O que esperar de 2019? Veja os lançamentos de carros previstos para este ano!


A realização do Salão do Automóvel de São Paulo de 2018 torna um pouco mais fácil antecipar as novidades para o ano de 2019, embora as montadoras sempre escondam algumas das novidades em curso - e ainda mais os modelos que serão retirados de linha. O Auto REALIDADE revela para você o que as marcas de automóveis estão planejando para o novo ano!



Audi
A marca alemã reserva diversas novidades para 2019. No primeiro bimestre do ano, iniciam as vendas da nova geração da RS4 Avant. Em meados do ano, a produção nacional do Q3 será interrompida, para no último trimestre do ano ser importada a nova geração do SUV. Como este Q3 ficará maior (e mais caro), algumas concessionárias contam com o lançamento do Q2, do porte do A3 (e com painel praticamente igual), embora a Audi não se pronuncie sobre este crossover. Também estão confirmados os lançamentos dos novos e tecnológicos A6 Sedan e A7 Sportback, bem como a chegada do esportivo RS5 Coupé.


O SUV Q8, irmão mais ousado do Q7, deverá chegar ainda no primeiro semestre de 2019, também conforme informações de concessionárias. Ao final de 2019, a Audi deve trazer o A1 Sportback em nova geração, ainda mais posicionado como produto de nicho: a marca já treinou funcionários na Europa para voltarem preparados para comercializar o novo hatch, assim como fez com o Q3. E o A4 irá passar por uma reestilização bem discreta, para se manter "em dia" 3 anos após chegar ao nosso mercado.


BMW
O principal destaque da marca certamente será a mais recente geração de seu best-seller, o sedã Série 3. A geração G20 chega inicialmente importada na versão 330i (como o revelado no Salão de São Paulo), mas contrariando as atuais tendências das marcas "premium" (de voltar a importar, ao invés de produzir no Brasil), o novo Série 3 deve ocupar a linha de produção do sedã atual em Araquari (SC) no segundo semestre de 2019.


A BMW também fará vários outros lançamentos em 2019. A nova geração do X5 - SUV que, guardadas as proporções de cada segmento, é tão bem-sucedido quanto o Série 3 - será importada para o País. E quem quiser mais exclusividade poderá optar pelo X7, um utilitário "full-size" com capacidade para sete passageiros.



Para os fãs de cupês esportivos, a marca já confirmou a chegada do novo Série 8, modelo que resgata o batismo do carro produzido entre 1990 e 1999, que trazia os faróis retráteis como um de seus charmes. Assim como o antigo modelo, o "The 8" substitui o Série 6. A versão a ser trazida para o Brasil é a M850i xDrive, com motor 4.4 V8 de 530 cavalos e câmbio automático de 8 marchas.



Já os amantes de roadsters poderão encomendar o híbrido i8 Roadster ou ainda aguardar pela nova geração do Z4, ambos ainda sem data definida para comercialização em nosso mercado.


CAOA Chery
Depois da gestão da CAOA, a Chery já trouxe para o mercado brasileiro em 2018 os modelos Tiggo 2, Arrizo 5 e Tiggo 5X. Falta ainda o Tiggo 7, uma alternativa no segmento médio-grande que também será fabricado no Brasil, na linha de montagem de Anápolis, Goiás, de onde também saem alguns modelos da Hyundai comercializados pela CAOA. Terá visual externo e interno mais "maduro", e equipamentos adicionais em relação ao 5X, como conjunto de câmeras de visão em 360 graus, ar digital de duas zonas e teto solar panorâmico. Apesar de ser 16 centímetros mais comprido que o 5X, o Tiggo 7 terá o mesmo conjunto mecânico do irmão menor: motor 1.5 Turbo Flex de 150 cavalos com etanol e câmbio automatizado de dupla embreagem e 6 marchas.


