Destaques do Auto REALIDADE

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

As máquinas reunidas no Pontão em Brasília!


Cinco anos após visitar a cidade de Brasília (DF), após as experiências do English Immersion Program, houve a chance de passear por uma semana na capital federal, por ocasião das "grérias" impostas pela Universidade Federal do Piauí. No último dia 19, houve encontro dos grandes amigos do grupo Auto REALIDADE, que já haviam sido "apresentados" entre si no Cars & Coffee: Alex, Ygor, Antonio, Doug e Ingrid.


Fui levado para entrar no Fiat Marea 2.4 HLX Automatic 2002/02 de Douglas Lemos antes de sua venda. O sedan branco encanta por sua originalidade, só que os gastos de manutenção e consumo de combustível fizeram Doug procurar outro compacto da Fiat mais em conta de se manter. Mas a paixão falou mais alto e o Marea ficou! O outro amor do Douglas é um Fiat Idea HLX na cor Laranja Evolution.


O Pontão é a área construída às margens do Lago Paranoá: dentro dele, alguns tomam banho e outros passeiam de jet-ski ou barcos; já os estacionamentos ficam rodeados de carros "celebridades". Abaixo, o BMW Série 7 (750Li) de embaixada, versão com entre-eixos alongado e monitores para quem senta atrás.


Não estranhe, com tanta ostentação, se você vir uma Chevrolet Grand Blazer limusine preparada para passeios com crianças... Note que esta é a abertura máxima das janelas traseiras, já que o recorte da porta "bloqueia" o vidro.


Muitos rodeavam o Chevrolet Corvette Stingray conversível, modelo não comercializado oficialmente no Brasil que traz motor 6.2 V8 LT1 de 455 horsepower e câmbio automático de 6 marchas. A capota elétrica pode ser acionada com o carro em movimento, a até 50 km/h.


Junto dos Mercedes SLK, o Porsche Boxster (981, fase 2) de especificações norte-americanas trazia detalhes como os "side-markers" e o velocímetro em milhas por hora.

Este modelo trazia o motor 2.9 boxer de 255 cavalos aliado ao câmbio manual de seis marchas. O roadster acelerava de 0 a 100 km/h em 5,9 segundos e atingia a velocidade máxima de 263 km/h.



O Mercedes-Benz SL 63 AMG (R230) consistia em uma extensa reestilização baseada no modelo apresentado em 2001. O conversível trazia o motor 6.2 V8 Biturbo de 525 cavalos, que o tornava capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 4,6 segundos e chegar à velocidade máxima de 250 km/h, eletronicamente limitada.



O BMW Z4 de primeira geração é um dos principais representantes da escola Bangle de design. O sucessor do Z3 foi produzido entre 2002 e 2008; esta versão é equipada com o motor 3.0 seis-cilindros em linha de 231 horsepower, com câmbio automático.



Clássico nacional, o Volkswagen Karmann-Ghia foi apresentado em 1962, com chassi e mecânica aproveitados do Fusca 1200, montados em uma carroceria bela, desenhada pelo estúdio homônimo de design.  No Brasil, o cupê ficou em linha até 1971, já equipado com o motor 1600 de 50 cavalos (os pioneiros tinham apenas 36 cv).



O Porsche 911 GT2 RS (997) foi lançado em 2010, adotando o motor 3.6 twin-turbo de seis cilindros com potência elevada para 620 cavalos e 71,4 kgfm de torque. Foram eliminados 70 quilos em relação ao GT2 "comum", otimizando o desempenho do esportivo, que acelera de 0 a 100 km/h em 3,4 segundos e atingindo a velocidade máxima de 330 km/h.



O Porsche 911 Carrera 4 (991), que havia aparecido no Cars & Coffee, é a versão com tração integral e motor 3.4 24v de 350 horsepower, com opção de câmbio automático ou manual de 7 velocidades.


