Destaques do Auto REALIDADE

sábado, 17 de outubro de 2015

Hyundai HB20 2016: as novidades de todas as versões


A decisão da Hyundai de desenvolver para o Brasil um compacto exclusivo para nosso mercado mostrou-se bem acertada: lançado há exatos três anos, o HB20 causou furor em seu lançamento e manteve-se com as vendas em alta, mesmo com a reestilização iminente (mérito das séries especiais que agregavam mais equipamentos, como For You, Spicy e Impress, esta última exclusiva do Sedan).

Contudo, chegou a hora de mudar, e a linha 2016 do HB20 traz novidades que visam dar seguimento aos resultados elogiáveis em vendas - já foram mais de 500 mil unidades produzidas dos modelos Hatch, S e X, utilizando praticamente toda a capacidade produzida da fábrica em Piracicaba (SP). Em Teresina (PI), as concessionárias Green City e Smaff rivalizam entre si, mas nós do Auto REALIDADE visitamos ambas para conhecer melhor as versões do hatch reestilizado.



Por fora, algumas das novidades estão restritas às versões mais equipadas. Os modelos Comfort, Plus e Style mantêm os faróis com máscara negra (só o topo-de-linha Premium traz projetores e feixes de LED); as duas primeiras versões também trazem as mesmas lanternas (que passa a ser do tipo "Clear Type" nas versões Comfort Style e Premium). Nestes modelos, as principais mudanças estão na grade (com moldura cromada e aberturas horizontais) e para-choques com quinas mais suaves. No geral, as linhas ficaram harmoniosas - e a atualização vem em boa hora, pois o estilo frontal do HB20 anterior já era figurinha carimbada pelo Brasil.

Os HB20 Comfort Plus passam a trazer calotas aro 15'' mais interessantes, enquanto Comfort Style e Premium compartilham as rodas de liga leve aro 15'' inspiradas no conceito R-spec (bonitas, mas poderiam ser maiores para causar um impacto visual maior). Um detalhe que pode passar despercebido é a adoção de pneus "verdes" a todas as versões e a eliminação do logotipo Flex, e os Automatic também deixam de receber o logo "1.6". Não que os modelos tenham deixado de lado a capacidade de rodar com gasolina e etanol, e sim que o sistema flex-fuel ficou banal em nosso mercado.

Há também duas cores novas: Prata Sand e Bronze Terra que se somam às tonalidades Prata Metal e Cinza Titanium (metálicas), Preto Onix e Branco Polar (sólidas) e Azul Sky, perolizada. A cor vermelha, no entanto, foi retirada do catálogo.


Internamente, as modificações seguem a mesma lógica: as versões mais caras recebem as novidades mais substanciais. Uma das mudanças que abrange quase todas as versões é a atualização do sistema de som blueAudio, com Bluetooth, MP3 Player, entradas USB/auxiliar e comandos no volante: a recepção do rádio possui melhor qualidade, a partir de 76.1 Mhz.



Os tecidos dos bancos são novos, e o computador de bordo (de série) traz uma função complementar, a de alerta visual de revisão, faltando 30 dias ou 1500 quilômetros. As outras funções, alternadas pelo botão "Trip" abaixo do quadro de instrumentos, são: hodômetro parcial A e B, autonomia, consumo médio e instantâneo, velocidade média e tempo de condução.


O sistema multimídia blueMedia tem como destaque o espelhamento da tela de celulares Samsung e LG compatíveis, e, a partir do início de 2016, também terá ativada a conectividade com o Apple CarPlay por meio do cabo USB, com as funções de telefone, mensagens, música e rádios digitais (Spotify, Tune In, Stitcher, Deezer, Rdio e Podcasts). Com tela sensível ao toque de 7 polegadas, também há reprodutor de fotos e vídeos, equalizador de som, Bluetooth para telefonia e streaming de áudio, acesso à agenda do celular, compatibilidade com iPod, leitor de MP3 e banda de rádio FM a partir de 76.1 Mhz.

Compatível com navegadores (Waze, Google Maps, Maplink Apontador e TomTom Brazil), rádios digitais (TuneIn, Spotify, Deezer, Stitcher e Rdio) e mídias sociais como Facebook, Instagram e Whatsapp, alguns conteúdos são exibidos apenas com o carro parado por questões de segurança.


A versão Comfort 1.0, única que ainda não deu as caras em Teresina e que parte de R$ 38 995, traz um pacote de equipamentos um pouco mais recheado, com ar-condicionado, direção hidráulica, vidros elétricos dianteiros (com função um-toque na descida para o vidro do motorista), travas elétricas, airbags frontais, freios ABS com EBD, fixação ISOFIX para cadeirinhas infantis, rodas de ferro aro 14'' com calotas "Seoul" e pneus 175/70, computador de bordo, banco do motorista com auste de altura, limpador e desembaçador traseiro, espelhos nos para-sois, rádio blueAudio e abertura interna da portinhola do tanque de combustível.



O Comfort Plus distingue-se pelas calotas aro 15'' "Palm" com pneus 185/60, molduras das janelas em preto fosco (exceto nos HB20s pintados na cor Preto Onix), retrovisores com luzes de seta e ajustes elétricos, vidros elétricos nas 4 portas, chave tipo canivete (principal e reserva) com travamento/destravamento remoto, alarme perimétrico e travamento das portas a partir de 15 km/h. Com motor 1.0, seu preço é de R$ 42 595; optando pelo motor 1.6, o preço pula para R$ 48 745, chegando a R$ 52 745 com o novo câmbio automático de 6 marchas. Esta última traz também um descanso de braço para o motorista.


