido a gasolina), câmbio (automático de 8 marchas com seletor giratório) e tração (integral, com distribuição eletrônica de força entre os eixos), além de compartilharem alguns componentes internos. Mas a Maverick tem personalidade própria na parte externa e no interior, não sendo meramente uma picape do Bronco Sport.


A parte dianteira da Maverick não incorpora as referências saudosistas ao Bronco dos anos 1960 e aposta em faróis verticalizados de LED e grade superior de grandes proporções, espelhando-se no estilo da atual F-150 norte-americana. A parte inferior do para-choque frontal é preta e incorpora uma entrada de ar adicional e dois ganchos de reboque pretos.


Lateralmente, a Maverick também traz formas bem-definidas em três volumes. Com carroceria do tipo monobloco, a picape possui 5,07 metros de comprimento, distância entre-eixos de 3,08 m, largura de 1,98 m sem retrovisores (ou 2,12 m, com os espelhos) e altura de 1,745 metro. A altura em relação ao solo é de 21,8 centímetros, e os para-choques formam ângulo de ataque de 21,6 graus e ângulo de saída de 21,2 graus. As rodas de liga leve de 17 polegadas, na cor preta, são calçadas com pneus Pirelli Scorpion ATR 225/65 (de uso misto), exatamente as mesmas medidas do Bronco Sport. Os retrovisores possuem piscas embutidos e há uma subdivisão nas lentes para maior visão lateral.


Assim como os saudosos Taurus e Fusion, a Maverick conta com um "padlock" embutido na coluna da porta do motorista, que traz cinco botões com dois números cada um. É possível destravar a porta do motorista ao se apertar na sequência correta a senha de cinco dígitos, que pode ser configurada através do sistema multimídia. Ao apertar o botão "3-4" por cinco segundos, todas as portas são destravadas. Apertando ao mesmo tempo os botões "7-8" e "9-0", a porta do motorista é travada. Se a senha for inserida incorretamente 7 vezes, o "keypad" é desativado por 1 minuto. Para voltar ao normal, pode-se aguardar 1 minuto, apertar o botão de destravamento na chave, ativar a ignição ou inserir a mão junto à maçaneta para a chave destravar a porta pela presença.


Na traseira, as grandes lanternas (com piscas vermelhos) e o para-choque com estilo assimétrico e preparação para instalação de engate de reboque na parte central se sobressaem. Inclusive, por conta da presença deste item, o alojamento para a placa traseira precisou ser deslocado para o canto direito. A pré-instalação para reboque inclui chicote elétrico e ancoragem própria, com capacidade para puxar 499 quilos. Para utilizá-lo, é necessário adquirir o kit de engate com ponteira metálica e chicote ABNT de sete pinos, disponível como acessório nas concessionárias. Quando ele é engatado, se ativa automaticamente o modo reboque e é exibido um aviso no quadro de instrumentos. A picape dispõe de câmera de ré, mas não há sensores de estacionamento. Acima do vidro traseiro estão o brake-light e as luzes da caçamba.


A carroceria da Maverick está disponível em dez cores: Vermelho Aurora, Laranja Delhi, Azul Malacara, Azul Lyse, Azul Indianápolis, Cinza Torres, Cinza Dover, Prata Orvalho, Branco Ártico e Preto Astúrias.


Internamente, a Maverick traz uma grande mescla de cores: o preto, presente no volante, hastes, botões e na parte inferior do painel e das portas, convive com o azul-escuro (presente em uma seção do console central e também na parte superior do painel e das portas), enquanto a cor prata domina a moldura que circunda as saídas de ar laterais, aparece no forro de teto e colunas, está em parte dos forros de porta e também envolve os botões do sistema multimídia, e o marrom/bronze é a cor presente em parte dos bancos, puxadores de porta, porta-objetos dianteiro e molduras que se infiltram pelas saídas de ar-condicionado. O acabamento é mais simples do que no Bronco Sport, eliminando as áreas macias ao toque no painel e nas portas dianteiras, mas manteve o forro de teto em tecido macio. Pequenas seções de couro sintético estão presentes nas portas dianteiras e traseiras, material também presente nos bancos e nos apoios de braço centrais.


O interior traz soluções criativas para acomodação de objetos, como o compartimento de 73 litros sob o assento traseiro que pode carregar objetos molhados e os espaços nos forros de porta que acomodam garrafas de 1 litro. 


O volante revestido de couro é semelhante ao do Bronco Sport (muda o logotipo, que na Maverick é o oval azul da Ford), possui ajuste manual em altura/profundidade e concentra os comandos de controlador de velocidade de cruzeiro (que, diferentemente do Bronco Sport, é incapaz de manter automaticamente uma distância do veículo à frente) e dos comandos de som, voz e computador de bordo.