Chevrolet
Foram prometidas 11 novidades em 2019 para o Brasil. Algumas, como os novos Camaro Cupê e Conversível, bem como a série Midnight do Equinox e a introdução do hatch elétrico Bolt (que já tem preço definido - R$ 175 mil), já estão confirmadas. A Chevrolet prepara a inclusão da internet 4G a bordo - ao que tudo indica, esta tecnologia vai estrear nos Cruze Sedan e Sport6 reestilizados.


Mas a novidade mais aguardada é a nova geração do Onix, que trará no embalo também o novo Prisma. Ambos serão muito diferente dos atuais - tanto que estas duas gerações deverão coexistir por alguns anos. Onix e Prisma ficarão maiores e também irão estrear uma linhagem nova de motores (inclusive opção Turbo), cujos detalhes ainda são mantidos em sigilo.

Citroën
Após apresentar seu principal lançamento para o Brasil dos últimos anos - o C4 Cactus - a Citroën não deve ter muitas novidades a apresentar em 2019. O Cactus, talvez, poderá ganhar algumas séries especiais, e ir gradualmente tomando o espaço da minivan AirCross, que vende pouco. Tampouco o C4 Lounge, que foi reestilizado em 2018, deve ter alguma mudança para 2019. 


Fiat
Caso o valor do dólar norte-americano compense a operação, é provável que o próximo lançamento da marca no Brasil seja o 500X, produzido na Itália. Apesar da carinha semelhante ao compacto, a plataforma do 500X é a mesma do Jeep Renegade. O modelo foi apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo e poderá ter um pacote de equipamentos similar ao do carro mostrado no evento, que inclui volante revestido em couro multifuncional, sistema multimídia UConnect com tela de 7 polegadas, computador de bordo com tela de 3,5 polegadas, direção elétrica com modo Dual Drive, ar-condicionado automático dual zone, controlador automático de velocidade, sensor de estacionamento traseiro, Start & Stop, 6 airbags, auxiliar de partida em subidas, monitoramento de pressão dos pneus, freio de estacionamento elétrico. O que é praticamente impossível de ocorrer é de vir com o mesmo conjunto mecânico da unidade exposta: a Fiat trouxe um carro com motor 1.6 16 válvulas movido a diesel, de 120 cavalos, e câmbio manual de 5 marchas.

Outro segredo da Fiat - este mais bem guardado, e que deve chegar só no final de 2019 ou começo de 2020 - é a nova picape que ocupará o segmento da Strada. Será desenvolvida com base em produtos já existentes da marca, aproveitando componentes mecânicos de Mobi, Fiorino e até mesmo da atual Strada; já exterior e interior terão algumas inspirações no mais recente Argo. Com esta verdadeira salada de influências, é até difícil a esta altura vislumbrar como será a aparência da nova picape, que terá opção de cabine simples ou dupla - esta última com 4 portas e lugar para 5 pessoas. Possivelmente, esta última carroceria terá dimensões similares às da Renault Oroch, porém não chegará ao porte do Fiat Toro.


Na linha Argo, a novidade será a introdução da versão aventureira, ainda sem nome definido. Além do conjunto de suspensão mais robusto e maior altura em relação ao solo, o Argo aventureiro terá várias modificações externas e também alguns diferenciais no interior para formar uma personalidade diferenciada em relação às outras versões. Terá como rivais hatches com visual off-road, como Onix Activ, HB20X e Ka FreeStyle.


Também em 2019, mais precisamente no final do ano, o Grand Siena deverá definitivamente deixar de ser produzido, sendo totalmente substituído pelo Cronos. Hoje, o sedã lançado em 2012 ainda é encontrado nas concessionárias em versão única (Attractive), com motor 1.0 ou 1.4, e pode ser encontrado com descontos, o que ainda o mantém com um volume razoável de vendas no segmento de sedãs de entrada, composto por Prisma Joy, Voyage 1.0, HB20S Unique e Ka Sedan SE.


Ford
A aventureira Ranger Storm já está confirmada para ser produzida em série ao final de 2019 (talvez início de 2020), mas bem antes - no primeiro trimestre do ano - chegam às concessionárias o Edge ST (que já pode ser encomendado, terá preço de R$ 299 mil e conta com motor 2.7 V6 Biturbo EcoBoost de 335 cavalos e torque de 54,4 kgfm, tração nas quatro rodas sob demanda e câmbio automático de oito marchas) e o EcoSport Titanium sem estepe externo.