Hot-hatch da Mercedes-Benz, o A 45 AMG é dotado de motor 2.0 quatro-cilindros turbinado com 360 cavalos e 45,9 kgfm de torque. O câmbio é o Speedshift DCT de 7 marchas, e a tração é integral. Freios e controle de estabilidade foram retrabalhados nesta versão esportiva, que acelera de 0 a 100 km/h em 4,6 segundos e é contida eletronicamente em 250 km/h. Seu preço no Brasil é de R$ 259 900.


Outro modelo que vimos no Cars & Coffee e também marcou presença no Pontão foi o Ford Mustang V6 Convertible, modelo 2013, com a reestilização que abrangia faróis, lanternas, para-choques e emblemas.


Uma das três Ferrari presentes naquele domingo (havia ainda uma California vermelha de interior preto, que infelizmente não conseguimos registrar), a F430 Scuderia é uma reconstrução da F430 Coupé, com 100 quilos a menos na balança e mais potência em seu motor 4.3 V8: 510 cavalos, resultando em uma relação peso-potência de 2,5 quilos por cavalo. No circuito da marca em Fiorano, seu tempo de volta foi similar ao da Enzo. A Scuderia acelera de 0 a 100 km/h em 3,6 segundos e alcança a velocidade máxima de 325 km/h.





Sua sucessora, a Ferrari 458 Italia, passou a desenvolver 570 cavalos e 55,1 kgfm de torque em seu motor 4.5 V8. Seu câmbio Getrag possui dupla embreagem e 7 marchas. O desempenho é ainda mais impressionante: aceleração de 0 a 100 km/h em 3 segundos cravados e velocidade final de 340 km/h. Este ano foi apresentada a 488 GTB, uma reestilização abrangente em sua carroceria original, desenhada pelo estúdio Pininfarina. No Brasil, a 458 custa R$ 1 900 000.



Pode parecer piada estar no meio de Ferraris e dar atenção a um Monza, mas repare que o Chevrolet versão SL/E ano 1988 estava em estado de conservação louvável. Esta era a versão intermediária do sedã (entre o SL e o Classic), que vinha com o motor 1.8 a álcool (96 cavalos) ou gasolina (95 cv).



O SL 63 AMG não foi o único representante da linhagem de Mercedes conversíveis: também estava lá o 350 SL placa-preta, ano 1972. Esta geração, conhecida internamente como R107, foi uma das mais longevas, perdurando de 1971 até 1989 com poucas modificações. Trazia um motor 3.5 V8 de 200 cavalos, mas esta versão deixou de ser produzida já no ano seguinte.



A poucos quilômetros do Pontão, uma garagem de shopping guarda diversas preciosidades, algumas desnudas, outras cobertas, e ainda as que acumulavam poeira. Para os fãs de BMW, havia Série 3 Cabrio, Touring (328i), Série 5 (E39) e M3 (E36).



Já quem gosta dos carros nacionais ficaria admirado com Chevrolet Opala Cupê, VW Kombi (em dois tons, que lembram a série comemorativa de 50 anos) e Fiat Marea estacionados.



Meio afastado dali, um Mercedes SL implorava por atenção, já com os pneus murchos e a pintura com uma camada grossa de poeira.


Já o Chevrolet Camaro LT é um modelo 1976, que contava com o motor 5.0 V8 de 140 cavalos e trazia como diferencial estético o friso horizontal prateado unindo as lanternas. Naquele ano, as vendas do Camaro bateram o recorde até então em sua segunda geração.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Na seção de comentários do Auto REALIDADE você está livre para escrever o que você achou da matéria.

Caso você queira fazer perguntas maiores, incluir fotos ou tirar dúvidas, envie e-mail para blogautorealidade@hotmail.com

Sua opinião é muito importante para o Auto REALIDADE! Estamos a disposição no Facebook (http://www.facebook.com/AutoREALIDADE), no Instagram (http://www.instagram.com/autorealidade e no Twitter (@AutoREALIDADE).

Curta a página do Auto REALIDADE!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...