O quadro de instrumentos da Maverick também é bastante similar ao do Bronco Sport, exceto pelos ícones que ilustram a picape. O conta-giros e o velocímetro são analógicos e estão acompanhados de uma tela central colorida de 6,5 polegadas que exibe as informações do computador de bordo, entre elas, velocímetro digital, menu off-road com os inclinômetros da carroceria e do volante, distribuição do torque entre os eixos, portas abertas, pressão individual dos pneus, informações de distância percorrida, indicador de consumo instantâneo de combustível e informações de som.


A central multimídia traz tela sensível ao toque de 8 polegadas, espelhamento de tela de celulares através do Android Auto/Apple CarPlay e conectividade através do aplicativo FordPass. Com o app instalado no celular, é possível fazer a partida do motor remotamente para ligar o ar-condicionado antes de adentrar a cabine (até mesmo de forma agendada), conferir a localização em tempo real do veículo, nível do combustível, pressão dos pneus, hodômetro e quilometragem até a próxima revisão pela tela do smartphone, além de travar e destravar portas, acessar o manual do proprietário, receber alerta do funcionamento do alarme e agendar as revisões nas concessionárias pelo celular. 

Se um alerta de falha do veículo for emitido, dependendo da gravidade do problema existe a possibilidade de um atendente da Ford entrar em contato com recomendações para a sua solução. Também é possível contar com a assistência técnica em conferência, acionando o telefone da assistência Ford se precisar, para que um atendente especialista o coloque em contato com o chefe de oficina da concessionária Ford mais próxima. Assim, pode ser encontrada uma solução imediata onde ele estiver ou a remoção do veículo para a oficina, caso necessário. Já o sistema de som dispõe de seis alto-falantes.


Os comandos de ar-condicionado são bem parecidos com os do Bronco Sport. Mudam somente o ícone do botão de recirculação de ar (que, na Maverick, mostra a silhueta de uma picape) e o fato da novidade não dispor do aquecimento para os bancos dianteiros, existente no SUV. Trata-se de um aparelho digital automático de duas zonas com regulagem de meio em meio grau Celsius. Foram mantidas funções como o botão Dual para sincronia de temperaturas e o modo MAX A/C, de ventilação máxima e temperatura mínima.


Logo abaixo, ficam localizados o botão de partida do motor, uma tomada de 12 Volts (oculta por uma tampa quadrada), o botão para abertura elétrica da parte central do vidro traseiro (até então, um refinamento visto apenas nas picapes RAM) e duas entradas USB, sendo uma do tipo A e outra do tipo C.


O console central traz, em seu início, dois porta-objetos. Há ainda um botão para o freio de mão elétrico, raro entre as picapes comercializadas no Brasil, que incorpora o Auto Hold, funcionalidade acionada automaticamente após dois segundos de parada e que dispensa a necessidade de manter o pedal de freio pressionado, mesmo se o câmbio estiver em Drive. Também estão concentrados nesta região o seletor rotativo do câmbio automático de 8 marchas (com posição Low para otimização da atuação do freio-motor), a ativação/desativação do controle de tração, o seletor de modos de direção/terrenos, o controle automático de descida e o botão para acionar ou inibir o start-stop.


O seletor de terrenos dispõe de cinco opções de modos (Normal, Lama/Terra, Areia, Escorregadio e Rebocar/Transporte), que ajustam o mapa de aceleração, torque, rotação da troca de marchas e sensibilidade do controle de tração e de estabilidade para cada tipo de piso.

 
Na ponta esquerda do painel, os comandos de iluminação lembram os do Bronco Sport. Um botão giratório alterna entre as luzes externas apagadas, luzes de posição acesas, acendimento automático dos faróis e faróis baixos ligados. Mais para a direita, há dois botões que aumentam ou diminuem o brilho dos instrumentos. Ao invés do botão para destravamento da tampa do porta-malas presente no SUV, a Maverick traz um botão para iluminação da caçamba. Há ainda focos de iluminação na cabine, como nas maçanetas internas dianteiras.


A porta do motorista concentra os comandos de travas, retrovisores e vidros elétricos - estes últimos contam com acionamento por um-toque para cima e para baixo. Já os para-sóis possuem luzes de cortesia e espelhos.


A picape também conta com assistente de frenagem automática com detecção de pedestres e ciclistas (que pode parar totalmente o veículo a até 50 km/h se o motorista estiver distraído; acima disso, reduz o impacto), sete airbags (dianteiros, laterais, de cortina e para os joelhos do condutor), alarme perimétrico, assistente de frenagem pós-colisão, controlador automático de velocidade em descidas (ajustável a até 32 km/h), assistente de partida em ladeiras, comutação automática dos faróis altos (evitando que a visão de outros condutores seja ofuscada), protetor metálico sob o veículo, freios a disco ventilados nas quatro rodas com ABS, distribuição eletrônica da força da frenagem e assistência em frenagens de pânico, bem como alerta do não-uso dos cintos dianteiros, controles de tração/estabilidade, assistente de partida em subidas e os controles de estabilidade e tração.