A versão Titanium (parelha à Storm em equipamentos, excetuando-se a tração nas 4 rodas) terá o motor 2.0 Duratec de 176 cavalos com etanol substituído pelo 1.5 de 3 cilindros e 137 cv das versões mais em conta, mantendo o câmbio automático de 6 marchas. Esta mudança na motorização visa incluir na lista de itens de série os pneus (bem mais caros) sem aumentar demais o preço final dessa versão. Ao invés do estepe, o utilitário terá pneus Run Flat, que podem rodar estourados e até mesmo sem pressão, desde que a uma velocidade de até 80 km/h, por 80 quilômetros. Outros equipamentos desta versão do EcoSport são: teto solar elétrico, central multimídia SYNC 3 com tela touchscreen de 8 polegadas, detector de veículos em pontos cegos, chave presencial com partida por botão, sensor de chuva, faróis de xenônio, bancos de couro e rodas de liga leve de 17 polegadas. 


Em meados de 2019, os Focus Hatch e Sedan vão deixar de ser produzidos na Argentina e, por consequência, não serão mais vendidos no Brasil, uma vez que as fracas vendas não justificam a fabricação nacional dos modelos ou mesmo a importação da quarta geração europeia. Nos Estados Unidos, o Focus também teve a morte decretada. Aliás, o Fiesta Sedan (importado do México), sem mudanças visuais e com "volume morto" de vendas, também não deve durar muito mais tempo.


Honda
Depois do Accord, a próxima novidade da marca será o relançamento do HR-V Touring. A versão topo-de-linha terá como principal diferencial o motor 1.5 Turbo com injeção direta de combustível, similar ao utilizado no Civic Touring. Junto com o novo propulsor, deverão haver algumas novidades visuais e em equipamentos para diferenciá-lo do modelo EXL e justificar o preço maior.


Posteriormente, no segundo semestre, o Civic deve passar por uma discreta reestilização, aos moldes das quais já passou em outros países - afinal, a "geração 10" completará três anos de fabricação nacional. Rodas e para-choques terão novo desenho. As novidades internas também deverão ser discretas.


Hyundai
Ainda mantida sob muito segredo, a nova geração do HB20, com inspirações no carro-conceito Saga EV, deverá ser revelada no último trimestre de 2019. Será, na verdade, uma reestilização extensa, que deve alterar praticamente todos os painéis de carroceria e também o interior, sem no entanto mudar de plataforma e, portanto, mantendo dimensões estruturais como distância entre-eixos e largura. Ainda assim, levando-se em conta que a Hyundai acertou a mão ao entender o gosto dos brasileiros tanto ao lançar o HB20 em 2012 quanto o Creta em 2017, é de se esperar que a marca surpreenda na lista de equipamentos e também introduza melhorias mecânicas em todas as versões, como a substituição da direção hidráulica pela elétrica em todas as versões.


Na linhagem de importados, serão trazidos para o Brasil os novos Elantra e Santa Fe. O Elantra recebeu uma reestilização com base na geração comercializada no Brasil desde 2016. Já o Santa Fe foi totalmente renovado em sua quarta geração, ganhando distância entre-eixos 6,5 centímetros maior e visual mais futurista. Desta vez, não haverá um "Grand Santa Fe": seu lugar será ocupado no exterior pelo Hyundai Palisade, de 8 lugares, sem previsão de ser comercializado no Brasil.


JAC
A principal novidade da JAC Motors para 2019 é o utilitário médio-grande T80, que chega em fevereiro e será comercializado por R$ 139 990. Apesar do preço de etiqueta alto, o modelo tenta compensar trazendo diversos equipamentos: quadro de instrumentos com tela de 12,3 polegadas e 3 modos de visualização, sistema multimídia com tela de 10 polegadas e espelhamento de conteúdo de celulares através do Android e iOS, direção elétrica progressiva com 3 modos de ajuste (leve, normal e pesada), teto solar elétrico panorâmico, além de 6 airbags. 