Na versão Comfort Style, o HB20 recebe rodas de liga leve aro 15'' "Hurricane", faróis de neblina com projetores, novo desenho interno das lanternas, vidros elétricos com função um-toque na subida e descida com recurso antiesmagamento, abertura e fechamento dos vidros por meio da chave, detalhes das saídas de ar e do freio de mão em cromo acetinado, alças de teto na frente e atrás, porta-óculos no teto, iluminação manual nos para-sóis e no porta-malas, além de volante com regulagem de altura e profundidade.

Sai por R$ 46 345 (1.0), passando a R$ 51 845 na versão 1.6 manual e chegando a R$ 55 845 quando equipado com transmissão automática.


Por fim, o Premium incorpora faróis com projetores e luzes de posição de LED, ar-condicionado automático digital (com graduação entre 17,5º C e 31,5º C), rebatimento elétrico dos retrovisores, maçanetas externas cromadas, sensor de estacionamento traseiro, volante e alavanca de câmbio revestidos em couro, banco traseiro bipartido (na proporção 60/40), acendimento automático dos faróis, iluminação do porta-luvas e alarme volumétrico, com sensor de inclinação. É a versão mais cara, que parte de R$ 58 445 e vem unicamente com motor 1.6 e câmbio automático - porém, incluindo opcionais como bancos, painéis de porta dianteiros e pomo da alavanca de câmbio revestidos em couro Dark Brown, airbags laterais e o sistema blueMedia, o preço bate em R$ 63 535. A versão fica devendo forros de porta traseiros e manta de isolamento acústico no capô.


O motor 1.0 Kappa, de três cilindros e 12 válvulas, recebeu ligeiras alterações: as velas de ignição agora possuem irídio, os pistões e anéis de vedação foram retrabalhados para reduzir o atrito interno e o gerenciamento do alternador privilegia situações de baixa carga no motor - como nas frenagens - para recarregar a bateria. Rende 75 cavalos com gasolina e 80 cv com etanol, a 6200 rpm; o torque é de 9,4 kgfm com gasolina e 10,2 kgfm com etanol, a 4500 rpm. Segundo a Hyundai, esta versão acelera de 0 a 100 km/h em 14,6 segundos com etanol e 15,5 s utilizando gasolina; a velocidade máxima é de 161 km/h com o combustível derivado da cana, ou 158 km/h com o derivado do petróleo.

Esta versão, que é aliada unicamente ao câmbio manual de 5 marchas, consome na cidade 8,5 km/l com etanol e 12,5 km/l com gasolina; na estrada, os resultados são de 9,9 km/l com etanol e 14,1 km/l com gasolina, resultados que lhe renderam nota A no Programa de Etiquetagem Veicular do Inmetro. 



Já o propulsor 1.6 16v Gamma agora traz o e-start, que elimina o reservatório de gasolina para partida a frio; além das modificações pelas quais o 1.0 passou, os câmbio evoluíram: o manual passa a ter 6 marchas (como o VW Fox 1.6 16v), assim como o automático, que possui opção de mudanças sequenciais na alavanca (antes, tinha apenas 4 marchas). Gera 122 cavalos e 16 kgfm com gasolina; usando etanol, os números são de 128 cavalos e 16,5 kgfm de torque a 5000 rpm.

Com este conjunto, o HB20 manual acelera de 0 a 100 km/h em 9,3 segundos com etanol ou 9,7 s com gasolina. A aceleração com o câmbio automático melhorou 4% (10,6 s com etanol, 11 s com gasolina). O modelo manual chega a 189 km/h com etanol (185 km/h com gasolina). Curiosamente o automático tem velocidade final maior, chegando a 190 km/h com etanol e 186 km/h com gasolina, uma melhoria de 8%. Em termos de consumo, na cidade faz 8,1 km/l com etanol e 11,6 km/l com gasolina. Já no ciclo rodoviário, as médias são de 9,9 km/l (etanol) e 13,8 km/l (gasolina).


No mais, o HB20 manteve características como suas medidas (3,92 metros de comprimento, 1,68 metro de largura sem retrovisores, 1,47 m de altura e 2,50 metros de distância entre-eixos), além do porta-malas de 300 litros, estepe com roda de ferro (mesmo na versão Premium) e cinco anos de garantia sem limite de quilometragem (ou até 100 000 km em caso de uso comercial).



As pinturas metálicas ou perolizada acrescentam R$ 1100 ao preço final, exceto a Prata Sand. As seguradoras Aon e Tokio Marine oferecem o Auto Seguro Hyundai,  com preços especiais: para um homem de 35 anos, casado, residente na cidade de São Paulo, o valor fica em R$ 1.552,78 para o HB20 1.0 e R$ 1.702,89 para a versão 1.6. Os HB20S e X renovados deverão ser apresentados ainda em 2015.









Nenhum comentário:

Postar um comentário

Na seção de comentários do Auto REALIDADE você está livre para escrever o que você achou da matéria.

Caso você queira fazer perguntas maiores, incluir fotos ou tirar dúvidas, envie e-mail para blogautorealidade@hotmail.com

Sua opinião é muito importante para o Auto REALIDADE! Estamos a disposição no Facebook (http://www.facebook.com/AutoREALIDADE), no Instagram (http://www.instagram.com/autorealidade e no Twitter (@AutoREALIDADE).

Curta a página do Auto REALIDADE!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...