A picape possui chave presencial com botões de destravamento e travamento das portas, além do acionamento do alarme de localização do veículo.


O banco do motorista conta com ajustes elétricos em oito direções (altura e distância do assento, inclinação do encosto e regulagens lombares em sentido longitudinal), enquanto o carona dianteiro possui seis opções de ajustes manuais. 


Atrás, os ocupantes dispõem de apoio de braço central com porta-copos, dois porta-revistas, duas entradas USB para carregamento (uma do tipo A e outra do tipo C, acompanhadas de um nicho para celular) e fixações ISOFIX e Top Tether para cadeirinhas infantis. 


A tampa da caçamba é removível e pode ser travada com a chave, enquanto o compartimento de carga possui nichos laterais com tampa para armazenamento de cargas de forma discreta, ganchos para fixação de carga e até abridores de garrafas lateral, como no Bronco Sport. A tampa vem com trava elétrica e pode ser ajustada em três posições para acomodar objetos maiores, mas não possui amortecimento e é razoavelmente pesada. 


Com protetor de caçamba de fábrica e oito pontos para fixação de carga, a Maverick tem capacidade de carga de 617 quilos e capacidade volumétrica de 943 litros. A picape pode receber acessórios nas concessionárias, como santantônio, aerofólio de teto e da traseira, estribos laterais, porta-objetos e cobertura elétrica da caçamba. A cabine tem também encaixes que permitem a fixação de porta-objetos personalizados, criados com impressoras 3D.


O motor 2.0 EcoBoost GTDi a gasolina, turbinado, com injeção direta de combustível e com bloco, cabeçote e pistões de alumínio, é um pouco mais forte do que o do Bronco Sport e entrega 253 cavalos a 5500 rpm e 38,7 kgfm de torque a 3000 rpm. Mesmo com peso em ordem de marcha de 1744 quilos, a picape acelera de 0 a 100 km/h em 7,2 segundos, segundo a Ford. Para auxiliar na economia de combustível, a picape dispõe do Start-Stop, que desliga o motor durante paradas e pode ser desativado por um botão no console. Conforme o ciclo de rodagem do Inmetro, a Maverick faz 8,8 km/l na cidade e 11,1 km/l na estrada.


Assim como no SUV, o capô é aberto ao se puxar a alavanca interna duas vezes; após fazer isso, basta levantar o capô e posicionar a vareta de sustentação, pois não há lingueta central para destrava-lo. Diferentemente do SUV, a picape não possui manta acústica na face interna do capô nem capa plástica no motor. O tanque de combustível tem a capacidade de 67 litros.


O conjunto de suspensão é independente nas quatro rodas, com eixo McPherson na dianteira, multilink na traseira e com molas helicoidais e amortecedores hidráulicos (HRS).

 
A Maverick não possui rivais diretas no Brasil. Sua carroceria do tipo monobloco e a presença do motor movido a gasolina são fatores que fazem com que a novidade da Ford não dispute o mercado tradicional das picapes médias - e, portanto, dificilmente deve haver canibalização de mercado entre a Maverick e a Ranger (cuja gama de versões é 100% movida a diesel). Parte da imprensa automotiva estabelece comparações entre a nova picape da Ford e a Fiat Toro, porém, na prática, há diferenças significativas em relação a mecânica, proposta de uso e equipamentos entre elas. Na falta de competidoras diretas como Hyundai Santa Cruz e Honda Ridgeline, pode-se cravar que parte do público da Maverick no Brasil poderá se ver em dúvidas entre ela e seu próprio irmão Bronco Sport, já que ambos contam com conjuntos mecânicos semelhantes e propostas de uso similares.


A Ford garante que as cinco primeiras revisões, cobrindo 60 meses ou 50.000 quilômetros, saem por R$ 5.840. Os valores por revisão são os seguintes:

1ª revisão: R$ 1.066
2ª revisão: R$ 1.066
3ª revisão: R$ 1.240
4ª revisão: R$ 1.362
5ª revisão: R$ 1.106


Também é possível adquirir os planos de manutenção Ford Protect. O plano Ford Protect Basic cobre as três primeiras revisões do período de garantia (36 meses ou 30.000 km) por R$ 3.203 e oferece 1 ano adicional da assistência técnica Ford Assistance. Já o plano Protect Plus cobre cinco revisões (60 meses ou 50.000 km) por R$ 5.548, com 2 anos adicionais do Ford Assistance. 


Há a opção de blindar a Maverick através da Leandrini Blindagens, empresa certificada pela Ford, no momento da compra, preservando a garantia de fábrica da picape. A blindagem de nível 3-A com vidros AGP33 custa R$ 78.500, oferece garantia de cinco anos para os componentes da blindagem e pode ter o valor incluído no financiamento do veículo.


Comentários