Como opcionais, haverá som Infinity com 280 Watts e 10 alto-falantes, bem como bancos dianteiros com ajustes elétricos, sendo o do motorista com refrigeração, aquecimento e massageador. O motor 2.0 Turbo de 210 cavalos faz par com o câmbio automatizado de dupla embreagem DCT de 6 marchas.


Jaguar
A novidade no portfólio da marca inglesa para 2019 é o I-Pace, crossover elétrico com autonomia estimada entre 415 e 470 quilômetros, capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 4,8 segundos e atingir 200 km/h. O I-Pace pode ser configurado no site da marca no Brasil (nas versões S, SE e HSE), porém a marca não revelou a partir de quando o modelo será comercializado em nosso País.


Jeep
Está confirmado, até o fim do primeiro semestre, o lançamento da nova geração do Wrangler, com 2 ou 4 portas, possivelmente nas versões Sport, Rubicon e Sahara (estas duas últimas na carroceria Unlimited, de 4 portas). O motor 2.0 Turbo com injeção direta de gasolina rende 272 cavalos e 40,8 kgfm de torque. O jipe usa câmbio automático de oito marchas. Além da tração 4x4 com reduzida, agora o modelo dispõe de uma caixa de transferência de duas velocidades com opção de tração integral permanente.



O que ainda não está definida é a chegada do Cherokee reestilizado ao Brasil. Mostrado no Salão de São Paulo, na ocasião a marca não confirmou se o SUV de médio porte seria importado (embora a tradição da Jeep sempre foi disponibilizar em nosso mercado o Cherokee, desde a primeira geração). O estilo está mais conservador (e bonito) em relação ao modelo que chegou por aqui em 2014. Os conjuntos óticos de LED foram unificados, os para-choques foram redesenhados e o vazio na tampa traseira foi minimizado. No interior, o console central foi reformulado com o reposicionamento do hub de conectividade, o que aumentou o espaço do porta-objetos. O SUV traz novo motor 2.0 Turbo de 272 cv de potência e 40,8 kgfm de torque, o mesmo que equipa o novo Wrangler, aliado ao câmbio automático de nove marchas.


Kia 
Nos planos da marca desde o final da década passada, o hatch Rio finalmente deverá ser comercializado no Brasil em 2019, vindo do México. O modelo já está homologado e pronto para vir ao País, mas depende da viabilidade cambial para que possa chegar com preço competitivo ao nosso mercado. Terá o motor 1.6 Flex de até 128 cavalos do HB20, com opções de câmbio manual ou automático, e será vendido nas versões LX e EX.


Land Rover
A montadora inglesa não apareceu este ano no Salão do Automóvel de São Paulo, mas isso não quer dizer que não haja novidades da marca a caminho. A nova geração do Range Rover Evoque, que chega como modelo 2020, já pode ser configurada no site da marca (embora a comercialização só inicie no segundo semestre de 2019) e estará disponível em 3 versões: S, R-Dynamic (subdividida em mais três versões, S, SE e HSE) e First Edition - este último baseado no R-Dynamic HSE - e 2 conjuntos mecânicos: D180 (motor 2.0 diesel de 180 cavalos) e P250 (motor 2.0 a gasolina de 249 cavalos), ambos com tração integral e câmbio automático de 9 marchas.


Desde a versão de entrada, o Evoque traz maçanetas externas retráteis (que ficam embutidas com o carro travado), rodas de 18 polegadas, bancos dianteiros elétricos em couro granulado perfurado com memória e 10 ajustes, sistema multimídia Touch Pro de 10 polegadas com GPS, Android Auto e Apple CarPlay, faróis de LED, câmera de ré e sensores de estacionamento dianteiro e traseiro.


Mercedes-Benz
Até a primeira quinzena de janeiro de 2019, todas as concessionárias da marca deverão disponibilizar em seus showrooms o novo Classe A 250, em duas versões: Vision (R$ 194 900) e Launch Edition (R$ 199 900). O novo hatch estreia a arquitetura eletrônica MBUX, que o possibilitou estrear duas grandes telas unidas no painel - uma para o quadro de instrumentos, outra para o sistema multimídia.


O lançamento da picape Classe X no Brasil é certo, porém a data segue indefinida. A picape começou a ser fabricada na Argentina junto com sua irmã de chassi Nissan Frontier, e terá versões "de serviço" (que deverão ser vendidas nas concessionárias de veículos comerciais da Mercedes, junto com as vans Sprinter e Vito) e opções luxuosas, que serão vendidas junto com os automóveis da marca alemã.


Outra novidade da marca é o AMG GT 4-Door Coupé, na medida para rivalizar com as versões mais esportivas do Porsche Panamera. Já tem preço definido: R$ 1 084 900. Conta com motor 4.0 V8 Biturbo de 639 cavalos e um torque de nada menos que 91,8 kgfm. As formas sinuosas do AMG GT foram ampliadas para este modelo acomodar quatro passageiros.


Mitsubishi
A marca inicia no primeiro semestre a comercialização do novo Pajero Sport no Brasil, importado da Tailândia. A pré-venda para o novo modelo já está aberta. Derivado da atual geração da L200 Triton, o SUV possui 7 lugares, motor 2.4 Turbodiesel de 190 cavalos e 43,9 kgfm de torque, seletor de tração Super Select II (como o da picape) e câmbio automático de 8 marchas. Entre os equipamentos de série, destaque para: controlador de velocidade de descida (HDC), controles de tração e estabilidade, sensor crepuscular e de chuva, controlador automático de velocidade adaptativo com frenagem autônoma, auxílio de mitigação de colisão, aviso de veículos em pontos cegos, ar-condicionado automático dual zone, câmera de ré, sensores dianteiros e traseiros de estacionamento e airbags frontais, laterais, de cortina e para os joelhos do motorista.


Já o Eclipse Cross deverá ser fabricado em Catalão, Goiás, e estrear versões mais baratas (hoje, só está disponível em uma versão, HPE, com tração dianteira ou integral). A princípio, ASX e Eclipse Cross serão comercializados juntos, como ocorre em outros mercados - mas o crossover veterano deverá perder as versões mais completas. É bem possível que a chegada do Eclipse na linha de produção nacional seja a pá de cal na sepultura do sedã Lancer, hoje um dos menos vendidos de sua categoria e que já foi extinto em outros mercados.


Nissan
A picape Frontier, fabricada na Argentina, terá sua gama completada em 2019, com a adição das versões S 4x4 manual e Attack 4x2 automática, que se complementam às opções Attack 4x4, XE e LE. Assim, a Frontier terá opções entre as faixas de R$ 132 mil a 195 mil reais, onde se situam a grande maioria das picapes médias movidas a diesel. O ano também marca a chegada das primeiras unidades do elétrico Leaf aos seus proprietários. O hatch médio entrega o equivalente a 149 cavalos e 32,6 kgfm de torque. Sua autonomia oscila entre 241 km (ciclo EPA) e 389 quilômetros (ciclo urbano WLTP). Utilizando-se um carregador rápido, bastam 40 minutos para 80% da carga da bateria ser reestabelecida.


Outra novidade mostrada no Salão de São Paulo que aguarda o sinal verde da marca é o X-Trail Hybrid. O SUV de médio porte já é comercializado em outros países da América Latina, mas no Brasil, para contornar o alto preço (uma vez que deverá ser importado do Japão), tentará fomentar seu valor agregado ao vir com conjunto motriz híbrido: o motor 2.0 DOHC MR20 de 16 válvulas e quatro cilindros rende 140 cavalos e 19,9 kgfm de torque, e está aliado ao motor elétrico que gera o equivalente a 40 cavalos adicionais e um torque de 16,3 kgfm. Segundo a Nissan, o modelo chega a fazer até 19,6 km/l na estrada.


Peugeot
Apesar de não ter revelado o 2008 reestilizado no Salão de São Paulo - até porque a Peugeot não esteve no evento - este deverá ser o principal lançamento da marca no Brasil em 2019. A frente ganha grade e para-choque mais assemelhados aos do 3008; na traseira, apenas retoques discretos. Por dentro, as mudanças deverão ser mínimas: aros iluminados em volta do quadro de instrumentos, nova manopla de câmbio e padronagens do acabamento interno diferenciadas.


Porsche
A montadora de Stuttgart prepara para o Brasil o lançamento do novo Macan, que recebeu sua primeira reestilização desde o lançamento (com novidades bem perceptíveis na parte interna), e também a chegada dos modelos 718 Cayman e Boxster T, que eliminam peso para otimizar a performance - itens como ar-condicionado e sistema multimídia são opcionais sem custo adicional (quem não quiser estes itens vai desfrutar de uma substancial redução no peso do veículo), e há a opção do câmbio manual para os puristas.


Mas a novidade mais aguardada chega apenas no segundo semestre. É a mais recente geração do 911, conhecida pelo código 992. Como é de praxe em praticamente toda reformulação do cupê da Porsche, as mudanças chegam primeiro às versões Carrera S e 4S, para depois se estenderem gradualmente por toda a linha.


Renault 
Durante o primeiro trimestre de 2019, a Renault deverá apresentar ao Brasil o Captur Bose, série limitada que terá como principal atrativo o sistema de som mais refinado, embora a marca ainda não tenha especificado em maiores detalhes o projeto de áudio do modelo. Para se diferenciar externamente das outras versões, o Captur Bose terá o logotipo da marca estampado nos para-lamas, além de estrear a cor prata no teto das versões com pintura em dois tons.


Já o Kwid estreia a versão Outsider, com mais detalhes visuais em relação ao modelo Intense atual. Por fora, traz barras de teto, skis (apliques prateados nos para-choques frontal e traseiro), faixas laterais, molduras do faróis de neblina e adesivo “Outsider”. No interior, a versão Outsider traz tecido diferenciado para os bancos, com detalhes em laranja na manopla do câmbio, em torno das saídas de ar, na moldura central do painel e nos frisos das portas. No console central, uma bem-vinda mudança: entradas USB e auxiliar e tomada 12 Volts estão posicionadas mais próximo dos porta-trecos.


Ainda no primeiro semestre do ano, a marca deverá apresentar os Logan e Sandero reestilizados, com novidades no visual e aprimoramentos no interior para se distanciar do Kwid. A traseira do hatch será exclusiva para o mercado sul-americano, com prolongamentos das lanternas na tampa do porta-malas. A principal novidade mecânica deverá ser a disponibilidade do câmbio automático CVT (já usado no Captur e Duster 1.6) em substituição ao automatizado monoembreagem Easy'R, seguindo a atual preferência do mercado.


Suzuki
A marca japonesa irá importar o Jimny Sierra no segundo semestre. A nova geração do jipe compacto não substitui o modelo atual, que segue sendo produzido em Catalão, Goiás, e custará de 20% a 25% a mais que hoje. É a primeira reformulação completa no jipinho desde 1998. Serão vendidas três versões, incluindo duas com câmbio automático: 4YOU MT, 4YOU AT e 4STYLE. O motor é o 1.5 de 108 cavalos e 14,1 kgfm de torque.


Toyota
O Yaris vai estrear em fevereiro a versão X-Way, com pegada aventureira e baseado na versão XS. Entre os diferenciais visuais, estão rodas pretas, rack de teto, apliques nos para-choques e para-lamas, frisos laterais e o logotipo da versão X-Way na traseira e nos tapetes. A lista de equipamentos inclui retrovisores com rebatimento elétrico e piscas integrados, bancos de couro, computador de bordo com tela colorida de 4,2 polegadas, câmera de ré, chave presencial com partida por botão e central multimídia Toyota Play+, com espelhamento de tela de smartphones. O motor é o 1.5 16 válvulas Flex Dual VVT-i, de 110/105 cavalos a 5600 rpm, e torque de 14,9/14,3 kgfm a 4000 giros (com etanol/gasolina, nesta ordem).


E, já que a Hilux passou por um face-lift em 2018, há a possibilidade da SW4 ter seu visual ligeiramente retocado para 2019, como ocorreu na Ásia (onde é conhecida como Fortuner).

Em 2019, a Toyota deve revelar seu primeiro automóvel híbrido flex de produção em série. O grande mistério reside em saber que carro seria este. A nova tecnologia motriz foi apresentada este ano em um Prius, mas existe a chance não somente de ser apresentada junto com a nova geração do Corolla, como também desta versão híbrida do novo sedã aposentar o Prius (que é importado e tem visual controverso) em solo brasileiro.


Volkswagen
No primeiro semestre deste ano, chegam o utilitário-esportivo T-Cross e a dupla Polo e Virtus GTS. O T-Cross provavelmente será lançado em março e as vendas iniciam no mês seguinte. A versão Highline terá motor 1.4 TSI de 150 cavalos, mas também estarão disponíveis versões com o motor 1.0 TSI de 128 cv com etanol. Entre os equipamentos de destaque da versão completa, estão: teto solar panorâmico, quadro de instrumentos digital configurável, banco traseiro corrediço, ar-condicionado digital com saídas traseiras e central multimídia com tela de 8 polegadas e sistema de som Beats.


Já Polo e Virtus GTS serão bem parecidos com os carros-conceito apresentados no Salão de SP. Terão motor 1.4 TSI de 150 cavalos e 25,5 kgfm de torque, aliado ao câmbio automático de 6 marchas com conversor de torque. As rodas de 18 polegadas e pneus de perfil mais baixo deverão ser opcionais. A lista de equipamentos deverá ser muito similar às versões Highline com opcionais, incluindo por exemplo o quadro de instrumentos digital configurável e a central multimídia Discover Media com GPS e tela touchscreen de 8 polegadas.


Ainda falando sobre Polo e Virtus, ambos estreiam já em janeiro a versão Sense, destinada a pessoas com deficiência. Os dois trazem câmbio automático de 6 marchas, mas o Polo vem com o motor 1.0 TSI de 128 cavalos, enquanto o Virtus traz o 1.6 MSI aspirado de 117 cv. O que não muda entre eles é a lista de equipamentos, equivalente à das versões MSI, bem como o preço da dupla: R$ 69.990 cada.


A marca também confirmou para 2019 (possivelmente no segundo semestre) a comercialização do Golf GTE (híbrido plug-in), modelo para entusiastas do bom desempenho não se sentirem com a consciência tão pesada nas aceleradas. Com motor a combustão de 150 cavalos aliado a um motor elétrico de 75 kW (o equivalente a 102 cv), o conjunto gera ao todo 204 cavalos, pouco menos que os 230 do atual GTI, e está aliado ao câmbio automatizado de dupla embreagem DSG de 6 marchas com modo sequencial. A bateria pesa 120 quilos, aproximadamente 8% dos 1615 kg referentes ao peso do carro. Para carregá-la, o tempo oscila entre 2h30 e 3h30. Há a possibilidade de rodar curtos trechos apenas com a força elétrica.


É grande a chance da perua SpaceFox ter sua produção encerrada na Argentina em 2019. Embora a Volkswagen tenha desmentido em novembro que a station wagon teria sua fabricação paralisada em General Pacheco, é preciso considerar que suas vendas estão em declínio e a linha de produção deverá receber até o final do ano o utilitário Tarek, que será o anti-Compass da marca.


Volvo
Depois da V60, o próximo lançamento da marca confirmado para o Brasil será a nova geração do sedã S60 (a terceira desde o ano 2000). É bem possível que, assim como a station wagon, o modelo de três volumes seja inicialmente trazido em versão única para nosso mercado. Depois, seguindo a estratégia de eletrificação da marca, deverá chegar uma opção híbrida plug-in, como XC90, XC60 e S90. 

Comentários